Azul aumenta taxas para despacho de bagagem em até 50% em voo doméstico – Notícias


  • Daniel Labanca

A Azul aumentou as taxas para despacho de bagagem nesta terça-feira (19). Nos voos nacionais da tarifa “Azul”, que inclui apenas uma bagagem de mão no preço da passagem, a taxa subiu 50%, de R$ 40 para R$ 60, para o cliente que quiser despachar uma mala de até 23 kg, desde que a solicitação seja feita pela internet ou telefone.

Se o cliente deixar para solicitar o despacho da bagagem apenas no aeroporto, a taxa será de R$ 80, um aumente de 33% em relação ao valor cobrado anteriormente, de R$ 60.

Caso a bagagem supere o peso de 23 kg ou as dimensões permitidas, será cobrado um valor extra de R$ 150 por mala no aeroporto. Antes do reajuste, a taxa era de R$ 130.

Na tarifa “Mais Azul”, que permite levar bagagem de mão e uma mala de até 23 kg, o cliente pagará R$ 100 para despachar uma segunda bagagem de 23 kg se a solicitação for feita no site ou telefone, e R$ 120 no balcão do aeroporto.

Nos voos internacionais para a América do Sul, o cliente que tiver passagem comprada com base na tarifa “Azul” pagará US$ 20 na primeira mala de 23 kg despachada, se a reserva for pelo site, aplicativo ou telefone, e US$ 30 no balcão do aeroporto.

Na tarifa “Mais Azul” a primeira mala está incluída no preço da passagem. O despacho de uma segunda mala custará US$ 40 se reservada pela internet ou telefone, ou US$ 60 no balcão.

Nos voos para os Estados Unidos, o cliente pode enviar até duas malas de 23 quilos na classe econômica, ou três malas de 23 quilos na classe executiva.

Macaé, líder em royalties de petróleo, quer plano para diminuir as taxas – 10/06/2018 – Mercado Aberto


O prefeito de Macaé (RJ), Aluízio dos Santos Júnior (MDB), quer que a taxa de royalties dos campos de óleo que estão em declínio seja reduzida quando a produção atingir um determinado volume.

Royalties são compensações às cidades pela exploração de um bem mineral na área delas.

À medida que os poços envelhecem, custa mais para tirar o óleo, e as petroleiras evitam os campos maduros. A redução dos royalties tornaria essa extração mais competitiva.

Há uma proposta da Agência Nacional do Petróleo (ANP), em consulta, para mudar o cálculo da taxa nesses casos. “Propusemos uma redução na curva incremental: por exemplo, o que exceder 1 milhão de barris gerará um valor mais baixo”, diz Aluízio.

Macaé é o município que mais recebeu dinheiro dessa origem em 2018 —foram R$ 210 milhões. A atividade industrial ligada à Bacia de Campos está concentrada lá, diz, e uma saída das petroleiras representaria perdas significativas.

Outras cidades beneficiadas pela Bacia, mas sem presença forte desse setor não têm esse incentivo, afirma. “Não há consenso entre os prefeitos.”

As reservas em terra no Nordeste também começam a declinar, diz Alejandro Duran, da Abespetro (das prestadoras de serviços). “Somos favoráveis a baixar os royalties porque a medida ativaria nosso setor.”

 

Após paralisação, empresas buscam advogados por indenizações

Empresas afetadas pela paralisação dos caminhoneiros começaram a procurar escritórios de advocacia para obter indenizações pelo não recebimento de mercadorias.

“Atores da indústria automotiva e do comércio exterior, por exemplo, têm nos consultado para avaliar se é possível demonstrar que houve dano e que há um responsável pelo problema”, diz Fabio Alem, sócio do Veirano.

Boa parte das empresas ainda contabiliza as perdas, mas algumas já avaliam litigar pelos valores, segundo Helena Abdo, do Cescon Barrieu.

“Um cliente do setor de produtos alimentícios previu prejuízo de R$ 20 milhões, por exemplo”, afirma.

