Conheça a Bitrecife, uma Inovadora Exchange Brasileira de Bitcoin; Realize seu Pré-cadastro e Concorra a uma Viagem


(Foto: Shutterstock)

A Bitrecife é uma nova Exchange de compra e venda de bitcoins com lançamento previsto para Junho/2018. Com uma plataforma diferenciada, desenvolvida através de novos conceitos de tecnologias e segurança, a empresa, que já está realizando um pré-cadastro, promete entregar uma revolucionária plataforma, estável e amigável, além de contar com sistema de login com criptografia avançada, oferecendo maior segurança ao usuário.

“Em nossa equipe há pessoas com ampla experiência internacional e estamos transformando tais conhecimentos em realidade para que os traders brasileiros também desfrutem das tecnologias utilizadas por exchanges estrangeiras“ diz o conselheiro, Felipe Mcmont.

Localizada no Porto Digital, considerado o coração das startups de tecnologias do Brasil, a Bitrecife está oferecendo para aqueles que realizarem o pré-cadastro, a chance de concorrer a um final de semana na paradisíaca praia Porto de Galinhas com direito a um acompanhante.

No que diz respeito a opções de depósito, a empresa oferecerá a possibilidade de boleto e transferência bancária, já com relação ao saque será possível realizá-lo através de transferência bancária e inova possibilitando o uso cartão de crédito pré-pago.

“Traremos as melhores taxas de mercado, graças à tecnologia por dentro da nossa plataforma que permite a realização de confirmações de depósitos e saques em minutos, também será possível realizar saques através do nosso exclusivo cartão de cŕedito pré-pago, e utilizá-lo em qualquer lugar do mundo, inclusive para saques no Banco 24h.” diz o CEO, Dessidério Junior.

Uma outra grande novidade é que a empresa conta com parceria e expertise de exchanges nacionais e internacionais para possibilitar que os clientes possam operar com mais de 50 altcoins sem a necessidade de pagar taxas de mineração/transferência entre elas.

“Já firmamos parceria com a Bleutrade (mais antiga exchange cripto da América Latina), possibilitando que o cliente possa transferir entre as plataformas sem taxas de mineração, bem como sacar da exchange parceiras seus bitcoins/altcoins para real (R$)”

 

Pré-Cadastro / Promoção

A empresa já está realizando pré-cadastro e você poderá concorrer a um final de semana na paradisíaca praia Porto de Galinhas com direito a um acompanhante

A previsão de lançamento da Plataforma está previsto para junho de 2018 e além de bitcoin, a empresa promete ao longo dos meses ir adicionando novas moedas e já consta dentre os objetivos de curto prazo, a inserção de novas opções de ordem como venda descoberta e ordem de stop.

Faça já seu pré-cadastro acessando: https://bitrecife.com.br

 

Criptografia e Viagem | Aqui estão 3 Países Cripto-Amigáveis ​​na Europa!


 países amigos da criptografia na Europa

Países criptologicamente amigáveis ​​na Europa: Nos últimos meses, o setor de criptografia viu diversos países implementarem regulamentações e proibir moedas virtuais e ICOs. Apesar disso, o setor continua crescendo e ganhando apoio. Então, se o mundo vai dividir quando se trata de criptomoeda, que é o que parece estar acontecendo, é importante que os entusiastas da criptografia saibam quais países aceitam a criptografia de braços abertos ou quais não.

Neste artigo, veremos alguns países que são conhecidos por serem compatíveis com criptografia. Mas há uma reviravolta. Os países mencionados estarão todos na Europa. Por quê? Bem, quem não ama a Europa?

3 Países Cripto-Amigáveis ​​na Europa

Na Ásia, tem havido muitas tentativas de banir ICOs, também conhecidas como 'ofertas iniciais de moedas'. Enquanto isso, na Europa, a criptografia está se tornando uma indústria em desenvolvimento. ] 1. Suíça

Primeiro, vamos começar pela Suíça. Este é um país montanhoso da Europa Central, conhecido por seu chocolate e seus resorts de esqui. No entanto, a Suíça é conhecida por muito mais do que isso. Tem uma enorme reputação no setor bancário e financeiro, sendo ambos os dois principais setores do país. Portanto, era apenas uma questão de tempo que a Suíça se transformasse num país europeu amigo da criptografia.

 países criptos-amigáveis ​​na Europa

Fonte Imagem: Depositphotos © swisshippo

A Suíça é favorável à criptografia devido às suas regulamentações, bem como à sua abordagem isenta de impostos. Essa é uma das principais razões pelas quais as organizações de blockchain criaram uma base lá. Além disso, os emissores da OIC são atraídos para o país europeu porque as moedas digitais são: A) não são consideradas dinheiro lá, e B) também não são consideradas moedas estrangeiras.

