Trump deve participar na segunda-feira de reunião do conselho aeroespacial – Notícias


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve participar pela primeira vez nesta segunda-feira de uma reunião pública do principal conselho de política espacial da Casa Branca, destacando um compromisso pessoal com a exploração humana da lua e, eventualmente, com Marte.

A participação de Trump, de acordo com pessoas familiarizadas com os detalhes, tem como objetivo ajudar a impulsionar os esforços conjuntos de exploração do governo e da indústria aeroespacial.

Mas a vem ao mesmo tempo que o ex-presidente da Câmara dos Representantes Newt Gingrich e o general aposentado da Força Aérea Simon “Pete” Worden – dois partidários sinceros de empreendimentos no espaço – foram deixados de lado em um painel consultivo sobre o tema.

Ambos foram nomeados meses atrás para participar do painel, mas agora foram removidos da lista final de membros do conselho. Segundo fontes, questões jurídicas e comerciais prejudicaram o ingresso deles do grupo.

Gingrich, que informalmente assessorou a Casa Branca em uma ampla gama de tópicos, confirmou em um email no sábado que vai participar da próxima reunião do conselho espacial apenas “como cidadão público”, porque “meus advogados ficaram muito desconfortáveis com outro papel”. O ex-deputado confirmou que lhe foi oferecida uma posição mais oficial, que ele disse ter recusado.

O general Worden se recusou a comentar o assunto.

Um porta-voz do vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, que é o presidente do conselho espacial, também não se pronunciou. Fonte: Dow Jones Newswires.

Trump e Irã se estranham sobre preços do petróleo antes de reunião da Opep – Notícias


WASHINGTON/LONDRES (Reuters) – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o Irã trocaram farpas sobre os preços do petróleo nesta quarta-feira, com Trump culpando a Opep pela alta dos preços da commodity e Teerã acusando-o de estimular a volatilidade depois de ter saído do acordo global de armas nucleares no mês passado.

Trump começou o mais recente toma-lá-da-cá quando reiterou seu ataque à Opep em um tuíte que dizia que os preços do petróleo estavam muito altos e o cartel estava “de volta.”

Os preços do petróleo subiram cerca de 60 por cento no último ano depois que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e alguns produtores não-membros, incluindo a Rússia, começaram a reduzir a oferta em 2017. O cartel se encontrará em 22 e 23 de junho em Viena, e deve começar a aumentar a produção, talvez antes da validade dos limites no fim do ano.

O governador iraniano da Opep, Hossein Kazempour Ardebili, contra-atacou Trump em declaração à Reuters. “Você não pode instituir sanções em dois membros-fundadores da Opep e ainda assim culpar a Opep pela volatilidade dos preços”, ele disse, se referindo ao próprio país e à Venezuela. “Isso são negócios, Sr. Presidente, nós achávamos que você sabia disso.”

O acordo de oferta de petróleo continuará até o fim de 2018, mas os planos para a sua continuação são incertos. O cálculo mudou depois de Trump ter anunciado em maio que Washington estava se retirando do acordo de 2015 que restringia o programa nuclear do Irã.

A decisão dos EUA tem pressionado clientes europeus e asiáticos a parar de importar petróleo do Irã ou negociar com o país. A Arábia Saudita, rival do Irã e maior produtor da Opep, e a Rússia, maior produtor do mundo e integrante do acordo, já aumentaram a oferta. A Arábia Saudita apoiou a decisão de Trump de sair do acordo nuclear com o Irã.

(Por Susan Heavey, Doina Chiacu e Alex Lawler; Reportagem adicional por Jessica Resnick-Ault)

Opep destaca demanda incerta a poucos dias de reunião crucial – Notícias


(Bloomberg) — Faltando apenas uma semana para as negociações difíceis sobre uma possível elevação na produção, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo enfatizou a enorme incerteza sobre a demanda por combustível.

O relatório mensal do departamento de pesquisa da Opep destacou um “amplo intervalo de projeções” para a quantidade que os países integrantes precisam produzir no segundo semestre. Diante da incerteza referente a 1,7 milhão de barris diários, a demanda pode ser significativamente maior ou ligeiramente menor que a produção atual da Opep.

