CoinX: Primeiros Passos na Exchange – Cadastro e Verificação


Fazer seu cadastro na CoinX é tão fácil e rápido quanto comprar e vender criptomoedas na plataforma. A seguir, explicaremos o passo a passo do processo de criação e verificação de conta para que você comece a negociar sem dificuldades e, acima de tudo, com segurança.

Cadastro

Qualquer pessoa, física ou jurídica, brasileira ou estrangeira, pode se cadastrar na CoinX. No entanto, há algumas observações para casos especiais:

+ Residentes de outros países não podem realizar depósitos em reais; nesse tipo de conta, as operações disponíveis são as de depósito e saque de criptomoedas, bem como a negociação entre elas. Para realizar o cadastro, a plataforma pede a identificação de passaporte do usuário.

+ Pessoas jurídicas devem se cadastrar por meio de um representante legal, que deverá fornecer seu número de CPF e um documento com foto. Em seguida, ele deverá enviar um documento de constituição da empresa ou alteração contratual mais recente.

A demonstração a seguir serve para pessoas físicas residentes no Brasil.

  1. Ao entrar no site e clicar no botão de cadastro, no canto direito superior da página, você deverá preencher um formulário com os seguintes dados: nome, sobrenome, país, CPF/CNPJ, e-mail e senha para acessar a exchange.
  2. Caso tudo esteja correto e você concorde com os Termos e Condições e Políticas de Privacidade, a exchange enviará um e-mail de confirmação para você.
  3. Pronto. Assim que você clicar em confirmar, sua conta estará criada. Mas ainda não acabou: para fazer transações com segurança, o próximo e mais importante passo é verificar sua identidade.

Por que verificar minha conta?

A segurança da sua conta na CoinX é mensurada em dois níveis, de forma que usuários de nível 1 (ou seja, que apenas criaram a conta sem validar a identidade) só podem fazer depósitos. Isso incentiva todos os usuários a passar pelos procedimentos de segurança, responsáveis por proteger as contas contra fraudes. No nível dois, qualquer movimentação é permitida. Uma vez logado, você pode clicar na aba “Segurança” para acompanhar o nível da sua conta.

Verificação

Agora, é hora de fazer seu login com o e-mail e senha que você forneceu no formulário de cadastro.

  1. Depois disso, clique em “Minha página”, no canto superior direito da tela. No menu, clique em “Validação de identidade“. A seguinte tela será carregada:
  2. Preencha as informações e solicite a verificação. O processo para que a CoinX confira se está tudo certo com sua identidade não é imediato, portanto você terá que esperar algumas horas antes de concluir o procedimento. Assim que essa etapa estiver pronta, você receberá uma notificação por e-mail.
  3. Por fim, é a vez da autenticação de OTP, que deixará sua conta ainda mais protegida. O aplicativo usado para isso é o Google Authenticator, disponível para iOS e Android. Baixe ele em seu celular.
  4. Clique no tópico “OTP” para começar o procedimento e siga as instruções na página para registrar seu código OTP no Authenticator. Este código fornecido pela CoinX, de 16 dígitos, pode ser encontrado na mesma tela.
  5. Ao inserir esse código no aplicativo, todas as vezes em que você entrar em sua conta na CoinX, será necessário fornecer uma chave expirável de seis dígitos, que aparecerá na tela do Authenticator logo depois que você inserir seu e-mail e senha no site da CoinX.

Quando tudo estiver pronto, você será um usuário de nível 2, livre para fazer qualquer operação na exchange. Caso tenha alguma dúvida, leia o FAQ ou entre em contato com a CoinX: o suporte funciona 24h por dia.

Visite o website: https://www.coinx.com.br/
Curta a página no Facebook: https://www.facebook.com/coinx.bitcoinbrasil
Entre em contato: [email protected]



Fernando Ulrich admite interesse na compra do Novo Banco




Subscrever o canal. As últimas notícias Fernando Ulrich defende que o aumento do imposto sobre a banca, em 2015, foi mal pensado. O presidente do BPI …

Conheça 9 passos para otimizar seu site mobile


1. Facilite a navegação do seu site
Um dos grandes desafios para quem otimiza o seu site é aliar isso a uma navegação amigável. Muitos sites tidos como otimizados acabam sendo abertos com facilidade em dispositivos móveis, porém se mostram difíceis de usar na prática.

Por isto, algumas medidas simples e colocadas já no início do projeto podem facilitar a resolução destes problemas. Dentre elas, podemos citar a otimização de conteúdo, já que um texto considerado fácil de ler no formato desktop pode ser grande demais e dificultar a leitura de um usuário que esteja no formato mobile.

Uma boa ferramenta de pesquisa, de preferência colocada em destaque, também é bastante funcional, até porque o espaço menor acaba dificultando que o visitante tenha uma visão tão ampla do seu site.

2. Faça um planejamento personalizado de como otimizar um site
Pensar em soluções mobile na hora de incluir novos conteúdos em sua versão desktop é algo que facilita a sua missão.