A orientação até o momento tem sido evitar litígios porque os prejuízos ocorreram por motivos de força maior, diz Eliane Carvalho, sócia do Machado Meyer.

Em alguns casos, porém, esse princípio não se aplica, afirma Tiago Zapter, sócio do escritório Trench Rossi Watanabe, que também recebeu consultas.

“Tivemos alguns casos em que se conseguiu uma liminar para liberar a carga, mas, quando a polícia chegou ao local, não havia bloqueio.”

 

Chega de expansão

A Almaviva, de call centers, recebeu cerca de R$ 280 milhões de uma captação feita pela sua matriz na Itália.

O aporte foi usado para trocar as dívidas curtas no Brasil por outras mais longas no exterior e para reforçar o caixa para aquisições, afirma o diretor-geral Alberto Ferreira.

“Somos uma empresa com receita de R$ 1 bilhão e chegamos a um ponto em que não há como crescer mais de forma orgânica [sem aquisições].”

A Almaviva tem dois possíveis alvos de compra sob avaliação neste momento. 

“Procuramos empresas que faturem pelo menos R$ 100 milhões. Algo menor que isso daria tanto trabalho para incorporar que não valeria a pena”, afirma Ferreira.

Tornou-se necessário reduzir a representatividade do setor de telecomunicações, responsável por dois terços do faturamento atual, diz

“Clientes muito grandes, como os de telecom, possuem volume, mas trazem uma rentabilidade menor.”

30 MIL
são os funcionários

 

Pequenas endividadas

O número de micro e pequenas empresas inadimplentes cresceu 8,9% em março deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Serasa.

O baixo crescimento econômico de 2017 e dos primeiros meses de 2018 não conseguiu impulsionar os setores de serviços e comércio, nos quais mais de 90% dessas empresas atua, afirma Luiz Rabi, economista do birô.

O índice vem de um ciclo de altas sucessivas mensais. A projeção inicial para este ano era de queda, mas foi frustrada pela incerteza política e pelo aumento do desemprego, que afeta o consumo nesses segmentos, diz Rabi. 

“Se a inadimplência se mantiver nesse patamar no segundo semestre, será uma boa notícia. Agora, torcemos por uma estabilização”.

 

Via… O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, pretende criar uma “fast track” (caminho mais rápido) para acelerar exportações e gerar renda e empregos na cidade.

….expressa Cerca de 30 lideranças de entidades de vários setores se reuniram na sexta-feira (8) com Covas e o presidente da SP Negócios, Juan Quirós.

Lição de casa Em 30 dias, em reunião já agendada com a prefeitura, empresários deverão apresentar medidas para acelerar as vendas ao exterior.

Verde A Eletropaulo investiu R$ 9,6 milhões  em 28 veículos trituradores para reciclar os resíduos de podas de árvores, como galhos e folhas.

Merenda A Snack Saudável, de lanches infantis, vai abrir sua primeira franquia em São Paulo. Com 42 pontos no país, o plano é abrir mais nove unidades até o fim de 2018.

Caixa rápido A experiência do pagamento é a que mais conta na avaliação dos consumidores de compras presenciais, segundo 85% dos consumidores entrevistados pelo Centro de Inteligência Padrão.
 

 

com Felipe Gutierrez, Igor Utsumi, Ivan Martínez-Vargas e Diana Lott

Mercado Bitcoin Elimina Taxas de Depósito Depois de Perder Espaço para Concorrência


Concorrência no mercado de corretoras está cada vez mais acirrada (Foto: Shutterstock)

No topo das buscas do Google, mas em terceiro lugar em volume de Bitcoin negociado no país, a exchange brasileira de criptomoedas Mercado Bitcoin eliminou na terça-feira (05) as taxas para quem depositava dinheiro na sua plataforma. Conforme o comunicado para a imprensa, a iniciativa faz parte da estratégia de expansão de operações da empresa.

