China precisa liderar reforma da governança global, diz presidente – Notícias


PEQUIM (Reuters) – A China precisa liderar a reforma da governança global, afirmou o Ministério de Relações Exteriores do país neste sábado, citando o presidente do país, Xi Jinping.

A China tem buscado ter mais voz em organizações globais como o Banco Mundial, Fundo Monetário Internacional e Nações Unidas, em linha com seu crescimento econômico e influência internacional.

Desde que assumiu o governo em 2012, Xi tem tomado medidas para criar os próprios órgãos globais da China como o Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura e lançou um ambicioso projeto para construir uma nova Rota da Seda.

Pequim assumiu papel de ser um membro responsável da comunidade internacional, especialmente em um momento em que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retira o país de acordos sobre mudança climática e do tratado com o Irã e enquanto a Europa enfrenta o Brexit e outras questões.

A China precisa “defender a proteção da soberania do país e seus interesses em segurança e desenvolvimento, participar proativamente e mostrar o caminho na reforma global do sistema de governança, criando uma rede ainda melhor de relacionamentos de parcerias globais” disse Xi segundo comentários citados no fim de um encontro de dois dias entre membros do alto escalão do Partido Comunista.

Isso ajudaria a criar condições para construção de um país socialista moderno e forte, disse o ministério durante o encontro que reuniu autoridades dos ministérios de Relações Exteriores e de Comércio, Exército, do departamento de propaganda e a representantes da embaixada chinesa nos EUA.

Apesar de Xi não ter dado detalhes, o comunicado o cita mencionando a importância da Rota da Seda e outras importantes plataformas diplomáticas como sua “comunidade de destino comum”, um conceito que guia as relações da China com o mundo.

O conceito propõe um “novo estilo” de relações internacionais de “ganha-ganha” e “benefício mútuo” para todos, mas muitas nações do Ocidente criticam o comportamento da China sobre questões como áreas contestadas que incluem o Mar do Sul da China.

Xi acrescentou que a China precisa fortalecer suas relações com nações em desenvolvimento, que são descritas como aliados naturais, mas também precisa aprender com outros países.

O presidente chinês não fez menção direta a questões como a guerra comercial aberta pelos EUA contra o país, ou Coreia do Norte e Taiwan.

(Por Ben Blanchard)

Volks e Ford anunciam parceria para criar linha global de veículos comerciais – Notícias


A alemã Volkswagen e a norte-americana Ford anunciaram na terça-feira, 19, uma “aliança estratégica” global para reforçar a competitividade de ambas. De acordo com comunicado conjunto, as montadoras analisam, entre outras iniciativas, uma união para desenvolver uma linha de veículos comerciais.

Entre as possibilidades estão projetos de novas vans, segmento em que a Volkswagen é forte na Europa, e picapes de grande porte, mercado dominado pela Ford nos Estados Unidos.

As companhias afirmaram que a aliança não envolve aportes financeiros nem troca de ações, mas não deram detalhes. Não há informações também sobre os países em que a parceria poderá ser efetivada. No Brasil, as duas empresas também informaram que detalhes sobre possível impactos no País só poderão ser avaliados futuramente.

Thomas Sedran, diretor de estratégia do grupo Volkswagen, ressaltou que as demandas do mercado e dos clientes estão se modificando a uma velocidade “incrível” e que ambas as empresas já têm posições fortes e complementares em diferentes segmentos de veículos comerciais.

“Para se adaptarem a um ambiente desafiador, é da mais alta importância ganhar flexibilidade por meio de alianças. A potencial colaboração industrial com a Ford é vista como uma oportunidade para melhorar a competitividade global das duas companhias”, afirmou, em nota.

Jim Farley, presidente de Mercados Globais da Ford, disse que a empresa “está empenhada em melhorar nossa qualificação como negócio e alavancar modelos de negócios adaptativos, que incluem trabalhar com parceiros para melhorar nossa efetividade e eficiência”.

Segundo Farley, “essa potencial aliança com o Grupo Volkswagen é mais um exemplo de como podemos nos tornar mais ajustados como negócio, criando ao mesmo tempo um portfólio global de produtos vencedores e expandindo nossas capacidades”.

As duas marcas já estiveram unidas na Autolatina, joint venture que operou no Brasil e na Argentina de 1987 a 1996, mas, nesse caso, é uma parceria mundial que envolve apenas desenvolvimento de produtos.

Várias montadoras anunciaram parcerias nos últimos meses, a maioria relacionadas a projetos de veículos autônomos e elétricos. A mais recente delas, divulgada na semana passada, é entre a General Motors e a Honda para o desenvolvimento de baterias para carros elétricos.

