Auditores do trabalho receberam R$ 254 mi em bônus, mas não têm metas de produtividade – 14/06/2018 – Mercado Aberto


​​

À espera de regulamento que crie indicadores e metas de produtividade, o bônus dos auditores-fiscais do Ministério do Trabalho já custou mais de R$ 250 milhões aos cofres públicos desde que foi criado.

A lei determina o pagamento de R$ 3.000 por mês aos fiscais em atividade a título de “antecipação de cumprimento de metas” —que ainda não foram nem mesmo fixadas.

Criada por medida provisória no fim de 2016, a remuneração variável foi incorporada na legislação em julho de 2017 e incluiu aposentados e pensionistas no rol de beneficiados.

Caso tenham deixado a carreira há menos de 12 meses, os inativos têm direito ao valor integral, diz a lei. Os demais recebem um percentual que diminui à medida que aumenta o tempo de aposentadoria.

Não há ilegalidade na demora em adotar-se critérios, mas sim um vácuo legal, segundo Andrea Rossi, sócia do escritório Machado Meyer. “Esse desembolso antecipado trai o objetivo da própria lei”, diz. 

A regulamentação poderá determinar pagamentos superiores aos R$ 3.000, uma vez que a norma não fixa limites. 

A Constituição estabelece a paridade de vencimentos entre servidores ativos e inativos, diz Rossi. “Há julgados do STF) sobre outras leis de bônus que concluíram que essa regra se aplica também para os vencimentos variáveis.”

Os valores pagos aos inativos correspondem a 44% do total desembolsado desde a criação do programa.

O Ministério do Trabalho informou em nota que a regulamentação do bônus está em andamento e envolve também o Ministério do Planejamento e a Casa Civil.

A pasta também afirmou que não existe vinculação entre os valores das multas aplicadas pelos servidores e a remuneração variável. 

Procurado, o Sinait (sindicato nacional da categoria) não se manifestou.

 

Aumento… A venda das distribuidoras de medicamentos cresceu 21,6% em abril na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo a IQVIA, que audita a indústria, e a Abradilan (associação do setor).

…nas entregas A receita nos quatro primeiros meses de 2018 chegou a R$ 1,8 bilhão, uma alta de 9,6% sobre o mesmo período de 2017. O incremento em unidades no quadrimestre foi um pouco menor, de 4,5%.

Rescisão Dificuldade financeira foi o motivo apontado por 26% dos inquilinos que desocuparam imóveis na cidade de São Paulo no primeiro quadrimestre deste ano, segundo a imobiliária Lello. Há quatro anos, o índice era de 8%.

 

Mercado livre sinaliza que alta de produção pode ser generalizada

Quase todos os setores da economia no mercado livre (segmento de clientes de energia elétrica que, pelo tamanho, escolhem de quem contratar) registraram alta em abril.

Serviços e saneamento foram os únicos que tiveram quedas, de acordo com dados da CCEE (Câmara de Comercialização de Energia).

Não ocorria uma alta generalizada há 32 meses segundo a Comerc, comercializadora que produz levantamentos separados pelos setores econômicos. 

“A base de comparação, abril do ano passado, é o fundo do poço”, afirma Cristopher Vlavianos, presidente da companhia.

Os bons números de abril, porém, não se mantiveram. A paralisação dos caminhoneiros derrubou a produção e o consumo de energia — alguns dos clientes da Comerc tiveram impactos na casa de 20%.

A Elektra, outra comercializadora, monitora se houve sobras de energia contratada pelos clientes. Quanto mais perto de 100%, maior foi a produção das empresas, diz o diretor Fernando Umbria. 

“Foi acima de 99% em abril. Em maio, caiu para 96%.”

 

Sem tocar nos planos

A cooperativa paranaense Lar Agroindustrial ainda tenta mitigar os impactos da paralisação dos caminhoneiros, mas decidiu manter seu plano de investimentos, diz o diretor-presidente, Irineo da Costa Rodrigues.

A companhia planeja aportar cerca de R$ 150 milhões neste ano. Metade do montante irá para o aumento da produção de aves e suínos no Paraná e metade para a expansão do armazenamento de grãos no Centro-Oeste.

“Já normalizamos a parte de proteína animal, porém ainda temos áreas de negócio emperradas pela discussão sobre tabelamento de frete, principalmente o fornecimento de adubo e o escoamento de grãos.”

Além de afetar diretamente a produção, a crise dos caminhoneiros aumentou as despesas, afirma Rodrigues. 

