IPCA-15 fica em 1,11% em junho ante 0,14% em maio, revela IBGE – Notícias


O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) registrou alta de 1,11% em junho, após ter avançado 0,14% em maio, informou na manhã desta quinta-feira, 21, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado superou o teto das estimativas captadas pelo Projeções Broadcast. O intervalo ia de 0,54% e 1,07%, com mediana positiva de 1,00%.

Com o resultado anunciado nesta manhã, o IPCA-15 acumulou um aumento de 2,53% no ano, de acordo com o IBGE. Nos 12 meses encerrados em junho, o indicador ficou em 3,68% e, portanto, superou a mediana das projeções (+3,56%). Nesse caso, o intervalo das estimativas ia de avanço de 2,85% a 3,72%.

Demanda por voos domésticos no Brasil sobe 3,9% em maio, diz Abear – Notícias


SÃO PAULO (Reuters) – A demanda por voos domésticos no Brasil em maio aumentou 3,9 por cento em relação ao mesmo mês do ano passado, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).

A oferta de voos domésticos subiu 5,22 por cento na mesma base de comparação.

Segundo a Abear, o resultado do mês passado foi influenciado pela greve de caminhoneiros, que levou ao cancelamento de alguns voos, afetou a demanda como um todo e levou ainda à reprogramação de viagens que já estavam marcadas.

“Estes elementos causaram o descompasso entre o que foi ofertado, que é previamente dimensionado, e o que foi efetivamente utilizado”, disse a associação em comunicado.

(Por Flavia Bohone)

Fundos de hedge de criptomoeda caíram 12% a 19% em maio de 2018


 Fundos de hedge de criptomoeda caíram 12% a 19% em maio de 2018 "title =" Os fundos de hedge de criptomoeda caíram 12% a 19% em maio de 2018 "/> </a></div>
</p></div>
<p>              </p>
</p></div>
<p><strong> Não há necessidade de se impressionar se o seu portfólio de criptomoeda exibiu desempenho inferior ao estelar em maio. Mesmo os comerciantes profissionais empregados pelos grandes fundos de hedge ativos no espaço sofreram quedas de dois dígitos durante o mês anterior. </strong></p>
<p><strong><em> Leia também: <a href= Bitcoin em breve segunda-feira: De Nova York ao histórico mercado de Istambul

Fundos de criptografia mostram desempenho fraco em maio

Dados fornecidos por três diferentes rastreadores da indústria revelam que os fundos de criptografia alcançaram consideráveis crescimento no mercado de urso de maio de 2018.

O Eurekahedge Cripto-Moeda Hedge Fund Index estima as perdas feitas por fundos de criptografia para ter sido 11,66% em maio e 2018 do ano até o momento (YTD) desempenho de -22,71%. A empresa de análise de mercado Hedge Fund Research Inc. (HFR) estima que os fundos de criptografia sofreram um declínio de 15,48% em maio, elevando o desempenho acumulado no ano para -33,3% pelo índice HBR Blockchain da empresa. E o índice Cryptocurrency Traders do especialista em dados de fundos de hedge Barclay Hedge mostra que o desempenho daqueles que está monitorando caiu 19,09% em maio, e 34,57% no acumulado do ano. As diferenças entre os três valores de referência devem-se a um número diferente de fundos

Os números fracos de maio contrastam fortemente com o forte desempenho de recuperação observado no mês anterior, uma vez que o Eurekahedge registou um aumento de 52,83% e Barclay Hedge similar 44,86% em abril de 2018 .

 Fundos de Hedge de Criptomoedas Desceram 12% a 19% em maio de 2018
Índice de Traders de Criptocorrência de Barclay Maio de 2018

Razões para permanecer Positivo a Longo Prazo

Apesar dos reveses em maio e da alta volatilidade de analistas de mês para mês, há motivos para permanecer otimistas, como o recente comunicado da SEC e o novo dinheiro institucional que entra. “Espero que os mercados de criptografia permaneçam voláteis no futuro previsível, Disse Henri Arslanian, chefe de criptomoedas da Ásia na PwC. "Enquanto os investidores de varejo podem ver a volatilidade nos mercados de criptografia como uma desvantagem, muitos fundos de criptografia vêem isso como uma oportunidade". Ele acrescentou que o "impacto positivo de longo prazo do número de participantes institucionais" é mais importante do que o preço de curto prazo. E o interesse entre os investidores asiáticos está aumentando, de acordo com Josh Gu, diretor de pesquisa quantitativa da divisão do índice HFR. “Criptomoedas têm sido muito voláteis, o assunto ainda é quente na China e no Japão.” Ele explicou ao FT que as criptomoedas apelavam para investidores individuais com grande apetite por risco. "No entanto, o regulador [Chinese] proibiu algumas das plataformas de criptografia por causa do risco, então alguns investidores podem ter entrado em pânico."

 Fundos de hedge com criptomoeda caíram 12% a 19% em maio de 2018

Esse desempenho justifica o pagamento pelo gerenciamento de portfólio? Compartilhe seus pensamentos na seção de comentários abaixo.


Imagens cedidas pela Shutterstock


Verifique e rastreie as transações em dinheiro do bitcoin em nosso BCH Block Explorer o melhor de seu tipo em qualquer lugar do mundo. Além disso, acompanhe suas participações, BCH e outras moedas, em nossos gráficos de mercado no Satoshi’s Pulse outro serviço original e gratuito da Bitcoin.com.