A prática, que penalizava os investidores, era exclusiva da empresa no Brasil e durou cinco anos. A taxa de depósito tornava a mais antiga corretora brasileira menos competitiva, uma vez que era cobrada uma taxa de 1,99% a cada depósito em reais feito por um usuário — um custo a mais.

Embora a empresa afirme ter batido um milhão de clientes, ela vem perdendo espaço no mercado. Até 2016, a Mercado Bitcoin era líder em termos de negociação de Bitcoin, a criptomoeda de maior preço. Contudo, ela foi ultrapassada pela Foxbit no final do ano passado, que assumiu a liderança da comercialização de BTC no país. Em maio deste ano, o segundo lugar no segmento ficou com a Bitcoin Trade.

Mercado Bitcoin em 2018

Conforme a assessoria de imprensa da empresa, o CEO e sócio fundador do Mercado Bitcoin, disse que as taxas cobradas foram fundamentais para garantir uma operação saudável. A corretora também anunciou que deve investir cerca de R$ 10 milhões em Tecnologia da Informação e em Segurança da Informação, para melhorar ainda mais as funcionalidades e a confiabilidade da plataforma de trading.

Em 2018, a empresa tem fortalecido sua estrutura no país, com a contratação de nove profissionais de mercado para o board da companhia e com a criação de um Conselho Consultivo, composto pelos melhores especialistas do setor.

No mês passado, a empresa contratou Reinaldo Rabelo, ex-diretor da B3, para assumir a diretoria Jurídica, de Riscos e Compliance da companhia. Outros dois executivos também assumiram: Deborah Gouveia Abi-Saber, ex-Red Bull, assumiu a diretoria de Recursos Humanos e Fabrício Tota, que vem da corretora de valores SOCOPA, é o novo diretor de OTC (Grandes Contas).

Leia mais: Brasil: Muitas Exchanges de Criptomoedas e Pouco Volume de Bitcoin

 

BitcoinTrade

Comprar e vender Bitcoin e Ethereum ficou muito mais fácil. A BitcoinTrade é a plataforma mais segura e rápida do Brasil. Além disso, é a única com a certificação de segurança PCI Compliance. Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android: https://www.bitcointrade.com.br/



Maior Corretora de Moedas Digitais da América Latina Zera Taxas de Depósito


Mercado Bitcoin Zera Taxas de Depósito

O Mercado Bitcoin, maior corretora de moedas digitais da América Latina, passa a oferecer, a partir desta terça-feira, 5 de junho de 2018, isenção total de taxas para depósitos em reais voltados à aquisição das diversas criptomoedas negociadas na plataforma.

A iniciativa faz parte de um plano de longo prazo para expansão das operações do Mercado Bitcoin no país. “As taxas que cobramos, até então, foram fundamentais para garantir uma operação saudável e a construção da melhor e mais confiável plataforma para negociações de criptomoedas do Brasil e da América Latina. Investimos em infraestrutura tecnológica e em segurança, assim como na contratação dos melhores profissionais do mercado brasileiro”, afirma Gustavo Chamati, CEO e sócio-fundador do Mercado Bitcoin. “Agora, estamos prontos para oferecer a isenção de taxas para depósito, sem afetar a confiança, segurança e experiência dos clientes”, acrescenta.

Neste ano, o Mercado Bitcoin deve investir cerca de R$ 10 milhões em Tecnologia da Informação e em Segurança da Informação, com o objetivo de melhorar ainda mais as funcionalidades e a confiabilidade da plataforma. Além disso, desde o início de 2018, a empresa tem fortalecido sua estrutura no país, com a contratação de nove profissionais de mercado para o board da companhia e com a criação de um Conselho Consultivo, composto pelos melhores especialistas do setor.

Os planos de crescimento do Mercado Bitcoin para este ano incluem ainda o fortalecimento de parcerias estratégicas, voltadas a oferecer novos produtos e serviços, assim como para educar os brasileiros para explorar o máximo potencial das criptomoedas e do blockchain.

