Proposta da Rússia à Opep sobre petróleo contempla somente 3º trimestre – Notícias


O ministro de Energia da Rússia, Alexander Novak, afirmou neste sábado que a proposta que o país vai levar na semana que vem à cúpula do Opep+ – grupo que reúne os 14 membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e 10 aliados – contempla o aumento da exploração do óleo somente no terceiro trimestre deste ano.

A proposta de Novak abarca o aumento da produção em 1,5 milhão de barris por dia. “Primeiramente, queremos aumentar a produção apenas no terceiro trimestre. Em setembro, vamos monitorar a situação do mercado e decidir o que deve ser feito adiante”, afirmou o ministro em visita à Arábia Saudita, segundo relato da agência russa Tass.

O Opep+ foi formado em 2016 e é informalmente liderado por Arábia Saudita e Rússia – aliada, mas não membro do cartel. Para elevar os preços internacionais do barril do petróleo, o acordo estabeleceu a redução em 1,8 milhão de barris da produção diária dos signatários, distribuídos em cotas individuais. O acerto diz ainda que todas as medidas a serem tomadas pelo grupo têm de ser unânimes.

A parceria foi bem-sucedida e o preço do barril saltou para o nível de US$ 70, depois de aproximar dos US$ 25. Porém, diante da forte redução da produção da Venezuela e da saída dos Estados Unidos do acordo nuclear com o Irã, alguns membros do Opep+ viram espaço para recomposição das exportações.

Segundo Novak, caso seja aprovado no encontro que começa em 22 de junho, o acordo vai oferecer a todos os países membros possibilidades iguais para aumento de produção. “Acho que será justo distribuir volumes proporcionalmente às cotas de redução”, explicou o ministro.

Associação de Tesoureiros Russos se unem ao banco central da Rússia para testes a novo sistema bancário em blockchain



A Associação Russa de Tesoureiros Corporativos está se unindo ao banco central do país para testar a plataforma blockchain Masterchain, administrada pelo governo, anunciou o grupo na semana passada.

A associação está testando o Masterchain para facilitar as comunicações dentro do sistema bancário nacional, de acordo com o white paper da Masterchain. Isso marcaria o último movimento para usar a plataforma para substituir a rede de comunicação interbancária SWIFT, um caso de uso que foi discutido pela primeira vez em abril de 2018.

A plataforma foi criada pela FinTech Association, em colaboração com os 14 maiores bancos da Rússia, incluindo a VTB.

De acordo com o documento, o sistema incluirá bancos e agências governamentais russas responsáveis ​​pelo registro de contratos e pela regulamentação do mercado. A FinTech está alegando que a mudança para o Masterchain no processamento de contratos de hipoteca reduzirá os custos operacionais em até cinco vezes e, em vez de dias, as transações levarão minutos.

O projeto também deverá produzir um mecanismo KYC baseado em uma identidade digital para que os bancos possam compartilhar históricos de crédito e informações sobre casos de fraude sem violar o sigilo bancário. O sistema também vai lidar com garantias bancárias e cartas de créditos

No entanto, o objetivo final da Masterchain ainda é substituir o SWIFT. Em particular, as preocupações de que as sanções dos EUA ou da União Europeia contra a Rússia em 2014 possam eventualmente remover a nação do sistema SWIFT estimularam a experimentação da Rússia com sistemas alternativos de comunicação financeira. Testes anteriores mostraram problemas com o processamento de diferentes formatos de documentos.

Bitcoin valorizou mais de US$100 só hoje

O preço médio do bitcoin em todas as exchanges globais está subindo, e já subiu mais de US $ 100 durante as negociações de hoje. Na hora do post, os preços…


Criptomoedas não são Solução, diz Presidente da Rússia, Vladimir Putin


Presidente russo durante o discurso na Coréia (Foto: Coréia do Sul / Flickr)

Tratar de criptomoedas com cautela no cenário interno, mas com ousadia não internacional. (19459021)

O primeiro livro da novela foi lançado pelo portal CCN a partir do presidente do presidente, Vladimir Putin, um um programa anual na TV russa não há perguntas de cidadãos. Algumas das aplicações se referiram justamente a uma aplicação que utiliza as criptografias feitas por Moscou [1965903] O Banco Central do país, que é contrário à sua adoção

“Na maioria dos países, a criptomoeda não significa uma solução. O Banco Central da Federação Russa acredita que as criptogramas não podem ser um meio de pagamento, liquidação ou reserva de valor. Essas contas não são garantidas por nada ”, disse o Presidente.

