EUA e Coréia do Sul vão fortalecer cooperação conjunta na quarta revolução industrial


O Departamento de Estado dos EUA e o Ministério da Ciência e Tecnologia (MSIT) da Coreia do Sul resolveram fortalecer a cooperação dos dois países no avanço da Quarta Revolução Industrial, em uma conferência de imprensa realizada em Seul hoje, 22 de junho.

A chamada Quarta Revolução Industrial foi caracterizada pelo Fórum Econômico Mundial (WEF) como uma série de avanços tecnológicos que “alterarão fundamentalmente a maneira como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos uns com os outros … (através de) a política global, dos setores público e privado ao meio acadêmico e à sociedade civil. ” O WEF reconheceu o papel principal do blockchain na Quarta Revolução Industrial já em 2016.

A conferência de imprensa de hoje em Seul revelou que os EUA e a Coréia do Sul planejam coordenar sua política de tecnologia da informação e comunicação (TIC), além de resolver “fortalecer (sua) cooperação bilateral em segurança cibernética e privacidade”. os dois países reconhecem que “os dados são um recurso fundamental” na Quarta Era Industrial.

Os dois governos disseram hoje que trabalharão em conjunto com organizações internacionais como a União Internacional de Telecomunicações (UIT) e a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) para trabalhar por uma “governança global mais transparente e aberta da Internet” – para qual oferta central de blockchain. de um livro-contábil à prova de falsificação é uma inovação fundamental.

Notavelmente, os dois países revelaram planos para recrutar a gigante de eletrônicos coreana Samsung e a

Microsoft com base nos EUA – os quais investiram bastante no desenvolvimento de suas próprias plataformas blockchain – para aconselhar sobre as maneiras pelas quais novas tecnologias podem contribuir para as pessoas e economias dos dois países.

Em abril, a Samsung disse que vê o blockchain como a “plataforma central para alimentar (sua) transformação digital”. A empresa já se associou a um contrato pioneiro com o governo sul-coreano para a criação de uma plataforma blockchain para o “bem-estar, segurança pública e transporte” até 2022.

A conferência de imprensa de hoje também enfocou a cooperação de organizações internacionais dos dois países, revitalizando a economia digital, troca de dados entre países, comunicações móveis 5G e inteligência artificial (AI), esta última sendo cada vez mais testada com sucesso. em conjunto com a tecnologia blockchain para revolucionar áreas como logística, e até executar contratos inteligentes baseados em blockchain.



Produção industrial e varejo da China crescem menos que o esperado em maio – Notícias


A produção industrial, as vendas no varejo e os investimentos em ativos fixos tiveram em maio expansão mais moderada que a projetada por analistas ouvidos pela Dow Jones Newswires.

De acordo com dados do Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, na sigla em inglês), a produção industrial chinesa cresceu na margem 0,58% em maio e 6,8% na comparação com igual mês de 2017. A projeção de analistas era de crescimento anual de 7,0%.

A produção de aço somou 97,1 milhões de toneladas em maio, crescimento de 11% em relação a igual mês de 2017. No intervalo de janeiro a maio, foram produzidas 434,7 milhões de toneladas – expansão em base anual de 6,2%.

Já a de petróleo foi de 16 milhões de toneladas, queda de 1,6% ante o mesmo mês do ano passado. Do começo do ano até maio, a soma foi de 78,2 milhões de toneladas, recuo de 2% na comparação anual.

Atividade

O setor de varejo na China apresentou crescimento na margem de 0,29% em maio. Em base anual, a expansão das vendas foi de 8,5%, ante projeção de alta 9,6%.

Os investimentos em ativos fixos não-rurais subiram 6,1% em maio, na comparação anual, enquanto o mercado previam expansão de 7,0%.

Já as vendas de moradias cresceram 12,8% na comparação do intervalo de janeiro a maio com o mesmo período de 2017. Em igual comparação, as construções iniciadas tiveram expansão de 10,8%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Produção industrial da zona do euro recua 0,9% em abril – Notícias


A produção industrial da zona do euro diminuiu 0,9% em abril ante março, segundo dados publicados hoje pela agência oficial de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. O resultado veio abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam queda de 0,7%.

Na comparação anual, a indústria do bloco aumentou a produção em 1,7% em abril, mas o resultado ficou bem aquém da projeção do mercado, de acréscimo de 3,2%.

A Eurostat também revisou os dados de produção industrial de março, para alta mensal de 0,6% e ganho anual de 3,2%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Serge Dassault, industrial e chefe de imprensa – Notícias


Paris, 28 Mai 2018 (AFP) – Serge Dassault, falecido nesta segunda-feira (28) aos 93 anos, viveu sua vida à sombra de seu pai, construtor de aviões militares e chefe de imprensa, conseguindo fazer prosperar sua herança, mas manchando suas conquistas com escândalos políticos.