“Avaliando diversas fontes, prevalece a considerável incerteza sobre a demanda mundial por petróleo e a oferta vinda de fora da Opep”, afirmou o relatório publicado pelo secretariado da organização em Viena. “Essa perspectiva para a segunda metade de 2018 requer monitoramento de perto.”

Durante encontro em Viena na semana que vem, a Opep e aliados vão debater se retomam produção que foi paralisada. Arábia Saudita e Rússia declararam que desejam aumentar a oferta para impedir que o preço alto do barril prejudique o crescimento econômico. No entanto, a oposição por outros países produtores vem aumentando.

Demanda incerta

A principal previsão do cartel ? praticamente inalterada em relação ao relatório do mês passado ? indica necessidade de mais petróleo para satisfazer totalmente a demanda global. Contudo, o grupo deu uma ênfase atípica à incerteza em torno da estimativa.

De acordo com o último relatório, no segundo semestre serão necessários, na média, 33,34 milhões de barris diários produzidos pelos 14 integrantes da Opep, uma quantidade consideravelmente maior do que os 31,87 milhões de barris diários que produziram no mês passado. A produção na Venezuela continua diminuindo em meio à crise econômica e chegou a apenas 1,39 milhão de barris diários em maio.

O relatório também afirmou que “riscos de baixa podem limitar” a demanda, à medida que o crescimento se desacelera nas principais economias, os subsídios aos combustíveis são retirados e consumidores trocam petróleo por gás natural. O estudo também destacou o potencial para crescimento ainda mais rápido da produção em rivais da Opep, como EUA, Canadá e Brasil.

A estimativa no cenário básico da Opep é calculada a partir do teto do intervalo de projeções, de acordo com o relatório. Se a demanda pelo combustível ficar mais próxima ao piso do intervalo, a produção atual pelo cartel já seria um pouco maior do que o mercado demanda.

Apesar das incertezas, Arábia Saudita e Rússia aparentemente já estão aumentando a produção, revertendo quase 18 meses de contenção na oferta.

Segundo o relatório, no mês passado a produção saudita passou de 10 milhões de barris diários pela primeira vez desde outubro. Na primeira semana de junho, algumas empresas ultrapassaram os limites e a Rússia elevou a oferta para o maior nível em 14 meses, de acordo com uma pessoa com conhecimento do assunto.

Caminhoneiros e ANTT têm nova reunião sobre preço do frete na segunda-feira às 9h – Notícias


A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e representantes dos caminhoneiros marcaram para as 9h da segunda-feira (11) uma nova reunião, de caráter técnico, para discutir o tabelamento do preço mínimo para o frete rodoviário. O assunto criou um grande impasse no governo, que, sob pressão, já editou duas versões da tabela dos preços. A segunda foi revogada horas depois de ter sido divulgada, na noite de quinta-feira (7).

A primeira atendeu os caminhoneiros, mas revoltou o agronegócio e a indústria, que falam em aumentos de até 150% nos preços e ameaçam travar a comercialização e até ir à Justiça para barrar o tabelamento. A segunda procurou aliviar o custo aos produtores, mas contrariou os caminhoneiros, por ter levado a um corte médio de 20% nos preços.

Mesmo irritados com a revisão, os caminhoneiros se propuseram a buscar uma composição de preços que seja boa para eles e para os usuários de seus serviços. Representantes da categoria estão reunidos neste Sábado (9) para fazer as contas e levar uma proposta à ANTT na segunda. O encontro é fechado e as entidades não divulgam nem o local da reunião. Eles dizem que querem evitar ruídos que possam prejudicar as negociações.

A ANTT já avisou que uma eventual terceira versão da tabela, que pode ficar pronta no início da próxima semana, será submetida a uma audiência pública que durará de 30 a 45 dias. Na mesa, há inclusive a proposta de se estipular preços diferenciados para os períodos de safra e de entressafra.

Enquanto continua o impasse, segue em vigor a primeira versão da tabela, editada no último dia 30 de maio, nos termos da Medida Provisória 832/2018, que instituiu a Política de Preços Mínimos de Transporte Rodoviário de Cargas, uma das principais reivindicações dos caminhoneiros dentro do acordo firmado com o governo para pôr fim à paralisação da categoria, que durou 11 dias, no fim de maio.

