Auditores do trabalho receberam R$ 254 mi em bônus, mas não têm metas de produtividade – 14/06/2018 – Mercado Aberto


​​

À espera de regulamento que crie indicadores e metas de produtividade, o bônus dos auditores-fiscais do Ministério do Trabalho já custou mais de R$ 250 milhões aos cofres públicos desde que foi criado.

A lei determina o pagamento de R$ 3.000 por mês aos fiscais em atividade a título de “antecipação de cumprimento de metas” —que ainda não foram nem mesmo fixadas.

Criada por medida provisória no fim de 2016, a remuneração variável foi incorporada na legislação em julho de 2017 e incluiu aposentados e pensionistas no rol de beneficiados.

Caso tenham deixado a carreira há menos de 12 meses, os inativos têm direito ao valor integral, diz a lei. Os demais recebem um percentual que diminui à medida que aumenta o tempo de aposentadoria.

Não há ilegalidade na demora em adotar-se critérios, mas sim um vácuo legal, segundo Andrea Rossi, sócia do escritório Machado Meyer. “Esse desembolso antecipado trai o objetivo da própria lei”, diz. 

A regulamentação poderá determinar pagamentos superiores aos R$ 3.000, uma vez que a norma não fixa limites. 

A Constituição estabelece a paridade de vencimentos entre servidores ativos e inativos, diz Rossi. “Há julgados do STF) sobre outras leis de bônus que concluíram que essa regra se aplica também para os vencimentos variáveis.”

Os valores pagos aos inativos correspondem a 44% do total desembolsado desde a criação do programa.

O Ministério do Trabalho informou em nota que a regulamentação do bônus está em andamento e envolve também o Ministério do Planejamento e a Casa Civil.

A pasta também afirmou que não existe vinculação entre os valores das multas aplicadas pelos servidores e a remuneração variável. 

Procurado, o Sinait (sindicato nacional da categoria) não se manifestou.

 

Aumento… A venda das distribuidoras de medicamentos cresceu 21,6% em abril na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo a IQVIA, que audita a indústria, e a Abradilan (associação do setor).

…nas entregas A receita nos quatro primeiros meses de 2018 chegou a R$ 1,8 bilhão, uma alta de 9,6% sobre o mesmo período de 2017. O incremento em unidades no quadrimestre foi um pouco menor, de 4,5%.

Rescisão Dificuldade financeira foi o motivo apontado por 26% dos inquilinos que desocuparam imóveis na cidade de São Paulo no primeiro quadrimestre deste ano, segundo a imobiliária Lello. Há quatro anos, o índice era de 8%.

 

Mercado livre sinaliza que alta de produção pode ser generalizada

Quase todos os setores da economia no mercado livre (segmento de clientes de energia elétrica que, pelo tamanho, escolhem de quem contratar) registraram alta em abril.

Serviços e saneamento foram os únicos que tiveram quedas, de acordo com dados da CCEE (Câmara de Comercialização de Energia).

Não ocorria uma alta generalizada há 32 meses segundo a Comerc, comercializadora que produz levantamentos separados pelos setores econômicos. 

“A base de comparação, abril do ano passado, é o fundo do poço”, afirma Cristopher Vlavianos, presidente da companhia.

Os bons números de abril, porém, não se mantiveram. A paralisação dos caminhoneiros derrubou a produção e o consumo de energia — alguns dos clientes da Comerc tiveram impactos na casa de 20%.

A Elektra, outra comercializadora, monitora se houve sobras de energia contratada pelos clientes. Quanto mais perto de 100%, maior foi a produção das empresas, diz o diretor Fernando Umbria. 

“Foi acima de 99% em abril. Em maio, caiu para 96%.”

 

Sem tocar nos planos

A cooperativa paranaense Lar Agroindustrial ainda tenta mitigar os impactos da paralisação dos caminhoneiros, mas decidiu manter seu plano de investimentos, diz o diretor-presidente, Irineo da Costa Rodrigues.

