Kodak procurando parcerias na NBA para uso de sua nova plataforma de fotos e sua criptomoeda


Sua oferta inicial de moedas ainda está em andamento, mas um novo anúncio indica que a equipe por trás da KODAKCoin está trabalhando para colocar a próxima criptomoeda em uso.

A WENN Digital – empresa que licenciou a marca KODAK, centrada em foto, para uma plataforma de criptomoedas e de gerenciamento de direitos digitais associados – anunciou na segunda-feira que está trabalhando com a Oak View Group para unir o mundo esportivo com a próxima plataforma KODAKOne. A ideia é que os fãs e fotógrafos das seis arenas participantes, incluindo o AT&T Center de San Antonio Spurs, possam fazer upload e registrar fotos no site.

“Queremos apresentar a plataforma KODAKOne a um público criativo que, acreditamos, irá se beneficiar de sua funcionalidade e atuar como pioneiros”, afirmou Jan Denecke, CEO da WENN Digital, em comunicado. O foco, continuou ele, é “pagar aos fotógrafos de forma justa e dar a eles a oportunidade de entrar no andar de uma nova economia feita sob medida para eles, com a gestão segura dos direitos dos ativos embutida”.

A plataforma, KODAKOne e sua criptomoeda, KODAKCoin, de acordo com o CEO da WENN Digital, Jan Denecke, “tratam de pagar os fotógrafos de forma justa e dar-lhes a oportunidade de entrar no térreo de uma nova economia sob medida para eles em cheio.”

Os fotógrafos podem registrar seu trabalho e armazená-lo na plataforma KODAKOne. Em seguida, a comunidade de artistas engajados com a plataforma pode usar o KODAKCoin como meio de pagamento para licenciamento ou venda sob a proteção de uma blockchain que rastreia a propriedade e impõe os direitos do artista ao conteúdo.

Nas seis arenas esportivas participantes, os fãs serão incentivados a fazer upload, registrar e compartilhar suas fotos ou vídeos de eventos ao vivo na KODAKOne e terão a oportunidade de receber pagamentos da KODAKCoin.

Dohnanyi disse na parceria que os locais proporcionariam “acesso inovador ao mundo do esporte e do entretenimento”. Denecke acrescentou ainda que as arenas eram um lugar “natural” para começar, “dadas as milhões de fantásticas fotografias de eventos ao vivo geradas todos os anos nos locais da Arena Alliance da OVG.”

A OVG Arena Alliance é uma aliança de membros de locais de classe mundial, alcançando mais de 65 milhões de consumidores a cada ano combinados nas principais cidades da América do Norte. A Oak View levantou US $ 100 milhões em uma rodada de financiamento no início deste ano.

Previous:

Meetup com Jimmy Song e Blockchain Academy (13/06/2018)

Postado em junho 13, 2018

O Litecoin passa em três testes como dinheiro digital!

O Armagedom atual das criptomoedas matou algumas e feriu várias outras. Ainda assim, uma cripto está lutando com ursos com força e resiliência. O Litecoin tem provado seu valor, se…


Austrália abraça as criptomoedas e a blockchain

A ascensão do bitcoin e das altcoins está criando uma revolução nos mercados financeiros em todo o mundo. Transformou investidores em bilionários da noite para o dia e desencadeou todo…


Desemprego no Brasil cai a 12,9% no tri até abril com menos gente procurando vagas – Notícias


Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) – A taxa de desemprego brasileira recuou a 12,9 por cento no trimestre encerrado em abril, movimento que veio com as pessoas desistindo de procurar uma recolocação diante da instabilidade da economia e das incertezas políticas.

A taxa de desemprego apurada pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua recuou em relação aos 13,1 por cento vistos no primeiro trimestre e aos 13,6 por cento do mesmo período do ano anterior.

A expectativa em pesquisa da Reuters para o dado divulgado nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ficaria em 13,0 por cento.

Esse recuo, entretanto, deve-se ao desalento dos trabalhadores, e não exatamente à melhora do mercado de trabalho. Nos três meses até abril, o país somava 65,176 milhões de pessoas fora da força de trabalho, contra 64,868 milhões no trimestre até março.

No primeiro trimestre, a subutilização da força de trabalho e o desalento no Brasil já haviam batido recorde.

Com isso, no trimestre até abril, o Brasil chegou a 13,413 milhões de desempregados, contra 13,689 milhões no primeiro trimestre e 14,048 milhões no mesmo período de 2017.

Em abril, o número de pessoas ocupadas chegou a 90,733 milhões, acima das 90,581 milhões até março e das 89,238 milhões nos três meses até abril de 2017.

O mercado continuava mostrando deterioração do emprego formal, uma vez que o contingente de empregados com carteira assinada mostrou queda de 1,7 por cento nos três meses até abril em relação ao ano anterior, para 32,729 milhões.

A Pnad Contínua mostrou ainda que o rendimento médio do trabalhador chegou a 2.182 reais nos três meses até abril, sobre 2.174 reais em março e 2.165 reais no mesmo período do ano passado.

O mercado de trabalho reflete a instabilidade vista na atividade econômica brasileira, em meio à uma cena política que afeta a confiança dos agentes econômicos.