“Queremos liderar a construção de um novo mercado no Brasil, baseado no uso de moedas digitais e de blockchain. Enxergamos que estamos vivendo apenas o início de uma revolução que deve favorecer toda a sociedade e o país. E para isso, reforçamos neste ano nosso compromisso de educar os brasileiros, por meio da oferta de conteúdos e informações relevantes sobre criptomoedas para os mais diversos perfis de investidores”, conclui Chamati.

Sobre o Mercado Bitcoin: O MercadoBitcoin.com.br foi criado em 2011 como site para intermediação de compras e vendas de moedas digitais e, em 2013, os atuais sócios-fundadores adquiriram a plataforma e formalizaram como uma empresa focada na negociação de moedas digitais. Hoje, o Mercado Bitcoin é a maior empresa de moedas digitais da América Latina. Em fevereiro de 2018 atingiu o marco de 1 milhão de clientes.

Exchanges Reduzem Drasticamente Taxas de Transação de Criptoativos


Na última semana, a CoinDesk, portal de notícias sobre criptomoedas, divulgou o relatório “State of Blockchain”. O documento, feito trimestralmente, é um dos mais importantes e completos relatórios de análise do mercado de criptoativos. Nele, encontra-se dados sobre preço, valores, tendências, expectativas dos investidores, etc.

Apesar de informar uma tendência de queda das moedas digitais desde o começo do ano, o relatório também trouxe pontos positivos do mercado, principalmente sobre taxas de transações entre criptomoedas na maioria dos sites de câmbio.

No mercado, há exchanges que cobram taxas apenas para retiradas. É o caso da ABCC (AlphaBit CryptoCurrency), Baseada em Singapura, é a primeira plataforma a oferecer trocas, pelo menos até o momento, sem custos entre bitcoins e outras criptomoedas.

A exchange também está oferecendo recompensas em bitcoin por tempo determinado. Os cadastrados recebem 0,05% do valor da transação diária em bitcoins, incluindo compras e vendas. Se o cliente convidar outros usuários, essa porcentagem aumenta dependendo da quantidade de novos investidores, e se os mesmos fizerem algum tipo de transação ou troca. Segundo o “State of Blockchain”, o domínio do bitcoin no mercado voltou a crescer, passando de 37% desde o início do ano para 47% este mês.

A ABCC foi criada em abril de 2018 pelo empresário, político e atual assessor do fundo de investimento em Blockchain de Hong Kong. Estão disponíveis 17 tipos de criptomoedas, mais de 30 pares de trocas e moedas novas toda semana. Por enquanto, a política de taxa zero visa atrair maior participação nas trocas dentro do site, acreditando que a tecnologia da blockchain e a digitalização de ativos são modelos de negócios sustentáveis dentro da economia mundial.

Para mais informações acesse o site da ABCC ou envie um email para [email protected].

Sobre a ABCC

A ABCC (AlphaBit CryptoCurrency) é um site de troca de criptomoedas. Adotamos a filosofia de uma blockchain aberta, sem atritos e participativa. A ABCC foca em ajudar investidores a identificar ativos financeiros valiosos de blockchain, oferecendo uma plataforma de transações online segura e fornecendo outros serviços de negociação profissional.



Países europeus se unem para criticar taxas dos EUA sobre aço e alumínio – 03/06/2018 – Mercado


A cúpula dos ministros das Finanças do G7 terminou na noite de sábado (2) com um protesto unânime contra a agressiva política comercial dos Estados Unidos. 

Os principais aliados de Washington enviaram uma mensagem unificada de consternação, pedindo ao presidente americano Donald Trump que revogue as tarifas sobre o aço que entraram em vigor na sexta-feira (1).

“Os ministros das Finanças e diretores de bancos centrais pediram ao secretário do Tesouro americano Steven Mnuchin que informe à Casa Branca sobre a preocupação unânime e a decepção”, declarou o ministro das Finanças do Canadá, Bill Morneau, no encerramento dos três dias de reunião em Whistler, uma estação de esqui na região oeste do Canadá.

O ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire, também expressou a indignação da França quando as reuniões terminaram. 

“Ainda temos alguns dias para tomar os passos necessários para evitar uma guerra comercial entre a União Europeia e os EUA, e para evitar uma guerra comercial entre membros do G7”, disse Le Maire a jornalistas depois da conclusão da reunião. 

“Quero deixar claro”, disse Le Maire, “que cabe ao governo dos EUA tomar as decisões certas para aliviar a situação e aliviar as dificuldades”. Evitar a guerra comercial “dependerá da decisão que a administração [dos EUA] está pronta para tomar nos próximos dias e nas próximas horas –não estou falando sobre as próximas semanas”, acrescentou.

Como sinal de desacordo, a reunião do G7 Finanças acabou sem uma declaração comum, e sim com uma sucessão de coletivas de imprensa em separado.

Na falta de um entendimento comum, a disputa deverá continuar na cúpula do G7 nesta semana, em Quebec, também no no Canadá, onde se espera que Trump enfrente outros chefes de Estado, enquanto a economia global beira o conflito comercial.

Em um momento em que a economia mundial cresce a um ritmo saudável (+3,9%) depois da crise financeira de 2008, Alemanha, Canadá, França, Japão, Itália e Estados Unidos deveriam alinhar suas medidas para assegurar que este crescimento seja compartilhado por um número maior.

“Infelizmente, essas discussões se viram ofuscadas pelo fantasma de uma guerra comercial, que o governo Trump intensificou contra seus aliados ao aplicar novas tarifas sobre o aço e o aluminío. Esses impostos espancam o comércio aberto e a confiança na economia mundial”, lamentou  Morneau.

“O G7 foi tenso e difícil”, resumiu Le Maire, comentando ainda que a reunião foi mais um “G6 + 1”, com os Estados Unidos “contra todos, que correm o risco de uma desestabilização econômica do planeta”. 

Mnuchin, no entanto, subestimou as divergências e disse que os Estados Unidos estavam comprometidos com o processo do G7. 

O ministro das Finanças da Alemanha, Olaf Scholz, disse aos repórteres que as tarifas dos EUA são “um problema muito sério” para as relações transatlânticas.

As tarifas de Trump sobre os maiores fornecedores de aço ocuparam o centro a agenda desse evento de construção de consenso entre os países que respondem por cerca de metade do PIB global. 

Ao fim nas conversações de Whistler, Donald Trump enviou novos tuítes criticando o livre comércio.

“Se tributamos um país a taxa 0 para que nos venda seus bens e, em troca, ele tributa em 25, 50 ou 100% para vender os nossos (…) não é um comércio livre e justo, é um negócio estúpido!”, escreveu.

Em uma segunda mensagem, voltou a enfatizar que, com um déficit de bens no valor de US$ 800 bilhões, os Estados Unidos foram “fraudados por outros países durante anos”. 

Incluindo os serviços, o déficit dos Estados Unidos em relação ao resto do mundo chegou a US$ 566 bilhões em 2017.

‘A CULPA É DELES’

O principal conselheiro econômico do presidente Donald Trump reconheceu neste domingo que o conflito comercial que opõe Washington e aliados pode ter consequências para a economia americana.

Larry Kudlow disse ser possível que as diversas tensões comerciais afetem a vigorosa economia americana. “Não é culpa de Trump. É responsabilidade de China, Europa e TLCAN. É culpa daqueles que não querem intercâmbios comerciais, tarifas e proteção recíproca. Trump reage a décadas de abuso”, afirmou.

A chanceler do Canadá, Chrystia Freeland, disse na rede CNN que as políticas protecionistas não funcionam: “É a lição dos anos 1920 e 1930 (…) Espero realmente que não retornemos a tudo isso.”