“O nível de faturamento tem melhorado, crescemos 10% no ano até aqui, mas o resultado líquido está igual a 2017 por causa dos custos.”

R$ 5,06 bilhões
foi o faturamento da Lar Cooperativa Agroindustrial em 2017

 

Divisão das isenções

A Lei da Informática, que permite que produtoras de hardware usem parte do dinheiro de impostos em pesquisa, poderá beneficiar também o investimento em startups.

Há uma proposta do Ministério da Ciência e Tecnologia em consulta pública para mudar a norma, que é de 1991.

A ideia é permitir às companhias a escolha entre financiar pesquisa e desenvolvimento ou fazer aportes em fundos que investem em participações societárias de startups.

Não deve haver aumento do montante de renúncia fiscal (R$ 5 bilhões) ou nos valores injetados pelas empresas em decorrência da isenção (R$ 1,5 bilhão), diz Otavio Caixeta, diretor do ministério.

A consulta pública estará aberta para sugestões até o dia 29 deste mês.

 

Obstáculos… O gasto excessivo para manter o funcionamento das empresas é o principal entrave para investimentos em inovação, segundo levantamento da consultoria Vanson Bourne encomendado pela Rimini, de software.

…no caminho A questão foi mencionada por 77% dos 900 executivos ouvidos em países nos cinco continentes, inclusive no Brasil. Falta de apoio dos conselhos (76%) e limitação em contratos (74%) também estão entre as mais citadas.

 

com Felipe Gutierrez, Igor Utsumi, Ivan Martínez-Vargas e Diana Lott

Tesla corta 9% da força de trabalho em busca por lucro – Notícias


Por Salvador Rodriguez e Laharee Chatterjee

(Reuters) – A montadora de carros elétricos Tesla decidiu cortar milhares de postos de trabalho para reduzir custos e tornar-se lucrativa sem arriscar a evolução da produção do sedã Model 3.

Em email enviado aos funcionários, o presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, afirmou que os cortes são parte de uma simplificação na estrutura de gestão da montadora que tinha sido prometida no mês passado.

“Como parte deste esforço, e da necessidade de reduzirmos custos e nos tornarmos lucrativos, tomamos a difícil decisão de demitir cerca de 9 por cento de nossos colegas”, afirma o email.

“Estes custos são quase que inteiramente gerados por nossa equipe assalariada e nenhum dos funcionários da produção está incluído, então, isso não afetará nossa capacidade de alcançarmos as metas de produção do Model 3 nos próximos meses.”

A Tesla tem tentado atingir 5 mil unidades do Model 3 produzidos por semana depois de ter enfrentado problemas na produção. Na semana passada, Musk afirmou que a montadora deverá atingir a marca até o final de junho.

“As demissões vão ajudar a empresa a atingir a lucratividade no curto prazo, mas não a sustentá-la”, disse Efraim Levy, analista da CFRA Research, se referindo aos gastos da Tesla para elevar a produção.

A Tesla tem queimado caixa enquanto continua investindo em sua linha de produção e se preparando para novos projetos como o crossover Model Y e sua Gigafactory.

O fluxo de caixa livre da empresa ficou negativo em 1 bilhão de dólares no primeiro trimestre ante 277 milhões negativos no quarto trimestre, excluindo os custos de sistemas para a área de energia solar.

Governador de Connecticut assina lei do Grupo de Trabalho Blockchain em lei


O governador de Connecticut, Dannel Malloy, assinou o SB 443 como lei, que estabelece um grupo de trabalho para estudar a tecnologia, de acordo com documentos públicos 6 de junho. O grupo de trabalho também é encarregado de moldando um plano para “[foster] a expansão da indústria de blockchain no estado.”

O projeto de lei aprovou as duas casas legislativas no mês passado em uma votação unânime. Para tornar o Connecticut “um líder em tecnologia blockchain”, o grupo é instruído a:

“(1) Identificar o crescimento econômico e as oportunidades de desenvolvimento apresentadas pela tecnologia blockchain; (2) avaliar a indústria de blockchain existente no estado; (3) rever as necessidades da força de trabalho e os programas acadêmicos necessários para construir expertise em blockchain em todos os setores relevantes; e (4) fazer recomendações legislativas que ajudem a promover a inovação e o crescimento econômico reduzindo barreiras e acelerando a expansão da indústria de blockchain do estado. ”

O projeto de lei diz que o grupo de trabalho deve incluir nada menos que cinco membros que obtenham conhecimento. e experiência em blockchain ou representantes de indústrias que poderiam “beneficiar-se da tecnologia blockchain” e nada menos que dois membros da comunidade acadêmica. O Comissário de Desenvolvimento Econômico e Comunitário, ou representante designado pelo comissário, servirá como um membro ex officio do grupo.