A companhia planeja aportar cerca de R$ 150 milhões neste ano. Metade do montante irá para o aumento da produção de aves e suínos no Paraná e metade para a expansão do armazenamento de grãos no Centro-Oeste.

“Já normalizamos a parte de proteína animal, porém ainda temos áreas de negócio emperradas pela discussão sobre tabelamento de frete, principalmente o fornecimento de adubo e o escoamento de grãos.”

Além de afetar diretamente a produção, a crise dos caminhoneiros aumentou as despesas, afirma Rodrigues. 

“O nível de faturamento tem melhorado, crescemos 10% no ano até aqui, mas o resultado líquido está igual a 2017 por causa dos custos.”

R$ 5,06 bilhões
foi o faturamento da Lar Cooperativa Agroindustrial em 2017

 

Divisão das isenções

A Lei da Informática, que permite que produtoras de hardware usem parte do dinheiro de impostos em pesquisa, poderá beneficiar também o investimento em startups.

Há uma proposta do Ministério da Ciência e Tecnologia em consulta pública para mudar a norma, que é de 1991.

A ideia é permitir às companhias a escolha entre financiar pesquisa e desenvolvimento ou fazer aportes em fundos que investem em participações societárias de startups.

Não deve haver aumento do montante de renúncia fiscal (R$ 5 bilhões) ou nos valores injetados pelas empresas em decorrência da isenção (R$ 1,5 bilhão), diz Otavio Caixeta, diretor do ministério.

A consulta pública estará aberta para sugestões até o dia 29 deste mês.

 

Obstáculos… O gasto excessivo para manter o funcionamento das empresas é o principal entrave para investimentos em inovação, segundo levantamento da consultoria Vanson Bourne encomendado pela Rimini, de software.

…no caminho A questão foi mencionada por 77% dos 900 executivos ouvidos em países nos cinco continentes, inclusive no Brasil. Falta de apoio dos conselhos (76%) e limitação em contratos (74%) também estão entre as mais citadas.

 

com Felipe Gutierrez, Igor Utsumi, Ivan Martínez-Vargas e Diana Lott

Bitcoin ETF: Equipe de Firmas, Reaplicar, Metas de Preço de $ 200.000 Instituições de Wall Street


 Bitcoin ETF: Equipe de empresas, Reaplicar, $ 200.000 Preço Metas Instituições de Wall Street "title =" ETF Bitcoin: Equipe de empresas, Reaplicar, $ 200.000 Preço Metas Wall Street Instituições "/> </a></div>
</p></div>
<p>                 Notícias<br />
              </p>
</p></div>
<p><b> Van Eck e Solid X se juntaram, depois que ambos falharam em obter aprovação regulatória formal para suas respectivas propostas de fundos negociados em bolsa (ETF), reaplicando-se hoje à Securities and Exchange Commission (SEC) dos EUA. Eles estão propondo um ETF bitcoin fisicamente apoiado, o </b><b><i> Trust Vanco Bitcoin Trust </b><b><i> </i></b><b>e ele pode estar prestes a quebrar a tendência de perder o mainstreaming do BTC em Wall Street. Desta vez, eles estão apontando para investidores institucionais, precificando-o em US $ 200.000 por ação. </b></p>
<p><em><b> Leia também: </b><a href= Aldeia Agrícola Russa: Criptografia Local, Reservas Bitcoin, Sem Dinheiro do Governo

 Bitcoin ETF: Firms Team, Reaplicar , $ 200.000 Preço Alvos Wall Street Institutions

Van Eck e Solid X Team para Bitcoin ETF Fixado o preço em $ 200.000

Van Eck CEO Jan van Eck aplaudiu: “Eu acredito que bitcoin surgiu como uma opção de investimento legítimo, como um tipo de 'ouro digital' que pode fazer sentido para as carteiras dos investidores. A equipe do Solid X tem uma experiência profunda com os mercados de bitcoin, criptografia e capital. Temos o prazer de unir-se a eles para apoiar o esforço de trazer para o mercado um ETF de bitcoin com suporte físico ”. O também oferecerá um seguro contra o bitcoin perdido ou roubado.