Desafios

Além da mudança global que a indústria automobilística enfrenta diante dos novos desafios da mobilidade, Volkswagen e Ford têm desafios particulares a serem resolvidos por suas matrizes.

A marca alemã lida com ações judiciais em razão de fraudes nos testes de emissões de poluentes por veículos a diesel, caso conhecido como “dieselgate”, que resultou em pesadas multas para o grupo, além da prisão, na segunda-feira, 18, do presidente da Audi.

A Ford anunciou recentemente que deve deixar de vender os sedãs Fiesta, Focus e Fusion nos EUA nos próximos anos, movimento que, futuramente, poderá chegar ao Brasil. A intenção é focar em utilitários-esportivos – os chamados SUVs, segmento que mais cresce em vendas globalmente -, e em picapes, para melhorar sua lucratividade. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

LATIUM Lança Nova Plataforma Revolucionária Para A Economia De Gig E Instantaneamente Criou Um Novo Paradigma No Caminho Gig Trabalhadores Na Comunidade Global Interagir



Madison, Mississippi, 16 de junho de 2018 – Cryptocurrency e Blockchain Technology entraram em quase todos os nichos da sociedade atual em escala global. Era apenas uma questão de tempo até que uma empresa inovadora a apresentasse na forma de uma nova plataforma on-line para criar um modus operandi vastamente aprimorado para o mundo sempre em expansão dos Gig Workers. Um segmento sobre a CNN Money publicou recentemente um artigo que descobriu que a economia dos Estados Unidos representava aproximadamente 19459001 Read More
O post LATIUM lança nova plataforma revolucionária para a economia do gig e criou instantaneamente um novo paradigma na forma O Global Community Interact apareceu primeiro no Bitcoinist.com.

Dólar sobe cerca de 1% ante real com aversão ao risco global diante de temores comerciais – Notícias


Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar operava com alta firme ante o real nesta terça-feira, diante do recrudescimento das tensões comerciais entre Estados Unidos e China após nova ameaça de mais tarifas comerciais pelo presidente norte-americano, Donald Trump, e retaliação de Pequim.

Às 10:00, o dólar avançava 0,96 por cento, a 3,7758 reais na venda, depois de terminar a véspera em alta de 0,27 por cento, a 3,74 reais.

Na máxima, a moeda subiu 1,22 por cento, a 3,7855 reais, logo após a abertura. O dólar futuro tinha elevação de cerca de 0,75 por cento.

“A China teria de impor tarifas sobre tudo o que comprasse dos EUA para manter essa resposta na mesma medida. Mas ela tem outras ferramentas que poderia usar, incluindo pressionar diretamente as empresas norte-americanas que operam na China”, afirmou a empresa de pesquisas macroeconômicas Capital Economics (CE) em relatório.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou impor tarifa de 10 por cento sobre 200 bilhões em bens chineses e Pequim alertou que irá retaliar, em um rápido agravamento do conflito comercial entre as duas maiores economias do mundo.

O Ministério do Comércio da China disse que Pequim vai reagir com medidas “qualitativas” e “quantitativas” se os EUA publicarem uma lista adicional de tarifas sobre bens chineses.

O aumento da retórica entre os dois países trouxe um forte movimento de aversão ao risco que içou o dólar ante a grande maioria das moedas no exterior, subindo ante a cesta e ante divisas de emergentes, como os pesos chileno e mexicano.

Internamente, o mercado trabalha de olho no exterior mas também sob a expectativa de atuação do Banco Central por meio de swaps cambiais tradicionais –equivalentes à venda futura de dólares.

“Se essa aversão (ao risco) se mostrar exagerada por aqui, o BC deve aproveitar sua comunicação recente e dosar as ofertas de swap de acordo com a necessidade, sendo que – a priori – ainda tem 9 bilhões de dólares dos 10 bilhões de dólares sinalizados para ofertar ao mercado nesta semana”, lembrou a corretora H.Commcor em relatório.

Na véspera, o BC fez apenas um leilão de novos contratos de swap cambial, com 20 mil contratos, injetando 1 bilhão de dólares no sistema. Para esta terça-feira, por ora, ainda não anunciou nenhuma intervenção, apenas a oferta de até 8.800 contratos de swap cambial tradicional para rolagem do vencimento de julho.