Greve de caminhoneiros impacta carga de energia em maio, que fica estável, diz ONS – Notícias


SÃO PAULO (Reuters) – A carga de energia do sistema interligado do Brasil ficou praticamente estável em maio, com alta de 0,1 por cento, após subir em março e abril, em meio a impactos da greve de caminhoneiros sobre a demanda nas últimas duas semanas do mês, apontou em boletim nesta sexta-feira o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

“O comportamento da carga do sistema, que vinha apresentando sinais de crescimento em decorrência da retomada da economia, teve seu desempenho impactado pelo cenário do mercado externo e pelas incertezas econômicas e políticas”, afirmou o ONS, ressaltando também os efeitos da paralisação de caminhoneiros.

(Por Luciano Costa)

Preços das importações subiram em maio nos EUA – Notícias


Washington, 14 Jun 2018 (AFP) – Os preços dos produtos importados nos Estados Unidos continuaram com seu avanço em maio, aumentando 0,6%, impulsionados pelos combustíveis, segundo dados do departamento do Trabalho.

Excluindo as importações de combustível, que aumentaram 4,9% em sua maior alta desde novembro, os preços dos produtos importados progrediram 0,2% em maio.

Em um ano, o aumento dos preços das importações é de 4,3%, a cifra mais alta desde fevereiro de 2017.

Em um contexto de tensões comerciais devido ao fato de os Estados Unidos aumentarem as tarifas sobre as importações de aço e alumínio, os preços dos metais de base subiram 1,9% em maio, depois de um aumento de 0,4% em abril.

Em maio, os preços dos alimentos avançaram 0,4% e dos materiais industriais subiram 2,5%, seu maior aumento desde novembro.

Vendas no varejo britânico surpreendem e avançam 1,3% em maio – Notícias


As vendas no varejo do Reino Unido tiveram expansão de 1,3% em maio ante abril, segundo dados publicados hoje pelo Escritório Nacional de Estatísticas (ONS, na sigla em inglês). O resultado do mês passado surpreendeu analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam avanço bem menor nas vendas, de 0,3%.

Na comparação anual, o setor varejista britânico ampliou as vendas em 3,9% em abril, também superando de longe a projeção do mercado, que era de alta de 2,2%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Alemanha tem inflação anual de 2,2% em maio, confirma Destatis – Notícias


O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da Alemanha subiu 0,5% em maio ante abril e registrou alta de 2,2% na comparação anual, segundo dados finais publicados hoje pela agência de estatísticas do país, a Destatis.

Os números vieram em linha com as expectativas de analistas consultados pelo The Wall Street Journal e confirmaram estimativas preliminares divulgadas no fim de maio.

Já o CPI harmonizado alemão avançou 0,6% no confronto mensal de maio e mostrou alta de 2,2% em doze meses, também como estimado anteriormente. Fonte: Dow Jones Newswires.

Produção industrial e varejo da China crescem menos que o esperado em maio – Notícias


A produção industrial, as vendas no varejo e os investimentos em ativos fixos tiveram em maio expansão mais moderada que a projetada por analistas ouvidos pela Dow Jones Newswires.

De acordo com dados do Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, na sigla em inglês), a produção industrial chinesa cresceu na margem 0,58% em maio e 6,8% na comparação com igual mês de 2017. A projeção de analistas era de crescimento anual de 7,0%.

A produção de aço somou 97,1 milhões de toneladas em maio, crescimento de 11% em relação a igual mês de 2017. No intervalo de janeiro a maio, foram produzidas 434,7 milhões de toneladas – expansão em base anual de 6,2%.

Já a de petróleo foi de 16 milhões de toneladas, queda de 1,6% ante o mesmo mês do ano passado. Do começo do ano até maio, a soma foi de 78,2 milhões de toneladas, recuo de 2% na comparação anual.

Atividade

O setor de varejo na China apresentou crescimento na margem de 0,29% em maio. Em base anual, a expansão das vendas foi de 8,5%, ante projeção de alta 9,6%.

Os investimentos em ativos fixos não-rurais subiram 6,1% em maio, na comparação anual, enquanto o mercado previam expansão de 7,0%.

Já as vendas de moradias cresceram 12,8% na comparação do intervalo de janeiro a maio com o mesmo período de 2017. Em igual comparação, as construções iniciadas tiveram expansão de 10,8%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Inflação nos EUA cresce 0,2% em maio e 2,8% em um ano – Notícias


Washington, 12 Jun 2018 (AFP) – Os preços registraram uma leve alta nos Estados Unidos em maio, com o que a inflação cresceu 2,8% em um ano, ficando em seu nível mais elevado desde 2012, segundo o índice de preços ao consumidor (CPI) publicado pelo Departamento do Trabalho.

O CPI aumentou 0,2% em maio, em dados corrigidos pelas variações sazonais em relação a abril, algo menos que as previsões dos analistas, que prognosticavam um aumento de 0,3%.

Venda de papelão ondulado cai 18,17% em maio ante abril, revela ABPO – Notícias


As vendas de papelão ondulado utilizado em embalagens – caixas, acessórios e chapas – recuaram 19,53% em maio ante o mesmo mês de 2017, para 237,620 mil toneladas, informou nesta terça-feira, 12, a Associação Brasileira de Papelão Ondulado (ABPO). Na comparação com abril, foi apurada queda de 18,17%.

Considerando os dados livres de influência sazonal, a expedição de papelão ondulado retrocedeu 17,81% entre abril e maio, ao passar de 292.850 para 240.689 toneladas. Com o resultado, a expedição registrou em maio de 2018 o menor valor da série histórica desde junho de 2009 (240.174 toneladas).

O volume embarcado em maio totalizou 575,637 m3, com queda de 18,73% no comparativo anual e 18,01% ante abril. O mês de maio contou com um dia útil a mais, de modo que a expedição por dia útil cresceu 16,31% sobre igual mês de 2017.