Aprenda a usar o silêncio para informar e passar segurança numa reunião – Blogs


“A música é o silêncio entre as notas” (Claude Debussy)

A pausa bem-feita é de fundamental importância para projetar uma imagem profissional segura e positiva. Veja no vídeo curto acima quais são os cuidados que deverá ter com esse recurso para que você seja ainda mais bem visto e valorizado na vida corporativa e no relacionamento social.

Talvez você já tenha observado como se comporta um profissional que se inicia como entrevistado em programas de rádio e televisão. De maneira geral, se expressa com insegurança. Começa a responder antes mesmo de o entrevistador concluir a pergunta, emenda as frases nas respostas, sem produzir pausas adequadas, tendo mesmo dificuldade para respirar.

O profissional traquejado, experiente, acostumado a dar entrevistas se apresenta de forma bastante distinta. Aguarda com paciência e atenção o entrevistador encerrar a questão formulada, faz as pausas apropriadas, demonstrando assim que tem domínio da matéria e que as entrevistas não são novidade para ele.

A pausa não revela sua importância apenas nas entrevistas, mas sim, e principalmente, nas apresentações do dia a dia na vida corporativa, seja participando de reuniões internas ou de encontros com clientes ou fornecedores. Nos processos de negociação, nas palestras, nos workshops, na defesa de propostas, na exposição ou venda de produtos, a pausa é fator decisivo para o sucesso profissional.

Aquele que fala truncando as ideias, ligando as frases de maneira apressada ou produzindo pausas demasiadamente prolongadas demonstra insegurança, descontrole emocional, falta de domínio sobre o assunto discutido. O interlocutor quase nunca percebe o motivo pelo qual o avalia de forma tão negativa, mas quase sempre a causa é o uso inadequado da pausa.

Considere as seguintes questões relacionadas à pausa em suas apresentações

Ao encerrar um pensamento, faça a pausa com a maior tranquilidade que puder. Assim, irá valorizar a mensagem que acabou de transmitir, dará oportunidade para que os ouvintes reflitam sobre as informações que acabou de passar, poderá criar expectativa sobre o conteúdo que comunicará a seguir e demonstrará que tem o controle do assunto que expõe.

Quando você passar várias informações relevantes, além das pausas realizadas no final de cada uma delas, faça uma pausa mais prolongada, para que os ouvintes tenham tempo maior para pensar sobre o conjunto todo. Isso pode ser feito tomando um gole de água, folheando as anotações que levou como apoio ou se valendo de qualquer atividade que possa ser vista como natural na apresentação.

Outro resultado interessante da pausa é obtido quando o orador, após concluir o pensamento, fica em silêncio por algum tempo olhando para os ouvintes. A impressão que passa nesses momentos de pausa silenciosa, mantendo o contato visual com as pessoas, é a de estar repetindo sem palavras a mensagem que acabou de transmitir.

Você já deve ter observado também que algumas pessoas contam piadas, e os ouvintes caem na gargalhada, enquanto outras, ao contar a mesma piada, não conseguem nenhuma reação do público. De maneira geral, a diferença do resultado entre um caso e outro reside no uso adequado da pausa. Quem consegue o timing correto obtém bons resultados, criando comicidade, envolvimento e risos da plateia. Aquele que não tem esse timing bem desenvolvido não tocará nem envolverá os ouvintes.

Certamente, o timing deve ser associado a uma série de fatores, como, por exemplo, as expressões faciais, a entonação da voz, a harmonia da expressão corporal, e a uma série de outros ingredientes que precisam ser considerados. A verdade, entretanto, é que pouco valerá a boa utilização de todos eles, se a pausa não for bem explorada.

Normalmente, as pessoas inseguras fazem as pausas, especialmente as mais prolongadas, e se incomodam com aqueles segundos de silêncio. Por isso, tentam preencher as “lacunas” com ruídos desnecessários, como, por exemplo, ããããã, ééééé. Treine fazer pausas sempre silenciosas. Essa atitude demonstrará o controle e o poder que você tem sobre o assunto que desenvolve.

Há ainda um ponto relevante a ser explorado na pausa. Para que ela seja perfeitamente utilizada, depois de um momento de silêncio prolongado, o orador deve voltar a falar com mais ânimo, com mais energia para demonstrar que naqueles instantes silenciosos estava optando pelas melhores ideias, e não porque as palavras haviam desaparecido.