Suíça | Últimas notícias da Crypto

– Zug, uma cidade suíça, apelidada de "vale de criptografia", anunciou nas primeiras duas semanas de junho que vai começar a votação de blockchain.

– 6 de junho: O Hypothekarbank Lenzburg se torna o primeiro banco do país a fornecer às empresas de criptografia e de cadeia de blocos contas empresariais.

2. Eslovênia

Se você conhece a criptografia, provavelmente espera que a Eslovênia apareça nesta lista. As pessoas disseram que a Eslovênia poderia se tornar o Vale do Silício da Europa. Uma declaração ousada? Sim. Forçado? Na verdade não.

 países amigáveis ​​à criptografia na Europa

Fonte Imagem:: / © stevanovicigor

Há várias razões pelas quais a Eslovênia é considerada um país europeu amigo da criptografia. Primeiro, suporta Bitcoin. Existe uma organização pública ativa para o BTC, e os caixas eletrônicos do Bitcoin estão espalhados por todo o país da Europa Central. Em segundo lugar, há muitas empresas na Eslovênia que incorporam tecnologia blockchain e descentralizada.

Eslovênia | Últimas Notícias da Criptografia

– Criando um shopping center com criptografia

3. República Tcheca

Na República Tcheca, ainda há muita definição ou regulação de criptomoedas. O governo também é pensado para ser crypto-friendly. A cidade de Praga, no entanto, é talvez a razão pela qual a República Tcheca está incluída nesta lista.

 países amigos da cripta na Europa

Imagem de fonte: © / [Rawpixel

é um hotspot de criptografia. Já faz algum tempo, e provavelmente continuará por um tempo. Afinal, Praga é um dos lugares da Europa que realmente adotou a idéia dos caixas eletrônicos Bitcoin. Eles podem ser encontrados em todo o metrô de Praga, um dos metrôs mais movimentados da Europa. De fato, recentemente, a General Bytes, uma fabricante de caixas eletrônicos Bitcoin baseada em Praga, anunciou que adicionou 10 novos caixas eletrônicos criptografados no metrô de Praga.

República Tcheca | Últimas notícias da Crypto

– Um café chamado “Bitcoin Coffee” hospeda o mercado da DYI para fornecedores de criptografia.

– Mais caixas automáticas criptografadas colocadas em todo o metrô de Praga

>> Malta e Cryptocurrency. Por que as empresas Crypto estão se mudando para a ilha de Malta?

Países criptocompatíveis na Europa | The Takeaway

Certamente há outros países europeus que aceitam criptografia, mas vamos salvá-los em outro momento. Alguns segundos classificados, no entanto, foram: Estônia, Dinamarca e Finlândia

O que você acha da criptografia na Europa? Você acha que os países europeus têm uma vantagem competitiva sobre a América do Norte? Avise-se me!

Imagem destacada: Depositphotos / © PromesaStudio

Se você gostou deste artigo Clique para compartilhar

Criptomoeda de maconha pode patrocinar a viagem de Dennis Rodman à Cúpula EUA-Coreia do Norte


A PotCoin está em discussões com representantes de Dennis Rodman para patrocinar sua viagem à cúpula EUACoreia do Norte em Cingapura na semana que vem, reportou o Washington Post em 7 de junho. A PotCoin é uma criptomoeda criada para facilitar transações dentro da indústria legalizada de cannabis.

O agente de Rodman, Chris Volo, confirmou o interesse do ex-astro do basquete em viajar para Cingapura, dizendo que forneceria “apoio moral” aos presidentes Trump e Kim Jong Un.