Há ainda outra grande batalha comercial em curso, que foi iniciada por Trump contra a China. 

Neste domingo, o governo chinês divulgou nota direcionada aos EUA afirmando que qualquer acordo alcançado sobre comércio e negócios entre os dois países será anulado se Washington implementar tarifas e outras medidas comerciais. Até a noite deste domingo, os EUA não havia comentado a nota.

Os Estados Unidos e a China têm reciprocamente ameaçado tarifar produtos em até US$ 150 bilhões.

O comunicado surge no momento em que os dois países terminaram sua última rodada de negociações em Pequim. O secretário americano do Comércio, Wilbur Ross, está encontra em Pequim para uma negociação de três dias.

Taxas de Transação do Bitcoin para os Mais Baixos dos Últimos Anos


(Foto: Shutterstock)

Como taxas de câmbio na Bitcoin, uma taxa de capitalização de mercado, -se, em média, US $ 0,0777 por transação

Isto, de acordo com o site BitInfoCharts que aglomera-se sobre as várias criptomoedas. De acordo com a mesma fonte, as taxas de câmbio na BTC chegaram a subir, em média, no valor de US $ 54 no final do ano passado, quando a taxa de câmbio atingiu o valor de US $ 20,0000.

Taxa de média de compra

A redução no valor das taxas de transação deve ser feita em vários fatores. Entre eles, temos o número de novos recursos na rede, que é como o valor da criptomoeda diminuída desde o final do ano passado, de tal forma que o Além disso, o Bitcoin também é usado . disso, uma tecnologia por detrás da criptomoeda tem se desenvolvido. A Lightning Network, por exemplo, já conta com mais de 2.000 nós e 6.500 canais, com capacidade superior a 21,5 BTC (19659003). structure ser handheld automatically computing to embedded do SegWit, uma solução que reduz o tamanho das transações e que agrupa blocos de modo a descongestionar uma rede. O segmento já representa mais de 40% das transações do bitcoin.

Recentemente, também reduziu o número de transações na rede Bitcoin . Isto graças ao agrupamento, uma medida que torna possível a impressão de transações correntes, e que foi adotado por várias empresas e corretores

Em conversa com o The Independent o CEO de uma empresa que ajuda outras A pagar os pagamentos em Bitcoin e Ethereum através do NFC, Danial Daychopan, que faz a redução nas taxas de futuro do criptomoeda. Ele disse:

"Bitcoin não é apenas uma unidade de conta como o ouro, é também uma unidade de troca, que o ouro não é. O futuro do bitcoin está em seus gastos Não, não há investimento. ”

a Lightning Network e outras mídias vai aumentar, espera-se que As taxas de câmbio na Bitcoin continuam a diminuir. Neste momento, é possível ver-se as transações pagando as taxas mais baixas que R $ 1.

BitcoinTrade

Comprar e vender Bitcoin e Ethereum ficou muito mais fácil. Um BitcoinTrade é uma plataforma mais segura e rápida do Brasil. Além disso, é uma única com uma certificação de segurança PCI Compliance. Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOS ou Android: https://www.bitcointrade.com.br/

Notícia Altcoin: Iota (IOT) foi o mais melhor artista, saltando 13% quando Ethereum e Bitcoin Cash apreciaram ganhos – Taxas de Câmbio UK



Taxas de câmbio UKAltcoin Notícias: Iota (IOT) foi o melhor artista, saltando 13%, enquanto Ethereum e Bitcoin Cash Apreciamos Gains Exchange Rates UKThe preço da maior criptomoeda subiu na quinta-feira ajudando a arrastar os menores alt-moedas maiores com ele. Iota (IOT) teve o melhor desempenho, saltando até 13%, enquanto Ethereum e Bitcoin Cash tiveram desempenhos positivos. O grande problema para um … e muito mais »