O bom uso das pausas é um dos ótimos recursos para ajudá-lo a se sair bem nas apresentações. Observe como os bons oradores e os atores renomados se comportam, todos, sem exceção, usam de forma bastante apropriada a pausa. Com a prática e a observação constante dos bons exemplos que estão à sua volta, irá aprimorar cada vez mais esse poderoso aliado, ou para falar em público, ou para as conversas no dia a dia.

Superdicas da semana:

  • Procure fazer pausa silenciosa no final das frases e das informações relevantes
  • Durante as pausas, sempre que puder, continue olhando para os ouvintes
  • – Depois das pausas mais prolongadas, volte a falar com mais ênfase.
  • Faça das pausas um recurso poderoso na sua comunicação

Livros de minha autoria que ajudam a refletir sobre esse tema: “29 Minutos para Falar Bem em Público”, publicado pela Editora Sextante; “As Melhores Decisões não Seguem a Maioria”, “Oratória para advogados”, “Assim é que se Fala”, “Conquistar e Influenciar para se Dar Bem com as Pessoas”, “Superdicas para escrever uma redação nota 1.000 no ENEM” e “Como Falar Corretamente e sem Inibições”, publicados pela Editora Saraiva; “Oratória para líderes religiosos”, publicado pela Editora Planeta.

Siga no Instagram – @reinaldo_polito
Siga pelo Facebook – facebook.com/reinaldopolito
Pergunte para saber mais contatos@polito.com.br

Reinaldo Polito

Autor de 25 livros que venderam mais de 1 milhão de exemplares, dá dicas de expressão verbal para turbinar sua carreira.



Reunião na Fazenda discute regulamentação de subsídios para o diesel – Notícias


Secretários dos ministérios da Fazenda, Minas e Energia e representantes do setor discutem em reunião nesta segunda-feira, 4, a elaboração do decreto que dará subsídio para a redução de tributos sobre o diesel.

Até sexta-feira, o governo deverá editar um novo decreto prevendo subsídio equivalente a R$ 0,30 por litro de gasolina, já que, na quinta-feira, vence o decreto que está em vigor determinando a mesma redução. O novo decreto vai prever subvenção até o fim do ano, conforme anunciado pelo governo.

No total, para acabar com a greve dos caminhoneiros, o governo retirou R$ 0,46 por litro em tributos, sendo que R$ 0,16 por litro será coberto com a reoneração da folha de pagamentos e a redução de benefícios para exportadores, e os outros R$ 0,30 por litro por meio de um programa de subsídio.

Padilha, Marun, Guardia e outros ministros participam de reunião com Temer – Notícias


O presidente Michel Temer está reunido com dez ministros e um secretário há mais de uma hora para tratar da paralisação dos caminhoneiros em todo o País, que chega ao sétimo dia neste domingo, 27. Os ministros fizeram uma reunião inicial de acompanhamento da crise por cerca de duas horas antes da chegada de Temer e, depois, por volta das 11h15, seguiram para o gabinete do presidente.

A expectativa é que as novas reivindicações dos manifestantes sejam discutidas no encontro. A categoria pede agora a ampliação de 30 para 60 dias no prazo de congelamento do preço do diesel, com desconto de 10%.

Estão presentes os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Torquato Jardim (Justiça), Carlos Marun (Secretaria de Governo), Sergio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional), Moreira Franco (Minas e Energia), Raul Jungmann (Segurança Pública), Eduardo Guardia (Fazenda), Esteves Colnago (Planejamento), a advogada-geral da União, Grace Mendonça, e o ministro interino Eumar Roberto Novacki (Agricultura). Também participa o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

Pelo Twitter, o General Villas Boas, comandante do Exército, disse há pouco que participa de uma reunião paralela, sob a coordenação do general Silva e Luna, ministro Defesa, para uma vídeo-conferência com os responsáveis pelas áreas de atuação na solução da greve.

Durante a noite de sábado, 26, entre balanço das 19h e das 22h divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), aumentou o número de pontos de manifestação identificados em rodovias federais de 1.163 para 1179. Desse total, 625 pontos foram desbloqueados entre o início das manifestações até as 22h de ontem. O número de pontos bloqueados de acordo com o último balanço é de 554.