A criptomoeda sediada no Canadá patrocinou a viagem de Rodman à Coreia do Norte em 2017, quando seu preço disparou depois que Rodman vestiu uma camisa com seu logotipo enquanto estava no país. Volo supostamente disse que algumas questões da viagem ainda estavam sendo trabalhadas, enquanto Shawn Perez, um porta-voz da PotCoin, se recusou a fornecer qualquer detalhe. Ele só disse ao Washington Post que Rodman “merece o Prêmio Nobel da Paz em conjunto com o presidente Trump e o marechal Kim Jong Un”, acrescentando:

“A equipe da PotCoin como uma comunidade tem apoiado incrivelmente a missão de paz de Rodman desde o começo. Estamos felizes em ver como o clima político melhorou entre os norte-coreanos e os EUA desde que ele se envolveu”.

Um porta-voz do Departamento de Estado expressou dúvidas sobre a possível presença de Rodman na cúpula, observando que Rodman não faz parte da delegação oficial dos EUA e acrescentou: “Não temos comentários sobre as viagens particulares de Dennis Rodman. Ele não é um representante do governo dos EUA.

Rodman viajou pela primeira vez para a Coreia do Norte em 2013, como parte de uma viagem com membros do Harlem Globetrotters. Ele então retornou mais duas vezes naquele ano e estabeleceu relações com Kim, que é declaradamente fanático pelos Chicago Bulls da década de 90. Embora Rodman tenha conseguido desenvolver um relacionamento caloroso com o líder da Coreia do Norte, não está claro se Kim deixaria Rodman participar da cúpula.

As celebridades muitas vezes servem como porta-vozes de vários projetos de criptomoeda. O ator Steven Seagal foi um embaixador da Bitcoiin2Gen, uma criptomoeda que afirmava ser uma “versão superior ou mais avançada do Bitcoin original”. Lionel Richie apareceu em um comercial de televisão da corretora TD Ameritrade que anunciava o futuro do Bitcoin e da estrela de boxe Floyd Mayweather fez um post no Instagram gabando-se do “$hit t$n of money” e que ostensivamente faria uma ICO na Stox.



Criptomoeda de maconha pode patrocinar a viagem de Dennis Rodman à Cúpula EUA-Coréia do Norte


A PotCoin está em discussões com representantes de Dennis Rodman para patrocinar sua viagem à cúpula dos EUA Coreia do Norte em Cingapura na próxima semana, informou o Washington Post ] Junho 7. PotCoin é uma criptomoeda criada para facilitar as transações dentro da indústria de maconha legalizada.

O agente de Rodman, Chris Volo, confirmou o interesse do ex-astro do basquete em viajar para Cingapura, dizendo que forneceria “apoio moral” ao Presidente Trump e Kim Jong.

A criptografia baseada no Canadá patrocinou a viagem de Rodman à Coréia do Norte em 2017, quando seu preço disparou depois que Rodman vestiu uma camisa com seu logotipo enquanto no país. Volo supostamente disse que algumas questões da viagem ainda estavam sendo trabalhadas, enquanto Shawn Perez, um porta-voz da PotCoin, se recusou a fornecer qualquer detalhe. Ele só disse ao Washington Post que Rodman "merece o Prêmio Nobel da Paz em conjunto com o presidente Trump e o marechal Kim Jong Un", acrescentando:

"A equipe PotCoin como uma comunidade tem apoiado incrivelmente a missão de paz de Rodman desde o início. Estamos entusiasmados em ver como o clima político melhorou entre os norte-coreanos e os EUA desde que ele se envolveu. ”

Um porta-voz do Departamento de Estado expressou dúvidas sobre a potencial presença de Rodman na cúpula, observando que Rodman não faz parte do grupo. delegação oficial dos EUA e acrescentando que “Não temos comentários sobre as viagens privadas de Dennis Rodman. Ele não é um representante do governo dos EUA. ”

Rodman viajou pela primeira vez para a Coreia do Norte em 2013, como parte de uma viagem com membros do Harlem Globetrotters. Ele então retornou mais duas vezes naquele ano e estabeleceu relações com Kim, que é declaradamente um entusiasta fã dos Chicago Bulls da década de 90. Embora Rodman tenha conseguido desenvolver um relacionamento caloroso com o líder da Coréia do Norte, não está claro se Kim deixaria Rodman participar da cúpula.

As celebridades serviram muitas vezes como porta-vozes de vários projetos de criptomoeda. O ator Steven Seagal era um embaixador da marca para a Bitcoiin2Gen, uma criptomoeda que afirmava ser uma “versão superior ou mais avançada do Original Bitcoin ”. Lionel Richie apareceu em um anúncio de televisão da corretora TD Ameritrade que anunciava o futuro do Bitcoin, e o astro de boxe Floyd Mayweather postou um post no Instagram que se gabava sobre o “$ t $ n de dinheiro” que ostensivamente faria em um ICO por Stox.