O Wall Street Journal relata: “As empresas também estabeleceram um preço por ação relativamente alto: US $ 200.000. O preço é projetado para direcionar o produto para investidores institucionais e não para o varejo ”. E,“ ao determinar um parceiro de marketing ”, ressaltou Daniel H. Gallancy, CEO da Solid X,“ procuraram uma empresa com um claro entendimento do potencial do bitcoin. e o papel que pode desempenhar em uma carteira de investimentos. Van Eck está profundamente envolvido neste espaço, compreende o seu potencial e tem um longo historial de abrir com sucesso novos caminhos para os investidores acederem a oportunidades de investimento únicas e atraentes. ”

 ETF Bitcoin: Equipa de Empresas, Reaplicar, $ 200.000 Meta de Metas de Preços Instituições de rua

Os dois têm em comum o fato de serem baseados em Nova York e a duvidosa honra de terem sido abatidos pela SEC quando tentaram individualmente listar um bitcoin ETF. A apresentação atual, a partir de 6 de junho de 2018, será acompanhada de perto pelo ecossistema. Jan van Eck expressou otimismo em sua última tática: “Acreditamos que, coletivamente, construiremos algo que possa ser melhor do que outros construtos que estão atualmente em processo de regulamentação. Um ETF de bitcoin fisicamente apoiado construído adequadamente será projetado para fornecer exposição ao preço do bitcoin, e um componente de seguro ajudará a proteger os acionistas contra os riscos operacionais de terceirizar e manter bitcoin. ”

Chicago Board Options Exchange (Cboe) e Acredita-se que sua Bolsa de Ações BZX esteja onde tal fundo, aguardando aprovação, seria finalmente listado. O criador de mercado do Cboe foi o primeiro a listar o Bitcoin Futures em dezembro do ano passado. Os resultados foram decididamente misturados depois que o entusiasmo do ecossistema quase prometia que o BTC iria aparecer em resposta. Agora, alguns culpam trocas como Cboe e seu rival CME por retardar o preço spot da BTC, por ser essencialmente o catalisador da Crypto Winter, por assim dizer

Pode ser a combinação certa na hora certa

É importante comunicar-se com os investidores sobre os riscos, bem como as oportunidades, especialmente para novas áreas de investimento, e estamos comprometidos com esse esforço ”, enfatizou o CEO da Van Eck.

De fato, no início deste ano, estas páginas relataram como em uma “ Carta do Pessoal: Engajando-se em Fundações de Inovação e Criptomoeda de 18 de janeiro, assinada pelo recém-nomeado Diretor Dalia Blass da Divisão de Gestão de Investimentos, a SEC escreveu ao SIFMA (Investment Company Institute and Asset Management Group – Securities and Financial Markets Association) sobre as perspectivas dos ETFs bitcoin. ”Era uma carta cheia de advertências, advertências e potenciais confusões. Uma coisa era claramente clara: qualquer Bitcoin ETF daqui para frente deve enfrentar suas preocupações.

 ETF Bitcoin: Equipe de Firmas, Reaplicar, $ 200.000 Preço Meta Wall Street Institutions

Dois meses atrás para quase o dia, no entanto, sinais esperançosos pareciam emergir. Presumivelmente, em resposta a um pedido de carta aberta da Cboe para a ação do presidente e COO Chris Concannon, a SEC parecia estar se movendo mais longe do que antes, enquanto considerava dois candidatos de fundos da Pro Shares. Parte do comentário do processo acabou de ser embrulhado.