Mais cedo, o general Santos Cruz, Secretário Nacional de Segurança Pública, participou da primeira reunião com os ministros, sem Temer. Antes de entrar, ele afirmou que a Força Nacional é um contingente pequeno, que está distribuído pelo País, e não é suficiente para “influir decisivamente em qualquer ação” para tentar acabar com a greve dos caminhoneiros.

Ele também afirmou que não existe o mínimo risco” das Forças Armadas cometerem algum tipo de erro ao requisitar veículos particulares, medida que foi autorizada ontem por meio de decreto. “Nosso pessoal é muito bem preparado. Não existe o mínimo risco de cometer qualquer erro, de cometer qualquer coisa fora da lei, qualquer coisa que seja condenável do ponto de vista não só legal, da própria educação.”

Questionado se uma possível greve dos petroleiros poderia representar um efeito cascata de paralisações no País, o general disse que “é preciso tomar cuidado com a exploração do movimento por interesses partidários”.

Reunião comercial da manhã da Ásia: o altcoin líder é Lisk – NewsBTC – newsBTC



newsBTCMorning negociação comercial asiática: o altcoin líder é Lisk – NewsBTCnewsBTCA saco misto saudou-nos durante a sessão de negociação asiática desta manhã. Um pouco de refrigeração da compra do mergulho estabilizou os mercados, mas eles ainda estão na maior parte do mundo. Olhando para o top 25, podemos ver que um altcoin está melhorando do que o resto … Cryptocurrency Lisk sobe em frente de 20 de fevereiro Relançamento | Hacked.comHackedall 2 artigos de notícias »

Maia defende autonomia do Banco Central em reunião com Ilan – Notícias


(Reuters) – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira que iniciou as discussões sobre a autonomia do Banco Central em encontro com o presidente da autoridade monetária, Ilan Goldfajn, e defendeu esta mudança, afirmando que ela teria impacto positivo na economia.

Maia lembrou que é autor de um projeto de lei que trata da autonomia do BC e avaliou que seria importante votar esta matéria ainda no primeiro semestre deste ano.

No encontro com Ilan, Maia disse que também discutiu pautas legislativas de interesse do Banco Central e formas de reduzir o spread bancário, a diferença entre o custo de captação de recursos dos bancos e os juros cobrados aos consumidores.

“Iniciamos muito levemente a retomada de um debate que eu tenho até um projeto de lei meu, que eu acho muito importante, que é tratar da autonomia do Banco Central”, disse Maia a jornalistas em Brasília.

“Eu acho que isso também tem impacto na economia muito forte. Acho que se a gente conseguisse avançar neste tema e nesse debate e até votar, se tiver agenda nesse primeiro semestre, seria muito bom”, disse o presidente da Câmara.

Atualmente o presidente do Banco Central tem status de ministro, mas, diferentemente de outros países em que a autonomia do BC é formal, o presidente da instituição não tem mandato e pode ser demitido pelo presidente da República a qualquer momento.

Na véspera, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR), também lembrou ter um projeto de independência do Banco Central ao defender que 2018 será um ano curto para aprovar medidas econômicas no Legislativo.

(Por Eduardo Simões, em São Paulo)

Reunião SEC e CFTC: mais ICOs legítimos e “se não houv… | News


A comissão do comércio de futuros de commodities “ Commodity Futures Trading Commision ” (CFTC) e a comissão de valores mobiliários dos EUA “ US Securities and Exchange Commision ” (SEC) encontraram-se na manhã de 6 de Fevereiro de 2018 para discutir seus papéis em Blockchain, moedas virtuais e ICOs. No edifício do senado de Dirksen em Washington, os comitês (bancário, de habitação e de assuntos urbanos) reuniram-se em sessão aberta por cerca de 2 horas. Antes da audiência começar, depoimentos foram divulgados em nome de ambas as testemunhas.