O que fazer em Los Angeles: dicas para uma viagem incrível


Por Alexandre Monteiro

De todas as cidades faladas aqui no Melhor Câmbio até agora, Los Angeles definitivamente é a mais multicultural de todas: são 4 milhões de habitantes e, destes, metade são imigrantes de todas as partes do mundo! Tanta mistura assim só poderia resultar em uma cidade divertida e que oferece atrações para todos os gostos. Aliás, não vá para lá achando que L.A. (carinhosamente chamada pelos locais) se resume a Hollywood e à Calçada da Fama. Se ouvir de alguém que 2 dias são o suficiente para conhecer a cidade, ignore essa pessoa: a cidade tem muito, mas muito mais a oferecer do que apenas produções cinematográficas. São praias, museus, mercados, vida noturna agitadas, compras, parques de diversão, estúdios de cinema… já imaginou ver tudo isso em apenas dois dias? Impossível! Por isso, reserve um bom tempo para conhecer esta cidade de verdade – e se encantar por ela! Quer saber tudo o que fazer em Los Angeles? Vem com a gente! 🙂

Pier de Santa Monica

Lá em 1909, quando o píer foi construído, o local era somente uma plataforma de madeira e não oferecia nenhuma atração. Com o tempo, a região foi ficando mais e mais famosa, ganhando diversas atrações e, hoje, é um dos principais pontos turísticos de Los Angeles. Para começar, só a vista para o Oceano Pacífico já é uma atração à parte – ainda mais no pôr do sol! Aproveite o passeio para curtir cada ponto da plataforma. Que tal tirar uma foto no ponto onde termina a icônica Rota 66? Ou conhecer o restaurante Bubba Gump Shrimp, inspirado no grande filme Forrest Gump? Mas a principal atração ainda é o Pacific Park, parque de diversões à beira-mar que tem como grande estrela a roda-gigante. Vale a pena assistir ao pôr do sol lá do alto!

o que fazer em los angeles

Venice Beach

Quem disse que Venice tem a maior concentração de gente maluca por metro quadrado não está exagerando. Apesar de Venice e Santa Monica estarem na mesma faixa de areia, você consegue perceber de cara qual praia é qual só pelo clima e pelas pessoas que frequentam cada uma. Em Venice, quanto mais bizarro melhor. Por isso que lá você encontra serviços como o Freak Show, leitura de mãos, balanceamento de chakras, entre outras coisas. O principal é a arte alternativa que você vê nas paredes e em todos os cantos. Não deixe de ver também o Skate Park, um dos lugares mais disputados na praia, e a Muscle Beach, área de ginástica frequentada pela galera fitness.

o que fazer em los angeles

Griffith Observatory

O Griffith Observatory é um dos pontos mais visitados de toda a Califórnia e o observatório público mais visitado em todo o mundo. E isso acontece por uma série de fatores: a paisagem, as atrações, a arquitetura, a vista e muito mais. Por dentro, um planetário com exposições incríveis sobre astronomia e ciência no geral. Entre as atrações expostas, estão uma tabela periódica feita com todos os elementos de verdade e uma mostra de meteoritos. Se você é um amante da astronomia, também pode participar de um programa avançado oferecido no local, como a Public Star Party e a Sunset Walk, que acontecem uma vez por mês.

Por fora do prédio, outra atração imperdível: a vista. Como o Griffith Observatory fica no Monte Hollywood, a famosa placa fica bem próxima de lá e você pode conferir de perto. Reserve um fim de tarde para curtir a cidade lá do alto e assista ao pôr do sol por lá. Não esqueça de levar um lanche e fazer um piquenique no jardim! Vale ficar um pouquinho à noite também, para ver as luzes da cidade e observar as estrelas.

o que fazer em los angeles

Grand Central Market

Localizado em Downtown LA, região super importante para a cultura e o comércio de Los Angeles, está o Grand Central Public Market, um grande mercado público que é um grande reflexo da diversidade da cidade que falamos no início deste artigo. Lá, você vai encontrar mexicanos comendo em um restaurante chinês, imigrantes tailandeses almoçando um churrasco havaiano e europeus se deliciando com kebabs da Turquia. Tudo de uma forma natural – como deveria ser. Por ser um mercado público, não espere encontrar um local de luxo. Porém, se você se interessa por gastronomia, é o lugar ideal para ter uma experiência internacional de verdade. E tudo isso por um preço acessível e feito com ingredientes fresquinhos e de qualidade. Quando visitar os museus de Downtown, aproveite para almoçar por lá. Imperdível.