Até 1º de janeiro de 2019, o grupo deve submeter um estudo e recomendações às comissões permanentes conjuntas. da Assembléia Geral, levando em consideração as questões relacionadas ao comércio, bancos e finanças, bem como a receita e o vínculo.

Em maio, a legislatura estadual de Nova York avançou um projeto semelhante para criar uma tarefa blockchain força. Se criada, a força-tarefa de Nova York prepararia um relatório para o governador, o presidente temporário do senado estadual e o orador da assembléia até dezembro de 2019.

Vários estados na US tomaram a iniciativa de formar sua própria legislação e regulamentos sobre tecnologia blockchain e criptocorrências. No mês passado, o Senado estadual do Colorado aprovou uma lei que regulamenta o uso da tecnologia blockchain para manutenção de registros do governo e segurança cibernética . O projeto de lei também incentiva as instituições de ensino superior a incluir blockchain tecnologias dentro de seus currículos e atividades de pesquisa

Em março, o governador do Tennessee assinou um projeto de lei que reconhece legalmente blockchain tecnologia e contratos inteligentes para transações eletrônicas. O projeto de lei também prevê que “protege os direitos de propriedade de certas informações protegidas pela tecnologia blockchain”.

Governador de Connecticut assina lei do Grupo de Trabalho Blockchain


O governador de Connecticut Dannel Malloy assinou o SB 443 como lei, que estabelece um grupo de trabalho focado emblockchain para estudar a tecnologia, de acordo com documentos públicos de 6 de junho. O grupo de trabalho também tem a tarefa de elaborar um plano para ” (estimular) a expansão da indústria blockchain no estado”.

O projeto de lei foi aprovado nas duas casas legislativas no mês passado em votação unânime. Para tornar Connecticut “um líder em tecnologia blockchain”, o grupo é instruído a:

“(1) Identificar o crescimento econômico e as oportunidades de desenvolvimento apresentadas pela tecnologia blockchain; (2) avaliar a indústria blockchain existente no estado; (3) rever as necessidades da força de trabalho e os programas acadêmicos necessários para construir expertise em blockchain em todos os setores relevantes; e (4) fazer recomendações legislativas que ajudarão a promover a inovação e o crescimento econômico, reduzindo as barreiras e acelerando a expansão da indústria blockchain do estado ”.

O projeto de lei diz que o grupo de trabalho deve incluir nada menos que cinco membros que obtenham conhecimento e experiência em blockchain ou representantes de indústrias que possam “se beneficiar da tecnologia blockchain” e não menos do que dois membros da comunidade acadêmica. A Comissário de Desenvolvimento Econômico e Comunitário, ou o representante designado pelo comissário, servirá como membro ex oficial do grupo.

Até 1º de janeiro de 2019, o grupo deve apresentar um estudo e recomendações às comissões permanentes da Assembléia Geral, levando em consideração as questões relacionadas ao comércio, ao setor bancário e financeiro, bem como à receita e ao vínculo.

Em maio, a Assembléia Legislativa de Nova York avançou um projeto semelhante para criar uma força-tarefa blockchain. Se criada, a força-tarefa de Nova York prepararia um relatório para o governador, o presidente temporário do senado estadual e o presidente da assembléia até dezembro de 2019.

Vários estados no EUA tomaram a iniciativa de formar sua própria legislação e regulamentação sobre a tecnologia blockchain e criptomoedas. No mês passado, o Senado estadual do Colorado aprovou uma lei que regula o uso da tecnologia blockchain para manutenção de registros do governo e segurança cibernética. O projeto de lei também incentiva as instituições de ensino superior a incluírem tecnologias blockchain em seus currículos e atividades de pesquisa.

Em março, o governador do Tennessee assinou um projeto de lei que reconhece legalmente a tecnologia blockchain e contratos inteligentes para transações eletrônicas. O projeto também prevê a “proteção os direitos de propriedade de certas informações protegidas pela tecnologia blockchain”.



Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA recuam inesperadamente com aperto no mercado de trabalho – Notícias


WASHINGTON (Reuters) – O número de norte-americanos que solicitaram auxílio-desemprego caiu inesperadamente na semana passada, apontando para um novo aperto nas condições do mercado de trabalho dos Estados Unidos.