(Por Claudia Violante)

US$ 10 trilhões: Bilionário Prevê Bitcoin Com 10% do Mercado Financeiro Global em Dez Anos


(Foto: Shutterstock)

O bilionário investidor americano Tim Draper reiterou sua previsão de US$ 250 mil para o preço do Bitcoin até 2022 e falou sobre a situação atual do mercado de criptomoedas em uma entrevista ao The Street em maio, quando participava da conferência de tecnologia Collision em Nova Orleans (EUA).

O primeiro discurso sobre esta previsão foi feito na Draper University, Califórnia, e foi transmitido ao vivo no Youtube em meados de abril deste ano, quando ele disse que “estava pensando em US$ 250 mil por Bitcoin até 2022” e que não ligaria se o “chamassem de louco, mas que seria incrível”.

Draper tem sido um dos maiores entusiastas das criptomoedas, mesmo durante o período de maior baixa no preço do Bitcoin. Ele também é conhecido por ter comprado em torno de 30.000 BTCs do Silk Road, leiloados pelo Marshals Services dos EUA, a US$ 650 dólares a unidade.

Confiança continua forte

Ao The Street, Draper disse que a recente desaceleração do mercado não fez com que sua confiança nessa previsão mudasse.

“Em termos de preço, continuaremos a ver o Bitcoin subir. Eu revisei minha estimativa para US$ 250 mil em quatro anos, então veremos o Bitcoin negociando a marca de US$ 250 mil em 2022”.

O investidor disse, ainda, que ele se baseou no mercado tradicional, onde o mercado global de divisas (dinheiro), segundo ele, atingirá US$ 140 trilhões na próxima década.

“Espero que, uma vez que as criptomoedas aumentem à velocidade do dinheiro, o atual mercado global de moeda de US$ 86 trilhões crescerá para cerca de US$ 140 trilhões nos próximos 10 anos, e esse crescimento será em criptomoedas. Na verdade, eu estimo que as moedas fiduciárias vão diminuir em uso, e que as criptografadas vão representar até US$ 100 trilhões desse mercado. Espero que o Bitcoin seja cerca de 10% desse mercado, ou US$ 10 trilhões. Há muito espaço para crescer até lá”.

O bilionário está envolvido num plano da elite americana que tem como objetivo dividir a Califórnia em três estados e, segundo ele, uma forte mudança deve acontecer em relação à adoção do meio de pagamentos por criptomoedas, bem como usá-las como reserva de valor.

“Acredito que em cerca de quatro anos haverá uma grande mudança quando as pessoas começarem a pagar em criptomoedas. A lentidão nos blocos do Bitcoin o deixava em condição de reserva de valor, mas isso mudou e as tecnologias agora estão facilitando seu uso para pequenos pagamentos”.

Draper se referiu a soluções de escalonamento de segunda camada, como a Lightning Network que resolve a maleabilidade das transações. Ele acredita que “a moeda fiduciária acabará se tornando tão ultrapassada quanto tentar pagar pelo café com moedas de um centavo”.

Independente do preço do Bitcoin, Draper diz que não tem intenção de se desfazer deles, pois segundo ele, estaria voltando ao passado.

“Estou pensando a longo prazo, vou usá-lo, gastá-lo, investi-lo ou apenas mantê-lo, concluiu Draper.

Tim Draper é o sócio-fundador da Draper Associates e da DFJ. Ele teve papel relevante no sucesso do Hotmail, Skype e fez investimentos em empresas emergentes como Twitch.TV e Tesla.

 

BitcoinTrade

A BitcoinTrade é a melhor solução para compra e venda de criptomoedas.
Negocie Bitcoin, Ethereum e Litecoin com total segurança e liquidez.
Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android:
https://www.bitcointrade.com.br/

AIE prevê que economia global forte irá impulsionar demanda por petróleo em 2019 – Notícias


O apetite mundial por petróleo deverá continuar robusto até o fim do próximo ano, segundo avaliação da Agência Internacional de Energia (AIE).

Em relatório mensal publicado nesta quarta-feira, a AIE apresentou pela primeira vez sua previsão de demanda para 2019, estimando que o aumento na procura por petróleo será de 1,4 milhão de barris por dia (bpd), semelhante ao deste ano. Parte significativa do avanço se deverá à demanda do setor petroquímico, diz a agência.

“Combinado com o forte crescimento econômico, o desenvolvimento da indústria petroquímica mundial irá sustentar o aumento na demanda por petróleo”, afirma o documento.

A AIE, no entanto, alertou que há riscos que podem comprometer suas projeções. “(Esses riscos) incluem a possibilidade de preços mais altos, enfraquecimento da confiança na economia, protecionismo comercial e uma possível valorização adicional do dólar americano”, diz a agência, que tem sede em Paris e presta consultoria a governos e empresas sobre tendências na área de energia.