O Journal cita o Sr. Gallancy do Solid X como lembrando que eles “nunca tiveram intenção de desistir”. Nenhum deles tem a comunidade de investimento criptográfico mais ampla, mostrando como não se contenta em apenas sentar e aguarde a permissão. “A Huobi, a bolsa de criptomoedas com sede em Cingapura, decidiu criar seu próprio instrumento de estilo ETF baseado em seu índice recentemente lançado de dez ativos digitais”, News.Bitcoin.com explicou. Em antecipação, “a Okex, a bolsa de criptomoedas gerida por chineses com sede em Hong Kong, juntou-se à recente tendência de plataformas de negociação que criam suas próprias ferramentas de investimento semelhantes a ETF para seus usuários. Lançou seu primeiro tracker negociado em bolsa (ETT) em 5 de junho, que foi totalmente vendido em apenas três minutos ”, explicamos recentemente.

Os ETFs de Bitcoin de Wall Street estão virando da esquina? Deixe-nos saber nos comentários.


Imagens através do Pixabay


Verifique e acompanhe as transacções em dinheiro do bitcoin no nosso BCH Block Explorer o melhor do seu género em qualquer parte do mundo. Além disso, acompanhe suas participações, BCH e outras moedas, em nossos gráficos de mercado no Satoshi’s Pulse outro serviço original e gratuito da Bitcoin.com.

Metas de mineração e onde obter mais dinheiro | News


Essa ideia de hoje em dia de simplesmente conectar seu computador e tudo funciona, plataformas de mineração especializadas na Internet e estão ganhando dinheiro com seu ar extremamente atraente . No entanto, obviamente não é tão simples quanto parece e o setor de mineração é aquele que se tornou muito competitivo e sofisticado.

As pessoas que estão interessadas em mineração ainda podem se juntar e, ao reduzir suas margens de gastos, existe a possibilidade de obterem um lucro bem razoável. Tudo se resume a recursos baratos, porém, no caso da mineração, esse recurso é a eletricidade . A desigualdade entre os preços da eletricidade em todo o mundo significa que minerar um Bitcoin em um determinado país pode ser muitas vezes mais rentável do que fazer a mesma coisa através da fronteira.

Como isso é calculado

A imagem abaixo mostra uma lista de países e o custo médio em dólares americanos para explorar um único Bitcoin. Este estudo, conduzido pela Elite Fixtures , foi montado usando o consumo necessário para extrair uma média de um Bitcoin em três diferentes plataformas de mineração:-A AntMiner S7, AntMiner S9 e Avalon 6.

O estudo obteve os dados do preço da eletricidade fornecidos pelo governo dos próprios países e empresas de serviços públicos locais, bem como pela Agência Internacional de Energia, como reportado pelo IBTimes .

O custo de minerar 1 Bitcoin

Onde fazer dinheiro

Então, com esses dados disponíveis, de repente a mineração em todo o mundo começa a fazer sentido. O melhor lugar para fazer lucro da mineração em Bitcoin é na Venezuela. O processo custa “apenas” cerca de $530.

Com o atual preço do Bitcoin que paira em torno de $10.000, existem um potencial para uma enorme taxa de retorno para mineiros sul-americanos. Além disso, dado o clima econômico e político do país , não é surpreendente ver que muitos venezuelanos se aproveitaram da mineração. Não é interessante minerar na Venezuela somente em tempos de paz; os sul-americanos usam essa eletricidade barata em tempos de crise com sua própria moeda, infligindo proporções inúteis.

Onde não se preocupar

Muitos países da Europa ocidental (como a Alemanha e a Dinamarca) são classificados como alguns dos lugares mais caros para tentar puxar o Bitcoin para fora do éter. Na verdade, no clima atual, a mineração de um Bitcoin em qualquer um dos países acima mencionados acabaria te custando $ 4.000.

A dispersão da mineração em todo o mundo também segue claramente as linhas de eletricidade barata, como um estudo realizado pela Universidade de Cambridge   no ano passado, que mostrou que países no Extremo Oriente, especialmente   a China, ocuparam o título de capitais mineiras do mundo.

Minando super poderes

O poder que a China “e até a Rússia” detêm como super-poderes de mineração vem quase diretamente do preço de sua eletricidade. A China, de acordo com o estudo, fica com um modesto $3.172 por moeda, que ainda é, atualmente, um retorno de 70%.