Os pedidos de auxílio diminuíram em 1 mil, para 222 mil em números ajustados sazonalmente na semana encerrada em 2 de junho, informou o Departamento do Trabalho dos EUA nesta quinta-feira. Os dados da semana anterior foram revisados ​​para mostrar mais 2 mil pedidos do que o relatado anteriormente.

Economistas consultados pela Reuters previam que os pedidos de auxílio-desemprego aumentariam para 225 mil na última semana.

(Por Lucia Mutikani)

Fidelity gigante do investimento emite ofertas de trabalho para Devs do intercâmbio Crypto


A gigante dos investimentos Fidelity Investments está contratando desenvolvedores para construir uma troca criptografada relata reivindicação em 6 de junho citando correspondência interna.

Fidelity, com sua $ 2.45 trln sob gestão, permitiu que os clientes detivessem Bitcoin ao lado de ativos tradicionais, e agora circulam ofertas de emprego relacionadas à construção de uma “troca de ativos digitais”.

Especificamente, os executivos notificaram os funcionários que a empresa está procurando um Engenheiro de Sistemas DevOps "para ajudar a projetar, criar e implantar uma troca de Ativos Digitais em uma nuvem pública e privada", de acordo com a Business Insider citando a circular

. A Fidelity faz parte de um número cada vez maior de entidades do setor financeiro que buscam aumentar a interação direta com a criptomoeda.

Esta semana também se viu a Susquehanna International Gro, sediada na Pensilvânia . indicam que começaria a oferecer serviços de criptomoeda, inicialmente na forma de futuros de Bitcoin com opções de negociação supostamente a seguir.

No mês passado, o peso pesado global Goldman Sachs revelou

A Fidelity, no futuro, tentará no futuro oferecer “serviços de custódia de primeira classe para Bitcoin e outras moedas digitais”, de acordo com uma oferta adicional de trabalho.

A CEO da empresa, Abigail Johnson, tem sido uma defensora franca da Bitcoin há vários anos, mas, junto com outras autoridades, até agora não quis comentar sobre as novas iniciativas, informa a Business Insider.

Verge hacks: Trabalho interno ou total incompetência de desenvolvedores XVG? – CaptainAltcoin (blog)



CaptainAltcoin (blog) Verge hacks: Trabalho interno ou incompetência absoluta de desenvolvedores XVG? CaptainAltcoin (blog) Dois hacks em questão de alguns meses? As pessoas por trás da moeda Verge são incompetentes ou isso era um trabalho interno? Escolha seu veneno, pois não sabemos o que é pior: Competente + trabalho interno OU incompetente + trabalho externo. No caso de você não ter ouvido – o seu … e muito mais »

Itália rejeita pulseiras criadas pela Amazon para agilizar trabalho – Notícias


Roma, 2 fev (EFE).- O Governo italiano rejeitou nesta sexta-feira uma norma da companhia de comércio digital americana Amazon, que obrigaria os funcionários a utilizar pulseiras que registram seus movimentos, porque isto é contra as leis do país.

“A pulseira eletrônica da Amazon é contra a lei”, afirmou a vice-presidente dos deputados do governamental Partido Democrata e aspirante à Câmara dos Deputados nas próximas eleições gerais de 4 de março, Teresa Maria Di Salvo.

O ministro de Desenvolvimento Econômico Carlo Calenda se reuniu com membros da companhia aos quais explicou que “as únicas pulseiras usadas na Itália são as das joalherias. Expliquei e compreenderam que esta não é uma prática na Itália e nunca será”.

Estas declarações foram dadas depois que a Amazon patenteou uma pulseira que registra o movimento de seus funcionários dentro das instalações e indica onde estão em tempo real com o objetivo de ajudá-los em suas tarefas na empresa.

Esta iniciativa ainda é uma proposta, mas a intenção da companhia é que este bracelete guie os movimentos de todos os empregados quando estiverem nas fábricas para indicá-los, mediante vibrações, para onde devem se dirigir e agilizar seus serviços.

Projeto baseado em Blockchain para verificar a educação e o trabalho … | Notícia


Décadas atrás, David Geffen empresário bilionário, mentiu sobre participar e se formar na UCLA para obter um emprego na área de correio na agência de talentos William Morris. Ele estava desesperado para entrar em Hollywood e sabia que ele seria demitido se alguém descobrir. Então ele foi para o escritório cedo todos os dias por seis meses, esperando a carta da universidade. Quando finalmente chegou, ele o substituiu por outro dizendo que ele realmente se formou.