Os pré-depoimentos

(esses testemunhos foram divulgados em 5 de Fevereiro de 2018)

J. Christopher Giancarlo, presidente e testemunha da CFTC, expressou otimismo em seu depoimento em relação ao Blockchain / DLT, dedicando uma página e meia (Veja abaixo em potenciais benefícios) para as inúmeras formas pelas quais instituições financeiras, instituições de caridade, serviços sociais, agricultura e logística podem se beneficiar disso. Giancarlo parecia muito otimista ao permitir mais liberdades para DLT, mesmo comparando com a internet:

“Esta simples abordagem é bem reconhecida como a base regulamentar esclarecida da Internet que provocou mudanças tão profundas na sociedade humana. Durante os quase 20 anos de regulamentação “sem nenhum desespero”, uma grande quantidade de investimento foi feita na infra-estrutura da Internet. Produziu uma expansão rápida no acesso que apoiou a implantação rápida e a adoção em massa de tecnologias baseadas na Internet. As inovações baseadas na Internet revolucionaram quase todos os aspectos da vida americana, desde telecomunicações ao comércio, transporte e pesquisa e desenvolvimento. “(Sem) nenhum desespero” foi, sem dúvida, a abordagem certa para o desenvolvimento da Internet. Da mesma forma, acredito que essa é a abordagem direta e abrangente para a tecnologia Ledger. “

Apesar do seu otimismo, o presidente ainda afirmou que as moedas digitais “provavelmente exigirão uma supervisão regulamentadora mais atenta” em relação à “fraude e manipulação” Mas em sua conclusão, ele abordou que a SEC e a CFTC deveriam fazer o seu melhor para deixar espaço para o crescimento:

“Como vimos com o desenvolvimento da Internet, não podemos colocar o gênio da tecnologia de volta na garrafa. As moedas virtuais marcam uma mudança de paradigma na forma como pensamos sobre pagamentos, processos financeiros tradicionais e envolvimento na atividade econômica. Ignorar esses desenvolvimentos não os fará desaparecer, nem é uma resposta regulamentadora responsável “.

Jay Clayton , o presidente da SEC, estava um pouco menos animado com as moedas virtuais – mas também não estava negando seu papel em um ecossistema financeiro moderno.

“Para ser claro, estou muito otimista de que a evolução da tecnologia financeira ajudará a facilitar a formação de capital, oferecendo oportunidades de investimento promissoras para investidores institucionais e da “Main Street”. A partir de uma perspectiva de regulamentação financeira, esses desenvolvimentos podem nos permitir monitorar melhor as transações, participações e obrigações (incluindo exposições de crédito) e outras atividades e características do nossos mercados, facilitando assim a nossa missão regulamentadora, incluindo, principalmente, a proteção dos investidores “.

Mas ele também admitiu que ainda haviam muitas armadilhas:

“Ao mesmo tempo, independentemente da promessa desta tecnologia, aqueles que investem o seu dinheiro suado em oportunidades que se enquadram no âmbito das leis federais de valores mobiliários merecem as proteções completas concedidas ao abrigo dessas leis. Essa necessidade sempre presente surge quando o entusiasmo pela obtenção de uma peça rentável de uma nova tecnologia “antes que seja tarde demais” seja forte e amplo. Os golpistas e outros mal intencionados rezam por esse entusiasmo “.

PIC
 

O presidente da SEC, Clayton e o presidente da CFTC, Giancarlo, fonte da imagem: c-span

Enquanto Giancarlo mencionou a palavra “ICO” uma vez em seu depoimento, Clayton mencionou 132 vezes.

Um recente estudo descobriu que 10% de todos as ICO foram perdidas por hacks e fraudes. O medo de Clayton é que muitos investidores não educados possam estar perdendo muito dinheiro. Ele mesmo passou a promover a recente proibição de publicidade de ICO do Facebook:

“Eu quero reconhecer que recentemente as plataformas de redes sociais restringiram a capacidade dos usuários de promover ICOs e criptomoedas em suas plataformas. Eu agradeço esse passo responsável. “

Clayton continua a louvar as inovações da DLT (Tecnologia Ledger distribuída), mais conhecida como “Blockchain”, mas esperançoso de criar alguns limites para as ICOs.

“Simplesmente disse, devemos abraçar a busca pelo avanço tecnológico, bem como novas e inovadoras técnicas para a crescimento de capital, mas não às custas dos princípios que minam nossa abordagem bem fundamentada e comprovada para proteger investidores e mercados”.