A precaução publicada por Putin é à mineração das criptomoedas, De que ajuda . “Não é regulado por nós, mas trataremos com cuidado.”

Cautela interna, ousadia externa

As restrições citadas por Putin não são unanimidade na Rússia. Ministros e outras autoridades – O nosso governo agora – ainda disponível agora para ser capaz de identificar o futuro.

A Rússia também é um terreno fértil para uma mineração de criptomoedas, a carregar para as vividas pelo país.

No separador externo, essa opção é realmente construído de um lado. Durante o programa de TV russa, Putin insinuou uma possibilidade de usar uma tecnologia blockchain para "impedir as finanças e os mercados globais", em uma referência às sanções à Rússia por Estados Unidos e outros países aliados de Washington.

O uso do blockchain já é estudado internamente na Rússia para sistemas de registro de registro de propriedades.

BitcoinTrade

A BitcoinTrade é um melhor solução para compra e venda de criptomoedas.
Negocie Bitcoin, Ethereum e Litecoin com total segurança e liquidez.
Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android: [19659015] https://www.bitcointrade.com.br/

Gov't da Rússia, gigantes corporativos formam empreendimento conjunto para desenvolver na Blockchain, IoT


Múltiplas gigantes corporativas russas, incluindo a estatal Gazprombank, criaram uma joint venture que planeja desenvolver projetos em blockchain e a economia digital, local de notícias TASS relatou 9 de junho

A empresa de telecomunicações russa MegaFon, a Gazprombank, a empresa estatal Rostec e o USM Group criaram uma joint-venture – a MF Technologies (MFT) – que vale US $ 450 milhões e tem participação de 59% na gigante russa da Internet. .ru.

A iniciativa pretende concentrar-se no desenvolvimento de soluções financeiras digitais através dos recursos da Gazprombank. De acordo com a TASS, a MegaFon afirmou que a MFT irá:

“permitir que os parceiros implementem de forma eficiente projetos abrangentes e inovadores em todos os setores, para implementar soluções baseadas na tecnologia blockchain e na Internet das Coisas

. Sergey Soldatenkov, CEO da MegaFon, acrescentou que a criação da joint venture separada é um “passo natural na implementação de nossa estratégia corporativa para atingir a meta ambiciosa de liderança digital”.

A TASS informou que a Rostec planeja utilizar a expertise da empresa. organização para o desenvolvimento de tecnologias digitais

Esta não é a primeira investida do Gazprombank no blockchain e crypto space: no final de março, o Gazprombank informou que começaria a testar transações piloto de criptomoeda na Suíça.

Além do turismo, Rússia espera poucos benefícios com a Copa do Mundo – Notícias


Moscou, 9 Jun 2018 (AFP) – Entre as barracas de bugigangas do principal mercado de souvenirs de Moscou, o vendedor Alexandre espera sem entusiasmo a chegada de diversos aficionados durante a Copa do Mundo, cujos benefícios econômicos não prometem ser generosos.

“Poderia se pensar que a Copa será uma boa oportunidade para vender souvernirs, mas não para nós”, lamenta o comerciante do mercado Izmailovski que, como outras feiras ao ar livre, ficará fechado durante a competição devido às medidas antiterroristas.

Embora a chegada de milhares de boleiros prometer encher restaurantes e hotéis, não parece que o evento vá ter efeitos duradouros para a economia russa, cujo crescimento deveria se situar entre 1,5% e 2% nos próximos anos.

A consultoria McKinsey estimou em cerca de 15 bilhões de dólares o aporte da Copa do Mundo ao Produto Interno Bruto (PIB) russo, “superando o impacto de campeonatos similares no Brasil, África do Sul, Alemanha e Coreia do Sul, e situando a Rússia no segundo lugar, atrás do Japão”.

Essa quantidade é sobretudo resultado de investimentos em estádios e infraestruturas de transporte que, divididos nos seis anos de preparação, geram impacto inferior a 0,2% do PIB da Rússia e não permitiram ao país evitar uma recessão em 2015 e 2016.