As taxas de transação Bitcoin são bastante baixas agora: por aqui



As taxas de transação relativamente altas na rede Bitcoin foram um dos principais tópicos de conversação no ano passado, mas essas taxas caíram até 2018. De acordo com dados da CoinMetrics, os mineiros de bitcoin agora estão coletando menos de um terço do valor eles estavam coletando taxas em um ponto em dezembro de 2017. Então, o que está causando esse declínio no custo das transações na cadeia? É tão simples como a diminuição da demanda que leva a um preço mais baixo? Existem outros fatores em jogo? Vamos dar uma olhada. Explicação simples para taxas mais baixas. Em 2017, o congestionamento na cadeia de blocos Bitcoin levou a uma guerra de licitação sobre o espaço em bloco, especialmente porque o interesse especulativo em bitcoin continuou a aumentar ao longo do ano. De acordo com CoinMetrics, bitcoin as taxas de transação começaram em 2017 em uma média de US $ 0,30, mas acabaram por chegar em mais de US $ 40 em dezembro. À medida que o preço triplicou durante um período de um mês a partir de meados de novembro até meados de dezembro, aqueles que estavam comprando bitcoin pela primeira vez simplesmente não se preocupavam com o quanto eles pagavam nas taxas de transação na cadeia. Esse gráfico da CoinMetrics mostra o preço da bitcoin e a taxa média de transação. À medida que o frenesi especulativo em torno do recurso bitcoin se acalmou um pouco em 2018, o número de transações transmitidas para a rede Bitcoin também diminuiu. De acordo com dados da Blockchain, o número de transações adicionadas ao mempool por segundo diminuiu quase 50% em relação aos níveis de dezembro. O número de transações adicionadas ao mempool por segundo está nos mesmos níveis que em maio de 2016. Dados via Blockchain. info. É possível que as taxas de bitcoin agora baixem simplesmente porque o FOMO em torno de obter algum bitcoin antes do preço ir para a lua diminuiu, levando a um declínio na demanda por espaço em bloco. Como as taxas de transação são denominadas em bitcoin, um preço de bitcoin decrescente também pode significar uma diminuição nas taxas de transação denominadas em dólares norte-americanos. Este gráfico de CoinMetrics mostra o nível de correlação entre as taxas de transação denominadas em bitcoin e dólares dos Estados Unidos. Outros fatores no jogo? Embora o raciocínio por trás da queda nas taxas de transação pareça bastante direto, também pode haver outros fatores em jogo. Uma explicação que tem foi lançado em mídias sociais, é que uma grande quantidade de novo poder de hashing chegou on-line, o que aumentou a freqüência em que blocos são encontrados. Isso aumentaria efetivamente a capacidade da rede. O número médio de blocos minados por dia deve ser de cerca de 144, com base no objetivo de 10 minutos no tempo de bloqueio, mas cerca de 164 blocos foram extraídos por dia no mês de janeiro de 2018. No entanto, Este não é um fenômeno novo. Como o engenheiro do BitGo Mark Erhardt apontou recentemente no Twitter, a Bitcoin funcionou há muito mais de 10 blocos por minuto devido ao fato de que os ajustes na dificuldade de mineração só são feitos a cada duas semanas. À medida que mais hashpower é adicionado à rede Bitcoin durante quase todos os períodos de ajuste de dificuldade, o ritmo no qual os blocos são minados aumenta até que a dificuldade seja eventualmente reajustada novamente. Ao dizer isso, os 164 blocos por dia de janeiro de 2018 são um pouco mais do que o normal, e 162 blocos foram extraídos por dia em dezembro de 2017 também. Para 2017 como um todo, o número médio de blocos minados por dia foi de cerca de 153, o que está próximo da média histórica por dia. Assim, se 10 extra fossem minados por dia em dezembro de 2017 e janeiro de 2018 (em comparação com o média de todos os tempos), houve efetivamente um aumento no fornecimento de espaço em bloco em mais de 600MB durante esse período, já que os blocos têm um pouco mais de 1MB de tamanho cada. Além do aumento do fornecimento de espaço em