A China também se beneficiou com o governo aberto para permitir que os mineiros usem o excesso de poder no país, mas isso veio recentemente sob votação . O governo chinês agora está tentando reprimir todas as facetas da criptomoeda, que tem que olhar para a mineração.

A Rússia, outro super poderoso que se beneficia de eletricidade relativamente barata (que fica em $4.675 por Bitcoin), bem como subsídios do governo, poderá em breve estar sob regulamentação e controle mais rigorosos.

O futuro da mineração

Como a eletricidade é uma das primeiras despesas que precisam ser consideradas na criação de mineração, faz sentido para grandes organizações de mineração considerar os países de baixo custo acima listadps como uma perspectiva atraente. No entanto, à medida que o Bitcoin continua a crescer, os regulamentadores procuram apontar para diferentes setores, incluindo a mineração.

Pode haver outros países onde a eletricidade é mais cara, mas os regulamentos em torno de mineração e criptomoedas são muito mais leves, como por exemplo, o Japão . Há também certas piscinas de mineração e até ICOs que estão olhando para suas operações perto de fontes verdes de energia renovável para tentar diminuir a despesa ea carga não só na carteira, mas também no meio ambiente .



Setor de biocombustíveis trabalha por metas do RenovaBio ainda em fevereiro, dizem fontes – Notícias


SÃO PAULO (Reuters) – O setor de biocombustíveis do Brasil se movimenta para ter as metas do RenovaBio definidas ainda em fevereiro, mas teme que incertezas quanto ao papel de cada agente dentro da regulamentação impeça que isso se concretize neste mês, disseram à Reuters duas fontes do segmento próximas às tratativas em Brasília.

A Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio), que busca impulsionar o uso de combustíveis renováveis e ajudar na redução de emissões de gases do efeito estufa, foi sancionada em dezembro do ano passado pelo presidente Michel Temer, após um ano de discussões.

A partir de então, há um prazo de 180 dias para definições de metas de descarbonização e outros objetivos do RenovaBio, via decreto. Após isso, mais 18 meses para a regulamentação total do programa, o que inclui a negociação dos créditos de descarbonização, os chamados CBios.

Assim, embora as discussões sobre as metas ainda estejam dentro do prazo, há um trabalho nos bastidores para que sejam concluídas com celeridade, para que a nova política de biocombustíveis possa ser implantada o mais breve possível.

“Trabalhamos para ter (as metas) na segunda quinzena do mês, após o Carnaval”, disse uma das fontes.

Outra fonte comentou que há, de fato, um “trabalho político”, mas que a prioridade é fechar a “governança” do programa, ou seja, qual o papel de ministérios, governo, setor de biocombustíveis, mercado financeiro, entre outros, no funcionamento do RenovaBio.

“Pela lei, seria possível (a definição das metas antes da ‘governança’), mas acho que, de qualquer forma, o Ministério da Fazenda e outros não permitiriam o atropelo do processo”, comentou.

Procurados, os ministérios da Fazenda, Minas e Energia e Casa Civil não responderam de imediato.

O RenovaBio vai ao encontro do Acordo do Clima de Paris, que vale a partir de 2020 e pelo qual o Brasil se comprometeu a cortar as emissões de gases causadores do efeito estufa em 43 por cento até 2030, tendo por base os volumes de 2005.

Em dezembro, a presidente da União da Indústria de Cana-de-açúcar, Elizabeth Farina, disse esperar que o programa esteja em pleno funcionamento até 2020.

Lançado em dezembro de 2016, o RenovaBio foi à consulta pública no primeiro trimestre de 2017, teve suas diretrizes aprovadas pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) em junho e depois foi enviado à Casa Civil, onde sofreu diversas pressões.

Pelas estimativas do próprio governo, o programa pode gerar investimentos de 1,4 trilhão de reais e economia de 300 bilhões de litros em gasolina e diesel importados até 2030 –os derivados de petróleo seriam substituídos pelo combustível renovável produzido localmente.

(Por José Roberto Gomes)