A posição geral

Clayton mencionou que ele e Giancarlo “construíram um relacionamento forte”. Eles estão dispostos a trabalhar juntos para criar um quadro regulamentar robusto. Nos termos mais simples, parece haver um avanço gradativo que começa em ICOs, para moedas virtuais e, em seguida, para DLT. A DLT precisa da menor regulamentação e, de fato, a SEC e a CTFC parecem encorajar qualquer pessoa a querer expandir. As ICOs estão na outra extremidade, exigindo uma maior regulamentação. As moedas virtuais estão no meio, necessitando de proteção contra fraudes e manipulação de mercado.

Depoimento de hoje

A audiência de hoje foi refrescante no sentido de que o presidente Giancarlo e o presidente Clayton ficaram entusiasmados com o potencial da tecnologia descentralizada e criptomoeda durante a audiência.

Clayton dividiu em 3 categorias: DLT, criptomoedas e ICOs. Conforme indicado nos pré-testemunhos, a CTFC estava interessada em permitir o crescimento de DLT e moedas digitais, enquanto observava atentamente os fraudadores nas ICOs.

Giancarlo estava muito otimista em seus sentimentos em relação à criptomoeda. Em sua declaração de abertura, ele disse que “devemos a essa geração respeitar o interesse em criptomoedas e punir aqueles que as perseguem”. Ele falou sobre o quão interessados estão seus filhos no mundo Bitcoin e que foi excitante vê-los tão interessados em finanças.

“O presidente da CFTC, Giancarlo, abre com uma história de seus 3 filhos em idade universitária que estão entusiasmados com #Crypto, como a maioria dos millenials estão. Ele defendeu que abraçássemos #criptomoedas. Coisas boas! Podemos agradecer a seus filhos por isso. #PayWithLitecoin”

Ele também mencionou o CFC Lab : A organização da CFTC para educar a Main Street em criptomoeda. Giancarlo sublinhou que a educação era a via mais importante a tomar ao acompanhar criptomoedas; a CFTC nunca realizou tanto acesso educacional quanto eles tem feito nesta área.

O senador Crapo mencionou que nem as agências têm jurisdição completa sobre moedas digitais e ICOs. Giancarlo e Clayton concordaram que “podem precisar de autoridades adicionais para regulamentar”, mas antes que eles possam concordar com isso, eles devem aprender mais sobre o mundo da criptomoeda. Clayton também abordou brevemente a questão de que a SEC não tem dinheiro suficiente para contratar mais pessoas.

Quando o senador Cotton perguntou a Giancarlo sobre o valor do Bitcoin, Giancarlo respondeu com “ Se não houvesse Bitcoin, não haveria DLT “. Ambos, Clayton e Giancarlo sabem que as criptomoedas são importantes para o desenvolvimento de DLT, e querem que a tecnologia cresça sem que alguém sofra no processo. Giancarlo também disse que o piso do Bitcoin não poderia ser zero. Isso porque o valor do Bitcoin está “ligado a mineração “.

Não houve muita conversa sobre o regulamentação tributária . Clayton e Giancarlo também admitiram que não têm jurisdição sobre estados-nação, como a Venezuela , usando criptomoedas para evitar sanções.

Clayton mencionou que enquanto ETFs em Bitcoin atualmente não estão prontos, “haverá espaço no futuro”.

Por fim, o senador Warren perguntou a Clayton como eles podem tornar as ICOs mais seguras. Clayton respondeu que muitas ICOs estão, de fato, violando as leis existentes e que elas “devem prestar mais atenção” porque a SEC vai investigar essas violações ainda mais.

A melhor solução, segundo Giancarlo e Clayton, seria:

  • Educar as massas sobre Bitcoin e criptomoeda.

  • Use a jurisdição que eles têm sobre os mercados de futuros do Bitcoin para coletar dados e acompanhar os mercados para que ninguém fique muito machucado

  • Use o grupo de trabalho para ir atrás de “golpistas” que estão atacando os investidores da “Main Street” em esquemas de pirâmide da ICO e criptomoeda sem valor.

Em resumo, a criptomoeda permitirá mais crescimento para os Estados Unidos da mesma forma que a internet fez. Os Estados Unidos devem ser um líder nesse aspecto e garantir que ninguém seja ferido no processo. Os cripto HODLers (conservadores) tanto concordam que a notícia foi muito otimista .

Em uma nota lateral, Giancarlo achava que “ HODL ” era um acrônimo para “Hold On for Dear Life” (retenha para uma vida boa).

​Giancarlo disse HODL a um grupo de senadores