– Consequências escassas -“A Copa do Mundo durará apenas um mês, e o impulso econômico que vai gerar terá pouco impacto em relação a toda a economia russa, que pesa 1,3 trilhão de dólares”, explica Kristin Lindow, analista da agência de classificação financeira Moody’s.

“Não esperamos que a Copa do Mundo contribua significativamente para o crescimento econômico”, acrescenta.

O estudo da McKinsey prevê, no entanto, um efeito positivo para o turismo nos próximos cinco anos.

“Acho que a Copa do Mundo aumentará o turismo em 10% em Moscou”, ampliando em cerca de 250 milhões de dólares a receita anual de impostos da cidade, disse recentemente o prefeito da capital, Sergei Sobyanin, à emissora RBK.

“Organizar a Copa do Mundo não garante um aumento significativo no número de turistas”, afirma Igor Nikolayev, diretor do Instituto de Análise Estratégica FBK em Moscou, em entrevista à AFP.

O economista cita como exemplo as Olimpíadas de Inverno de Sochi em 2014. O número de turistas estrangeiros aumentou em 1,5 milhão no ano seguinte (+4%), mas caiu em 9 milhões em 2016, segundo dados da ONU.

Em um contexto de fortes tensões entre Moscou e países ocidentais desde a anexação da Crimeia e o conflito separatista no leste da Ucrânia, a Rússia sofre com um problema de imagem.

– ‘Bater recordes’ -A Rússia poderia receber 600 mil visitantes estrangeiros durante a Copa do Mundo, segundo os organizadores, ou até 1 milhão, segundo a agência federal de turismo.

Essas previsões são muito baixas em comparação com os 24,6 milhões de turistas que viajaram ao país em 2016, e até o 1,6 milhão que foi à Rússia para os Jogos de Sochi.

Espera-se, no entanto, que os hotéis e restaurantes das cidades-sede sejam ocupados por estrangeiros e pelos cerca de 700 mil russos esperados nas partidas.

Para atraí-los, as lojas lançam mão de todo tipo de atração, como o restaurante Didu, no centro de Moscou. “Nós instalamos um gol, bandeiras, uma tela gigante (…) sem aumentar os preços”, explica Maxime Zajarov, proprietário do estabelecimento.

Os guias turísticos também vão ter trabalho. É o caso de Viacheslav Jolopov, da agência Moscow Private Tours, que tem a maioria de suas visitas guiadas reservadas e prevê “bater recordes” neste ano, com quase 50% a mais de atividade que de costume.

A plataforma de aluguel de imóveis Airbnb afirma que cerca de 177 pessoas buscaram acomodações em seu site.

Embora a empresa não comunique dados sobre os preços, a AFP comprovou que as quantidades cobradas na plataforma e no site de reservas hoteleiras Booking eram de duas a três vezes superiores às de maio.

Vai viajar para a Rússia na Copa do Mundo? Conheça as cédulas interativas – Cara ou Coroa


A Copa do Mundo chegou. Depois de economizar nos últimos quatro anos, está na hora de trocar nossos reais pelo rublo, a moeda da Rússia, e torcer pela seleção brasileira.

Particularmente, não acho as cédulas e as moedas russas bonitas, embora, recentemente, o país tenha lançado algumas bem interessantes para celebrar a Copa do Mundo. Falei sobre elas aqui.

Mas, o mais legal são as novas cédulas de 200 e 2.000 rublos, lançadas em 2017, com as quais é possível “brincar” usando um aplicativo de realidade aumentada (assista aos vídeos abaixo).

A cotação do real para o rublo atualmente está em R$ 1 para 16,05 rublos. Ou seja, R$ 100 é equivalente a 1.605,58 rublos.


Leia também:


Para funcionar, basta instalar o app (só disponível na Rússia) e apontar para as cédulas. Na tela do celular, você vai ver o desenho das notas ganhando vida e se movimentando. Ele funciona apenas nas novas cédulas de 200 e 2.000 rublos.

O app também é usado como proteção, pois o efeito de realidade aumentada não funciona em cédulas falsas, além de apontar e explicar quais são seus elementos de segurança. Em ambas as cédulas, há um QR Code que leva até o site do Banco da Rússia com informações de segurança.

