Família não Encontra Dinheiro de Bilionário que fez Fortuna em Ripple e Morreu, diz Jornal


Matthew Melon (Foto: Arquivo pessoal)

A família do investidor de criptoativos Matthew Mellon, que morreu subitamente em abril, aos 53 anos, está muito preocupada. De acordo com o jornal britânico Daily Mail, os parentes de Mellon não estão conseguindo ter acesso à fortuna do empresário  calculada em US$ 500 milhões em Ripple.

Mellon teria ainda aproximadamente US$ 500 milhões em criptomoedas armazenados em carteiras frias espalhadas em todo o mundo. Criptoativos podem ser estocados off-line em aparelhos de memória digital, como pen drives e HDs externos. A família diz não possuir informações de onde o investidor teria escondido as criptomoedas.

O investidor teve um grande retorno depois de apostar US$ 2 milhões no ICO da XRP, criptomoeda da empresa Ripple, que o teria feito conseguir um retorno de US$ 1 bilhão.

Matthew tinha sérios problemas com drogas, chegando a gastar até US$ 100 mil por mês em OxyContin. Quando viajou a Cancún, porém, já estaria limpo há 88 dias. A viagem seria um procedimento normal da clínica para recém-habilitados.

O investidor, filho de longa linhagem de banqueiros, dizia preferir a Ripple por atuar em conjunto com os bancos e não se envolver nos ideais de descentralização financeira que geralmente permeiam os usuários de Bitcoin e altcoins:

Criptomoedas são assustadoras e obscuras. São anti-América. Eu sou pró-América, pró-negócios e pró-bancos. Por isso investi em Ripple.

Morte

As circunstâncias da morte do investidor são misteriosas. Um amigo ligado à família disse ao Daily Mail que Mellon morreu ao consumir ayahuasca e sofrer parada cardíaca. Ele teria passado mais de 90 dias numa clínica de reabilitação para dependentes químicos.

De acordo com o site People, a namorada de Matthew, a modelo Kick Kennedy, o acompanhava no momento em que ele passou mal. Ela disse que tudo aconteceu muito rápido.

Herdeiro do banco New York Mellon, das famílias Mellon e Drexel, Matthew, lutava contra o vício do medicamento OxyContin, um analgésico que se sintetiza a partir da tebaína, uma substância presente no ópio. Ou seja, é da família da heroína. Segundo o Pagesix, Mellon tomava até 80 comprimidos por dia. Essa medicação é três vezes mais potente que a morfina.

Conforme informações da família, o empresário passou a ficar dependente após ter se lesionado em um acidente quando praticava surfe. Após perceber o quanto estava viciado, Matthew partiu para o México a fim de se internar num centro de reabilitação em Cancún.

Quando questionado sobre o tratamento, Matthew disse que os médicos eram uns irresponsáveis por continuarem prescrevendo a droga como se fossem os donos da verdade. Ele disse que o OxyContin era como uma heroína legalizada e que precisava se tratar. Ele gastava cerca de US$ 100 mil por mês somente com essa medicação.

BitcoinTrade

Comprar e vender Bitcoin e Ethereum ficou muito mais fácil. A BitcoinTrade é a plataforma mais segura e rápida do Brasil. Além disso, é a única com a certificação de segurança PCI Compliance. Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android: https://www.bitcointrade.com.br/



Banco italiano UniCredit planeja fusão com o francês Société Générale, afirma jornal – 03/06/2018 – Mercado


O UniCredit, maior banco da Itália, planeja uma fusão de suas operações com as do francês Société Générale, informa reportagem do Financial Times. Segundo o jornal, se confirmado, o movimento pode abrir caminho para outras operações semelhantes no continente europeu.

A reportagem diz que ainda não há nada formalizado, mas executivos dos dois bancos estariam discutindo essa possibilidade há alguns meses. O mentor da operação seria Jean-Pierre Mustier, hoje executivo-chefe do UniCredit, mas que já comandou a unidade de banco de investimento do Société Générale. O projeto ainda estaria em fase inicial, e os problemas políticos recentes na Itália podem adiar sua conclusão.

Em meados do ano passado, os dois bancos já haviam negado a possibilidade de combinar seus negócios. Hoje, o Société Générale também negou que haja qualquer discussão em seu conselho sobre a fusão e o Unicredit se recusou a comentar o assunto.

Pane no sistema da Visa impede uso de cartões pela Europa, diz jornal – 01/06/2018 – Mercado


Consumidores da bandeira de cartões Visa ao redor da Europa estão tendo suas transações negadas por problemas no sistema da empresa, segundo o jornal britânico “The Guardian”.

De acordo com a publicação, a Visa confirmou estar investigando o problema, porém ainda não há informações sobre a dimensão do problema.

O “The Guardian” informa que consumidores ao redor da Europa foram ao Twitter para reclamar de pagamentos sendo negados.

Redes de varejo confirmaram dificuldades em receber pagamentos via cartão. Por outro lado, consumidores têm conseguido fazer saques em caixas-eletrônicos, o que gera medo sobre a criação de longas filas.

A Folha entrou em contato com a assessoria de imprensa da Visa no Brasil e, até a publicação desta reportagem, ainda não havia informações sobre possíveis efeitos do problema no país.

Fernando Ulrich admite interesse na compra do Novo Banco




Subscrever o canal. As últimas notícias Fernando Ulrich defende que o aumento do imposto sobre a banca, em 2015, foi mal pensado. O presidente do BPI …

Trump deve anunciar tarifas de aço e alumínio contra Nafta e UE, diz jornal – Notícias


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve anunciar nesta quinta-feira a imposição de amplas tarifas sobre as importações de aço e alumínio do Canadá e do México, parceiros do país no Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta), bem como dos membros da União Europeia, disseram fontes próximas ao assunto ao jornal Washington Post.

A reportagem diz que, frustrado com o fracasso das negociações em curso, Trump escolheu intensificar sua batalha comercial em vez de conceder mais renúncias tarifárias.

Segundo o Washington Post, as tarifas sobre as importações siderúrgicas devem entrar em vigor já na sexta-feira.