Ainda no relatório, a AIE estima que o avanço da oferta fora da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) diminuirá de 2 milhões de bpd este ano para 1,7 milhão de bpd em 2019. Os EUA têm exibido “de longe” o maior ganho e deverá responder por cerca de 75% do aumento na oferta fora da Opep neste e no próximo ano, calcula a agência. O documento, porém, destaca que gargalos logísticos e de infraestrutura devem limitar parte do crescimento da produção americana, que é impulsionada pelo óleo de xisto.

A AIE afirma que a produção da Opep subiu 50 mil bpd em maio, a 31,69 milhões de bpd. O resultado é atribuído principalmente à Arábia Saudita, considerada líder informal do cartel. Em relatório divulgado ontem, a Opep estimou o acréscimo na sua produção do mês passado em 35 mil bpd, também graças à oferta saudita.

A alta na produção da Arábia Saudita, o maior exportador mundial de petróleo, vem antes de uma importante reunião da Opep marcada para o próximo dia 22, em Viena. No encontro, Opep e outros grandes produtores que não pertencem ao cartel, incluindo a Rússia, deverão discutir a possível ampliação da oferta do grupo.

Por um acordo que está em vigor desde o começo do ano passado, Opep e aliados têm reduzido sua produção combinada em cerca de 1,8 milhão de bpd, numa tentativa de conter um excesso de oferta que vinha pesando nas cotações do petróleo desde 2014.

O pacto, que ajudou a impulsionar os preços do petróleo em mais de 40%, deverá expirar no fim de 2018. No entanto, riscos geopolíticos que ameaçam a oferta do Irã e da Venezuela – ambos membros da Opep – ajudaram o petróleo tipo Brent a superar temporariamente a marca de US$ 80 por barril no mês passado, levando sauditas e russos a expressarem o desejo de encerrar o acordo antes do previsto.

Também no documento de hoje, a AIE diz que os estoques comerciais da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) – entidade formada por países industrializados com forte consumo de petróleo, incluindo os EUA – atingiram em abril uma nova mínima em três anos, de 2,809 bilhões de barris. Esse patamar está 27 milhões de barris abaixo da meta da Opep de alcançar a média dos últimos cinco anos, segundo a agência. Fonte: Dow Jones Newswires.

TRON [TRX] está agora ligado ao mercado global de Forex


 TRON [TRX]

TRON [TRX] – Alguns dias atrás a TRON Foundation anunciou sua parceria com a Shift Markets.

Shift foi criada em 2009 e fornece um 'turnkey' pacote de corretagem que inclui tecnologia de negociação, conformidade, gerenciamento de risco e vendas e marketing. Os clientes da Shift incluem corretoras start-up, middle market e estabelecida FX, CFD e cryptocurrency. A Shift tem ajudado o lançamento em mais de 100 corretores de câmbio e 50 bolsas de criptomoedas nos últimos dez anos.

A Tron fez uma parceria com a Swift para colocar a TRX nos maiores mercados de câmbio do mundo. Devido à parceria, a TRX agora é oferecida em nove corretores espalhados por nove países e a Swift está crescendo consistentemente.

Justin Sun, fundador da Tron, disse:

“A parceria da TRON com a Shift Markets marca uma grande expansão na disponibilidade de TRX e negociação fiat. Estamos orgulhosos de ter um papel proeminente na união dos mercados de criptomoedas e FX em todo o mundo. ”

Com esta nova aliança, a TRX estará preenchendo a lacuna entre as moedas fiduciárias e as criptomoedas. Isso não só trará crescimento para o mercado de criptomoedas, mas também para os mercados tradicionais de Forex que lidam com moedas globais.

O CEO da Shift Markets, Ian McAfee, disse:

“Estamos empolgados em fazer a ponte entre Mercados de FX e criptografia com um projeto popular e excitante como TRON . Th A demanda do FX tem sido enorme e prevemos cada vez mais crossover entre os dois mercados. ”

>> Tron Main Net Updates

TRX Turning Point?

Embora este anúncio ainda não tenha influenciado positivamente o preço do TRX, não é surpreendente como o lançamento da sua rede principal também não o fez. A Tron se separou completamente da plataforma Ethereum e migrará seus tokens dentro de algumas semanas.

Atualmente, o TRX ainda é um token ERC20, mas depois de todos os testes necessários serem feitos na rede principal TRON, as trocas começarão a mudar

No momento da impressão, o TRX está sendo negociado a US $ 0,0595 por moeda, caindo – 0,27 %, em 24 horas.