o que fazer em los angeles

LACMA: Los Angeles County Museum of Art

O maior museu de arte da Costa Oeste é referência tanto no seu acervo como na arquitetura do seu prédio. O LACMA, Los Angeles County Museum of Art, possui uma área de 200 mil metros quadrados, distribuídos entre nove pavilhões. Entre as obras do acervo permanente, estão artes de todas as épocas e lugares. Desde obras feitas em 10 mil anos a.C, até as criações mais recentes. E os artistas? Espere encontrar nomes como Cezànne, Rembrandt, Monet, Renoir, Picasso, Frida Kahlo, Andy Warhol e muitos outros. Definitivamente é um acervo incrível – mas as obras mais procuradas estão no exterior do museu. São duas: a Urban Light, de Cris Burden, e a Levitated Mass, de Michael Heizer. A primeira é uma grande junção de postes de luz, que são cenário para belas fotos. A segunda é uma pedra de 340 toneladas que está posicionada em cima de uma passarela. Os visitantes podem passar por baixo, o que causa curiosidade e medo em quem visita o local. Além de tudo isso, o centro ainda oferece shows de jazz toda sexta, mostras de cinema e eventos alternativos. Consulte a programação e escolha um dia com o melhor roteiro!

o que fazer em los angeles

Ficou com vontade de conhecer a Cidade dos Anjos? Então comece já a planejar sua viagem com o Melhor Câmbio. Dê uma pesquisada no histórico da cotação do dólar, crie um alerta para ser avisado quando o valor baixar e negocie diretamente com as casas de câmbio. Tudo isso para você economizar como nunca na compra da moeda estrangeira e aproveitar sua viagem internacional ao máximo. 😉

Referências: Melhores Destinos

Imagens: Visualhunt

O que fazer em Boston: as principais dicas de viagem


Por Alexandre Monteiro

Uma mistura do moderno com o clássico: essa é a melhor definição de Boston, a capital do Massachusetts, nos Estados Unidos. Boston é uma cidade que está sempre acompanhando as mudanças do mundo e se apresenta como um destino jovem, ao mesmo tempo em que mantém o ar clássico que encanta muita gente. Não é à toa que é um dos destinos mais procurados pelos turistas brasileiros! Chegando lá, você terá uma surpresa com tanta coisa: a riqueza histórica, a variedade enorme de museus, a vida acadêmica, os restaurantes, parques, compras… Mesmo com tanta opção, a cidade tem um ar muito tranquilo. Tanto que lá, o turismo a pé tornou-se oficial: o Freedom Trail é um percurso criado em 1950 e que leva os visitantes a 16 atrações turísticas. Ficou curioso com tudo o que esta capital tem a oferecer? Então veja agora o que fazer em Boston com as dicas do Melhor Câmbio!

Freedom Trail

Se tem uma frase que você vai escutar muito em Boston, essa frase é “Siga a estrada de tijolos vermelhos”. Isso acontece graças a uma característica muito encantadora da cidade: para tornar a vida dos turistas mais fácil, Boston criou uma espécie de rota que leva os visitantes aos principais pontos referentes à Independência dos EUA e à Revolução Americana, que durou entre 1775 e 1783. E essa rota é marcada com tijolos vermelhos em alguns trechos. Um bloco de metal cravado no chão avisa os turistas quando chegaram em algum ponto importante. Tudo isso sem precisar de mapa. Legal, né? Para os que fazem questão de ter um guia, existem vários à disposição – todos vestidos como os personagens principais da época! A gente recomenda a visita com guia, para entender melhor como cada ponto foi importante na história. Os pontos de visita pela Freedom Trail são: Boston Common, Massachussetts State House, Park Street Church, Granary Burying Ground, King’s Chapel E King’s Chapel Burying Ground, Boston Latin School, Old Corner Bookstore, Old South Meeting House, Old State House, Boston Massacre Monument, Faneuil Hall, Paul Revere House, Old North Church, Copp’s Hill Burying Ground, Uss Constitution e Bunker Hill.