O herdeiro do império Dassault esteve durante muito tempo na sombra de seu pai o pioneiro da aviação Marcel Bloch-Dassault, deportado durante a Segunda Guerra Mundial, engenheiro e inventor dos Ouragan, Mystère e Mirage, dono da revista Jours de France e deputado gaullista falecido em 1986, aos 94 anos.

Nascido em 4 de abril de 1925, Serge entrou na empresa da família aos 26 anos, egresso da Escola Politécnica como engenheiro aeronáutico. Mas atuou somente na filial Dassault Electronique, da qual se tornou presidente executivo em 1967.

“Quando entrei na empresa, senti que o incomodava”, confessou ao semanário VSD em referência ao seu pai.

Serge “queria empreender, queria cargos mais importantes. Mas não havia lugar para dois”, afirma à AFP o historiador Claude Carlier, autor de livros sobre Marcel e Serge Dassault.

Na Dassault Électronique suas capacidades despertaram opiniões contraditórias. Sagaz e astuto para uns, ingênuo, sem diplomacia e “de estilo abrupto” para outros.

Com a morte de Marcel Dassault, o Estado, acionista de 46% do grupo, considerou Serge como pouco capaz para sucedê-lo. Mas conseguiu se assemelhar ao pai após batalhar seis meses.

Percorreu o mundo para promover seus Mirage e o mais recente Rafale. Mas isso lhe valeu um julgamento na Bélgica, onde foi condenado em 1998 a dois anos de prisão em suspenso por corrupção ativa.

Em 2000, deixou a presidência da Dassault Aviation, mas mantendo a do holding familiar Groupe Industriel Marcel Dassault (GIMD).

Paralelamente com seus interesses industriais, se lançou na política, assim como seu pai, embora esta carreira fosse posteriormente atingida por escândalos.

Em fevereiro de 2017, Serge Dassault evitou a prisão somente por sua idade. A Justiça o considerou culpado de evasão impositiva por esconder milhões de euros em Luxemburgo, Liechtenstein e nas Ilhas Virgens.

Foi multado em dois milhões de euros e ficou proibido de se apresentar a um cargo público eleito por cinco anos.

Em abril de 2014, foi acusado de comprar votos, cumplicidade ilegal em financiamento de campanha eleitoral e de se exceder em gastos quando era prefeito de Corbeil-Essonnes, entre 1995 e 2009.

Em 1998, Dassault foi condenado a dois anos de prisão em suspenso na Bélgica por subornar membros do Partido Socialista desse país para obter um contrato para a venda de helicópteros às Forças Armadas belgas.

Aos 75 anos, começou a se dedicar à imprensa depois de comprar o grupo Valmonde (que edita a revista Valeurs Actuelles) e depois a Socpresse, do grupo Hersant, em 2004.

Chegou a controlar até 70 publicações, entre elas o jornal Le Figaro e a revista L’Express, além do clube de futebol Nantes. Dois anos mais tarde vendeu grande parte das publicações e ficou com o Le Figaro.

O industrial estava à frente da terceira maior fortuna da França, com ativos de 14,8 bilhões de dólares, segundo a revista Forbes.

Teve quatro filhos, todos com cargos no Conselho de Vigilância do holding familiar. Em 2014 detalhou as modalidades de sua sucessão: seu homem de confiança e diretor-geral do GIMD, Charles Edelstenne, o sucederá “automaticamente”.

DASSAULT AVIATION

Produção industrial do México cai em 2017 – Notícias


México, 9 Fev 2018 (AFP) – A produção industrial no México cresceu 0,9% em dezembro em relação ao mês anterior, mas caiu 0,6% em 2017, informou nesta sexta-feira o Instituto Nacional de Estatística e Geografia do México (Inegi).

A queda foi provocada pela mineração (-9,8%), segundo a instituição.

A extração de petróleo e gás, a geração, transmissão e distribuição de eletricidade e o abastecimento de água e gás também tiveram desempenho negativo no ano passado.

Em dezembro, o setor de construção cresceu 3,7%, e a indústria, 0,1%, segundo o Inegi.

A atividade industrial do México está intimamente ligada aos Estados Unidos. A indústria mexicana, muito orientada para a exportação, representa quase 30% da economia total do país.

O México, os Estados Unidos e o Canadá estão atualmente renegociando o acordo comercial que entrou em vigor há 24 anos e que tem sido fundamental para o crescimento do comércio exterior no país latino-americano.