Ele aprendeu muito, rapidamente se tornou um agente de talentos e deixou a agência em seus próprios termos, sem dizer a verdade. "Eu tive um problema com a mentira para conseguir o emprego? Nenhum ", disse ele .

David Geffen foi motivado, criativo e apaixonado. Isso é algo que você não pode fingir em seu currículo, mas a maioria das pessoas que mintam seus empregadores acaba prejudicando o negócio. Eles simplesmente não têm habilidades para fazer o trabalho.

O momento da verdade

É muito improvável que os candidatos enganadores possam mentir em uma economia Blockchain. Aqui é uma boa notícia para os empregadores: EchoLink fundado por Steve Chen, Co-lead no Berkley Blockchain Lab anunciou o lançamento de uma nova moeda digital nesta semana. O arranque tem como objetivo proporcionar uma transparência real para o mercado de trabalho.

EchoLink verifica a educação, habilidades e experiência de trabalho de um candidato a emprego, economizando tempo aos recrutadores. O sistema pode ser usado para indústrias como bancos, finanças e muitos outros.

EchoLink está criando uma lista imutável de registros de trabalhadores de diferentes fontes e fornece todas as informações que os empregadores podem precisar. O Token EchoLink da plataforma ou o EKO da plataforma ajudam a plataforma a obter informações de bancos de dados em todo o mundo.

" A tecnologia Blockchain é um método de amarrar várias peças de informação entre si de tal forma que, quando um dado mudanças, todos os outros dados mudam com ele ", afirmou a empresa em comunicado. "Isso torna impossível para os funcionários alterar qualquer informação de fundo ou de credencial inserida sobre eles".

Um grau de decepção

O mercado global e-Education chegará a cerca de US $ 325 bilhões por 2025 . Somente nos EUA, a indústria de e-learning valia US $ 27 bilhões em 2016. Mas uma série de "usinas de diploma" também disparou: é cada vez mais difícil para os empregadores obter informações precisas.

Um dos maiores golpes de grau falso do mundo envolve Axact, "Uma empresa baseada em Karachi" se entregou emitindo diplomas falsos certificados e credenciamentos de centenas de universidades e faculdades em diferentes países, incluindo os EUA. Milhares de americanos, britânicos e canadenses compraram os documentos falsos.

Somente em 2013-2014, a Axact vendeu como muitos como 3.000 graus para cidadãos do Reino Unido, incluindo funcionários de saúde e um grande contratado de defesa. Alguns eram graus de mestrado e doutores. A empresa lançou falsos sites universitários, como Brooklyn Park University e Neil Wilson University.

Em agosto de 2017, um tribunal dos EUA acusou Umair Hamid, vice-presidente de Axact, de fraude "em conexão com um moinho de diplomas mundial". foi condenado a 21 meses de prisão e multa de US $ 5,3 milhões.

O caso Axact é o maior, mas não o único. Scott Thompson, "CEO do Yahoo", Marliee Jones, "O decano das admissões no MIT de 1997 a 2007", e George O'Leary, "Um antigo treinador da Universidade de Notre Dame mentiu para conseguir um emprego". Mas também muito engano em nosso mundo de pós-verdade e apenas Blockchain pode parar isso.

Aviso legal. A Cointelegraph não endossa nenhum conteúdo ou produto nesta página. Embora tenhamos o objetivo de lhe fornecer todas as informações importantes que possamos obter, os leitores devem fazer suas próprias pesquisas antes de tomar quaisquer ações relacionadas à empresa e assumir a total responsabilidade por suas decisões, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA têm queda inesperada com fortalecimento do mercado de trabalho – Notícias


(Reuters) – O número de norte-americanos que entraram com pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos caiu inesperadamente na última semana, indicando aperto do mercado de trabalho e fortalecimento da economia no início do ano.

O Departamento de Trabalho dos EUA informou nesta quinta-feira que os pedidos iniciais de auxílio-desemprego caíram em 1 mil na semana encerrada em 27 de janeiro, para 230 mil em números ajustados sazonalmente.

Economistas consultados pela Reuters previam um aumento para 238 mil na semana passada. A semana passada marcou a 152ª semana seguida em que os pedidos permaneceram abaixo da marca de 300 mil associada com um mercado de trabalho forte.

(Reportagem de Lucia Mutikani)