Boston Common

O ponto de partida da Freedom Trail é também o primeiro parque público de todos os Estados Unidos, inaugurado em 1634. O Boston Common, diferente dos outros pontos da trilha, não oferece apenas história. Os moradores da cidade amam visitar o parque para curtir o ar livre em meio ao centro da cidade. Também pudera: são 44 acres de área verde onde acontecem espetáculos de teatro, shows, artistas de rua e muito mais. No meio do parque, há o Frog Pond, que é uma área de lazer voltada para as crianças com atrações como uma piscina com chafariz, bem rasa para todas as crianças poderem brincar. No inverno, a piscina congela e se torna uma pista de patinação. A história por trás do parque é importante: o local servia de base para as tropas britânicas, que acampavam lá durante a luta para manter a colônia. O parque também já foi palco de discursos de Martin Luther King Jr. e até do papa João Paulo II.

o que fazer em boston

Universidade de Harvard

Localizada na cidade de Cambridge, que fica ao lado de Boston, está uma das universidades mais famosas do mundo inteiro. Harvard é tão bem falada que muita gente já se imaginou estudando lá algum dia. Não é à toa: é de lá que saíram várias mentes brilhantes, incluindo ganhadores de prêmios Nobel e presidentes americanos. Apesar de ficar em outra cidade, não é difícil nem longe: você pode chegar lá através do metrô e são apenas 12 minutos de viagem saindo do Boston Common. Impossível resistir a uma visita por lá desse jeito, né? A visita começa na Harvard Square, a praça que fica bem na frente dos portões. Lá, você encontra um quiosque com informações turísticas e que oferece tour guiado pelos próprios estudantes, que conhecem a universidade como a palma da mão. Prepare-se porque o tour é bem corrido! Não há muito tempo para fazer perguntas ou tirar fotos. Por isso, a gente recomenda que você guarde os lugares que mais gostou para visitar de novo depois que a tour acabar. Durante o tour, você vai conhecer o Massachusetts Hall (o prédio mais antigo do campus, erguido em 1720); o Johnston Gate, portão oficial de entrada; o Harvard Hall, onde está o primeiro laboratório de física construído nos Estados Unidos; os dormitórios onde importantes personalidades ficaram hospedadas; a Widener Library, que é a maior biblioteca acadêmica de todo o mundo; e a estátua de Harvard, que segundo a lenda, dá sorte para quem passa a mão no pé desgastado. O tour completo tem 1h30 de duração.

o que fazer em boston

Quincy Market

O Quincy Market faz parte de um dos pontos do Freedom Trail, o Faneuil Hall Marketplace, e é um verdadeiro paraíso para quem gosta de experiências gastronômicas. O prédio foi erguido em 1826 e abriga vários comércios pequenos que oferecem todos os tipos de iguaria: de pizza e lanches até pata de caranguejo. Chegue lá de barriga vazia para experimentar um pouco de tudo! Vá percorrendo os corredores e conhecendo cada banca. Mas cuidado com o movimento: o mercado geralmente fica lotado e é muito fácil alguém esbarrar em você enquanto dá uma olhada nas opções. Se quiser um pouco mais de calma, faça a visita em um dia de semana. Entre as comidas de maior sucesso, estão os sanduíches de lagosta, os cookies, sorvetes italianos e saladas gregas. De dar água na boca! E do lado de fora, a atração principal são os artistas de rua e as apresentações circenses que divertem quem passa por lá.

o que fazer em boston

Skywalk Observatory

Do alto do Prudential Center, uma vista de Boston que é de tirar o fôlego. No 50º andar do prédio, está o Skywalk Observatory, um mirante que é todo fechado por várias janelas de vidro. Os visitantes podem circular por todo o local e ficar lá pelo tempo que quiserem para aproveitar a vista. No meio da sala, está o Dreams of Freedom Museum, que resgata a chegada de todos os imigrantes em Boston. Para quem quiser algo a mais, suba até o 52º andar e tome um drink no Top of the Hub, um restaurante onde você pode curtir o passeio com um jantar delicioso e uma vista incrível.

o que fazer em boston

E aí, gostou das dicas sobre o que fazer em Boston? Então acesse agora o Melhor Câmbio para começar a organizar sua viagem e pesquisar sobre o dólar na ferramenta Dólar Hoje.

Referências: Melhores Destinos | Segredos de Viagem

Imagens: Visualhunt