A cédula de 200 rublos tem os desenhos do monumento dos navios afundados em Savastopol de um lado. Do outro lado, ela tem o desenho das ruínas de Quersoneso.

A cédula de 2.000 rublos tem os desenhos do Cosmódromo de Vostochny de um lado. Do outro lado, está o desenho da ponte Russky, em Vladivostok, que conecta a ilha Russky ao continente.

Veja algumas fotos da cédula de 2.000:

MOEDAS:

As moedas são divididas entre 1, 5, 10 e 50 kopecks (que funcionam como centavos) e rublos de 1, 2, 5 e 10. Também há cédulas de 5 e 10 rublos. O que eu achei interessante nas moedas de kopecks é seu anverso. Todas exibem a imagem São Jorge, o padroeiro da Rússia. Já as moedas de rublo têm o brasão do país.

Um kopeck


Cinco kopecks


10 kopecks


50 kopecks


Um rublo


Dois rublos


Cinco rublos


Dez rublos


CÉDULAS:

Cinco rublos


Dez rublos


50 rublos


100 rublos


200 rublos


500 rublos


1.000 rublos


2.000 rublos


5.000 rublos


Siga o blog nas redes sociais e não perca nenhuma atualização:

Com Rússia enfrentando sanções, Copa do Mundo pode ajudar o Bitcoin


Os preços do Bitcoin poderão ter uma recuperação saudável, à medida que o maior evento esportivo do mundo, a Copa do Mundo, começar em duas semanas. O país anfitrião, a Rússia, enfrenta uma série de sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos – potencialmente abrindo as portas para as criptomoedas.

Como resultado do bloqueio econômico, dois dos maiores processadores de pagamento do mundo, a Visa e a Mastercard, serão parcialmente prejudicados durante a Copa do mundo 2018, levando os consumidores a usar o bitcoin como meio de pagamento em hotéis, vôos e despesas diárias. O preço do bitcoin vai reagir ao potencial aumento de uso na Copa do Mundo?

Gol do Bitcoin

Apesar das sanções, a Visa e a Mastercard ainda processarão a maioria das transações usando uma série de processos alternativos. No entanto, o aumento na demanda por bitcoin como uma opção de pagamento poderia levar a uma grande valorização.

O Kaliningrado – uma das onze cidades anfitriãs – está disponibilizando o pagamento de hotéis em criptomoedas. Vários bares e agentes de viagens estão abertos a aceitar pagamentos em bitcoin.

O evento internacional de futebol funcionará como um palco para o bitcoin provar seu valor como meio de pagamento, algo que ainda não conseguiu alcançar. Espera-se que o aumento na circulação de bitcoins influencie positivamente no preço.

Transformando o Trimestre

O bitcoin, juntamente com outras criptomoedas, teve um primeiro trimestre difícil em 2018. Esperava-se uma reviravolta durante e depois da Consensus em Nova York. Por mais supersticioso que possa parecer, a história indicou que durante e após a Conferência, uma das maiores conferências de criptomoedas, os preços do bitcoin tendem a aumentar.

Até mesmo Robert Sluymer, diretor administrativo e estrategista técnico da Fundstrat Global Advisors, previu que o preço do bitcoin iria “subir” após a Conferência. No entanto, nenhuma dessas previsões se confirmou.

Bitcoin – a única moeda global

Prever um aumento no preço do bitcoin durante o evento de futebol é mais razoável se a demanda fundamental e as forças de suprimento forem levadas em conta. De acordo com Thorsten Koeppl, professor de economia da Queen’s University no Canadá, quanto mais bitcoin é usado como meio de pagamento, maior o seu valor:

“O valor do Bitcoin é parcialmente impulsionado pelo seu potencial como meio de pagamento e, antes de as taxas subirem junto com o preço, havia pessoas usando o Bitcoin para transferências internacionais.”

Ainda é difícil defender a necessidade de uma moeda digital global. No entanto, os desafios específicos enfrentados pela Copa do Mundo de 2018 – um país anfitrião na Rússia que enfrenta sanções econômicas com as quais grandes corporações multinacionais – em especial americanas – precisam obedecer a ordem do presidente Trumph, demonstra a utilidade do bitcoin. A adoção relativamente ampla do Bitcoin em comparação com outros ativos digitais o coloca em posição superior em qualquer corrida para reivindicar o status de “moeda global”.