bloco por meio de mais blocos extraídos diariamente, também houve uma série de melhorias de eficiência habilitadas em termos de como a cadeia de blocos é usada por aqueles que desejam criar transações. O escritor e investigador Bitcoin, David Harding, escreveu recentemente sobre este tópico sobre o Bitcoin Wiki. Alguns métodos de redução das taxas de transações mencionadas por Harding incluíram lotes de transações, segregated Witness (SegWit), estimativa de taxa dinâmica e consolidação UTXO. O processamento de transações é quando um pagamento é enviado para vários destinatários através de uma transação na cadeia. Os dados disponibilizados por outputs.today parece mostrar um aumento no uso de lotes ao longo de 2017, incluindo um aumento notável a partir de final de novembro de 2017. Outro artigo escrito por Harding indica que esta técnica poderia permitir economias de taxas de transação de até 80 por cento. Outra maneira de reduzir as taxas de transação para todos é usar o SegWit, que é um garfo macio que permitiu um aumento do limite de tamanho de bloco (e, portanto, o fornecimento de espaço em bloco). Esse aumento para o limite do tamanho do bloco só é ativado se os usuários aproveitarem o recurso. No tempo de imprensa, cerca de 14 por cento das transações estavam usando o SegWit. Enquanto houve um aumento nas transações do SegWit durante o fim de semana, isso parece ter sido causado por usuários aproveitando as taxas atualmente baixas para mover seus fundos para os endereços da SegWit. Além disso para lotes e SegWit, outros métodos de usar o bloco de forma mais eficiente, como a consolidação de UTXO e a estimativa de tarifas dinâmicas, também podem levar a taxas de transação geralmente mais baixas. Algumas carteiras de Bitcoin não obtiveram o Memo. Quando as taxas pagas na rede declinaram claramente , algumas carteiras de bitcoin não aproveitaram o novo estado do mercado de taxas de transação. O novo site transactionfee.info permite aos usuários de bitcoin verificar a eficiência de preços de qualquer transação recente. Os usuários do site também podem informar a outros que carteira, troca ou outro serviço de bitcoin foi usado para gerar a transação. Isso permite que os visitantes tenham uma melhor idéia de quais serviços são os melhores para estimar um preço de taxa de transação eficiente. Na página inicial, a corretora de ativos digitais Coinbase freqüentemente é ouvida como um remetente de transações que poderiam ter sido enviadas por uma taxa de 80 a 90% menor . De acordo com o site, outros serviços de bitcoin que usam rotineiramente tarifas maiores do que o necessário são ShapeShift, Xapo, Electrum e Gemini.Coinbase recebeu algumas críticas devido ao fato de que o custodiante de bitcoin extremamente popular não implementou lotes ou SegWit. Dito isto, o CEO da Coinbase, Brian Armstrong, recentemente certou que a empresa está trabalhando em ambos os métodos para reduzir as taxas para seus clientes. Ao corrigir toda essa informação, torna-se mais fácil entender por que as taxas de transação de bitcoin caíram tão rapidamente este ano. No entanto, o grande número de diferentes variáveis ​​em jogo torna difícil dizer que existe uma razão pela qual as tarifas diminuíram. À medida que essas variáveis ​​mudam novamente no futuro, as taxas podem aumentar bastante rapidamente mais uma vez. Este artigo apareceu originalmente na revista Bitcoin.

Na última reunião de Yellen, Fed decide manter taxas de juros nos EUA – Notícias


Washington, 31 jan (EFE).- O Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos, decidiu nesta quarta-feira manter os juros de referência do país entre 1,25% e 1,5%, na última reunião de Janet Yellen como presidente da instituição.

Em comunicado divulgado após uma reunião de dois dias sobre a política monetária dos EUA, o Fed, que agora será comandado por Jerome Powell, destacou que prevê que a inflação no país suba neste ano, o que indica a possibilidade de um ajuste nas taxas de juros no próximo encontro da instituição, em março.