A questão da adaptação pode ser bastante trabalhosa para quem não planejou um site para mobile. Por isto, criar conteúdo pensando nos dois tipos de público é importante para não desperdiçar tempo e gerar trabalho extra

Uma outra forma de fazer esse planejamento é entender se, além do site, a sua empresa deseja ter um aplicativo para mobile. Lembrando que neste caso o conceito de otimização também deve estar presente, afinal um aplicativo malfeito e que fuja desta máxima pode ser bastante prejudicial para a imagem da sua empresa.

Um aplicativo otimizado deve facilitar o acesso a recursos como uso do GPS, envio de notificações aos usuários e navegação offline, sendo este último um elemento importante para deixar o seu público conectado a você mesmo sem estar navegando na internet.

3. Deixe a burocracia de lado
Por mais que a coleta de dados seja importante quando você quer vender, e até mesmo usar isso como uma base para futuros contatos, o formato mobile acaba não se encaixando em algumas situações assim.

Quem não se lembra de ter preenchido um grande formulário de cadastro para poder comprar em uma loja virtual? No sistema mobile podemos dizer que isto é um tiro no pé e afasta clientes, já que o conceito que vigora aqui é de “menos é mais”.

Deixar tudo a poucos cliques de ser resolvido é fundamental para converter seus leads e transformar visitantes em vendas.

4. Busque um design realmente funcional
Em termos de sites feitos para desktop, lembramos logo de infinitos recursos audiovisuais que trazem relevância para o conteúdo. Porém, para que isso se encaixe no mobile, é necessário que alguns pontos sejam revistos.

Um design funcional em dispositivos móveis precisa ter o conceito flat, ou seja, ser mais limpo e com recursos estruturados de forma a somar no quesito qualidade, deixando a quantidade um pouco de lado.

Desta maneira, algumas questões fundamentais para uma boa navegação ficam facilitadas, como o tempo de carregamento do site, elemento que deve estar adequado à agilidade que um usuário mobile necessita.

5. Evite erros de carregamento
Como vimos, a agilidade é um ponto importante na hora de otimizar um site para mobile. É por isso que erros de carregamento não podem aparecer, visto que demonstram falhas de estruturação.

Caso não seja possível otimizar algum conteúdo para este formato de maneira que não apresente erro, uma solução simples é encaminhar o usuário para a versão desktop, que mesmo não estando 100% adequada ao dispositivo, pelo menos vai suprir a necessidade dele naquele momento.

Vale lembrar que esse tipo de medida deve ser pontual e, se possível, por um curto período de tempo, apenas para evitar o constrangimento do visitante com sucessivos erros.

6. Faça testes para avaliar a otimização
Já que falamos em evitar erros e também sobre a funcionalidade do design, uma excelente maneira de medir isso é usando ferramentas de avaliação.

Uma das mais conhecidas é do próprio Google e se chama Mobile Friendly. Este algoritmo trabalha num conceito 8 ou 80, ou seja, diz se um site está otimizado ou não, não podendo haver diferenças gritantes de otimização entre um e outro.

Medir esses indicativos ajuda a colocar no ar um site que realmente seja otimizado e possa atender às necessidades do público. Por isso vale a pena investir tempo em testes assim.

7. Defina prioridades
Por mais que a sua empresa ofereça diversos produtos e serviços, o mobile exige pensar em prioridades. Sendo assim, é importante escolher alguns destaques e colocá-los na primeira página, lembrando que neste formato o espaço de visualização acaba sendo menor e por isto a decisão deve ser bem pensada.

Uma forma de avaliar isso é encontrar o que mais representa o seu negócio, deixando os serviços e produtos complementares em segundo plano. Afinal, o objetivo aqui é facilitar a vida do usuário e não mostrar logo de cara tudo o que você tem para oferecer.

8. Busque quem está mais perto
Por mais importante que seja a busca por expandir negócios e o quanto o marketing digital favorece este tipo de situação, se mostrar presente para as pessoas que estão mais perto de você é extremamente importante para gerar vendas.

Neste cenário, é possível aliar o conceito de geolocalização ao seu site mobile, de forma a aparecer mais facilmente na busca dos clientes que estão próximos do seu negócio.

Se você tem uma loja física, isto se torna mais importante ainda, pois permite ir muito além do público que normalmente visita a sua empresa.

9. Utilize URLs amigáveis
Já que um dos objetivos do mobile é facilitar a vida do cliente, utilizar URLs amigáveis é uma excelente maneira de realizar esta tarefa, além de ganhar pontos junto aos mecanismos de busca.

Uma URL amigável permite ao consumidor entender do que se trata aquele site antes mesmo de acessá-lo. Esta ação facilita para que você se destaque inclusive em relação aos seus concorrentes, pois se o cliente perceber claramente que você tem o que ele procura e o outro deixar dúvida quanto a isso, certamente ele vai clicar no seu link.

Por: André Rodrigues, Webdesigner na GhFly, agência referência em marketing digital.
E-mail: andre.rodrigues@ghfly.com

Website: http://www.ghfly.com/