O preço do bitcoin aumentará devido à Copa do Mundo na Rússia? Compartilhe suas opiniões na seção de comentários abaixo.

Fonte

Guia do Bitcoin

Russia: PM Medevedev vê uma promessa em uma cripto reg… | News


O primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, acha que a regulamentação de criptomoedas não deve ocorrer em apenas um país, mas deve ser uma ação unificada em todos os países da Eurasian Economic Union (EAEU), o jornal local Vedomosti noticiou hoje, 2 de fevereiro.

Em uma conferência intitulada “Agenda Digital na Era da Globalização“, realizada hoje em Almaty, no Cazaquistão, Medvedev falou sobre a necessidade de regulamentação a nível internacional, especificamente no que diz respeito à EAEU, que é constituída da Armênia, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguistão e Rússia:

“É impossível introduzir esses princípios [regulamentando a criptomoeda] em apenas um país, nossa abordagem deve estar mais próxima do nível da União”.

Em dezembro de 2017, Putin sugeriu que criassem uma nova criptomoeda multinacional a ser adotada em todos os países da EAEU e BRICS, permitindo o uso da Blockchain e contratos inteligentes em todos esses mercados emergentes.

Embora Medvedev tenha falado apenas em relação à EAEU, ele repetiu essa idéia de um modelo de cripto-regulamentação multinacional no que diz respeito aos serviços de pagamento, e não apenas o protocolo Blockchain:

“Em qualquer caso, não devemos limitar-nos apenas a modelos nacionais. Meus colegas disseram aqui que as criptomoedas podem ser usadas para pagamento. Vamos abordar isso com cuidado, porque nossas economias estão tão fortemente e intimamente ligadas”.

Em março de 2017, Medvedev pediu ao Ministério das Comunicações e ao Ministério do Crescimento Econômico que iniciasse uma pesquisa nos potenciais usos da Blockchain no governo.

Mais recentemente, no Fórum Gaidar realizado em janeiro, Medvedev criticou as criptomoedas como uma bolha econômica que eventualmente desaparecerá, embora ele tenha dito que a tecnologia Blockchain permanecerá.



Rússia: PM Medvedev vê promessa no choro cruzado … | Notícia


O primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, acha que a regulamentação de cryptocurrency não deve ter lugar em apenas um país, mas deve ser uma ação unificada em todos os países da União Econômica Eurasiática (EAEU), jornal local de negócios Vedomosti relatado hoje, 2 de fevereiro.

Em uma conferência intitulada " Agenda Digital na Era da Globalização ", realizada hoje em Almaty, no Cazaquistão, Medvedev falou sobre a necessidade de regulamentação a nível internacional, especificamente No que diz respeito à EAEU, que é composta por Armênia, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguistão e Rússia:

"É impossível introduzir esses princípios [regulating cryptocurrencies] em um país, nossa abordagem deve estar mais próxima do nível da União "

Em dezembro de 2017, Putin havia sugerido criar uma nova criptograda multinacional a ser adotada em todos os países da EAEU e BRICS, permitindo o uso de Blockchain e contratos inteligentes em todos estes países emergentes

Embora Medvedev falasse apenas em relação à EAEU, ele repetiu essa idéia de um modelo de criptografia multinacional em relação aos serviços de pagamento, e não apenas Blockchain protocolo:

"Em qualquer caso, não devemos limitar-nos apenas a modelos nacionais. Meus colegas disseram aqui que as criptografia podem ser usadas para pagamento. Vamos abordar isso com cuidado, porque nossas economias estão tão fortemente e intimamente ligadas ".

Em março de 2017, Medvedev pediu que o Ministério das Comunicações e o Ministério do Crescimento Econômico iniciem a pesquisa no potencial Usos de Blockchain no governo.

Mais recentemente, no Fórum Gaidar realizado em janeiro, Medvedev criticou criptografia como uma bolha econômica que acabará por desaparecer, embora ele tenha dito que a tecnologia Blockchain permanecerá.