Imagem destacada: Crypto

Se você gostou deste artigo Clique Compartilhar

CEO da Ripple Aposta Contra Bitcoin: “Não Será a Criptomoeda Global”


Cristopher Michel/Flickr

O CEO da Ripple, Brian Garlinghouse, comparou o potencial da criptomoeda de sua empresa, a XRP, em relação a gigantes como o Bitcoin. Ele aposta numa visão diferente de boa parte dos usuários de criptoativos, que acredita que haverá um tendência natural à centralização numa só moeda digital no futuro.

Na entrevista à CNBC na terça-feira (5), Garlinghouse sugeriu que o Bitcoin não será “a panaceia que as pessoas pensam que seria, que resolveria todos os tipos de problemas”. Durante conferência Money 20/20 Europe, em Amsterdã, o CEO da Ripple disse que o mercado está “vendo especializações de diferentes propósitos e diferentes tipos de blockchain”.

Bitcoin x Ripple

Garlinghouse também apontou desvantagens do Bitcoin em relação à criptomoeda criada pela sua companhia: enquanto as transações de Bitcoin têm levado em torno de 42 minutos para serem completadas, a XRP completa a operação em cerca de 4 segundos. Vale lembrar que o volume de transações em BTC é muito maior que o da Ripple.

A empresa sob o comando de Garlinghouse tem aumentado sua popularidade, especialmente para empresas que fazem transações entre países de moedas diferentes. A XRP serve como uma espécie de ponte na transferência de valores e câmbio de moedas ao mesmo tempo. O sistema não é baseado em blockchain, mas num protocolo desenvolvido pela companhia.

Outros grandes líderes de empresas têm visão bem distinta da de Garlinghouse sobre o rumo das criptomoedas. Para o co-fundador da Apple Steve Wozniak, a tendência é uma completa centralização no Bitcoin. O CEO do Twitter, Jack Dorsey, também aposta na primeira das criptomoedas. Garlinghouse acredita que “muitos sairão vencedores” entre os criadores de criptoativos.

Marketing da Ripple

A Ripple vem apostando pesado em ações de marketing. No final de maio, ator e investidor americano, Ashton Kutcher, presenteou em rede nacional um instituto em prol de animais selvagens com US$ 4 milhões em Ripple durante o programa ‘The Ellen DeGeneres Show’.

Um mês antes, doou US$ 29 milhões de sua própria moeda digital XRP para apoiar as escolas públicas dos EUA. A doação atendeu a milhares de pedidos de professores de escolas públicas no site de crowdfunding DonorsChoose.org.

Leia também: Mercado Bitcoin Elimina Taxas de Depósito Depois de Perder Espaço para Concorrência

 

BitcoinTrade

Comprar e vender Bitcoin e Ethereum ficou muito mais fácil. A BitcoinTrade é a plataforma mais segura e rápida do Brasil. Além disso, é a única com a certificação de segurança PCI Compliance. Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android: https://www.bitcointrade.com.br/



CEO da Ripple diz que o Bitcoin não vai se tornar moeda global


Brad Garlinghouse da Ripple disse à CNBC na terça-feira que o Bitcoin não será a solução global que as pessoas esperam em termos de moeda global.

“Eu acho que não vai ser a panacéia que as pessoas pensavam que seria, onde resolveria todos esses diferentes tipos de problemas”, disse Garlinghouse nos bastidores do Money20 / 20 Euorpe, que está sendo realizado esta semana em Amsterdã. . “Em vez disso, você está vendo especializações de diferentes tipos de registros, diferentes tipos de blockchains”.

Na segunda-feira, o co-fundador da Apple, Steve Wozniak, disse que espera que o bitcoin possa se tornar uma moeda mundial, uma previsão que já foi feita pelo presidente da Square, Jack Dorsey.

Embora enfatizando que não é necessariamente um caso de uma moeda versus outra, Garlinghouse apontou que as transações de XRP são “mil vezes mais rápidas” do que as do Bitcoin, que ele descreveu como “bastante lentas”.

É verdade que o Bitcoin, a criptomoeda mais amplamente negociada, é muito mais lento. No momento da entrevista, a transação média do BTC foi de 42 minutos, de acordo com Blockchain.info, enquanto as transações de XRP demoram aproximadamente quatro segundos, embora valha a pena ressaltar que o volume de negociação do Bitcoin também é muito maior do que o da XRP.

No entanto, as velocidades de transação do Bitcoin são resultado do uso da tecnologia blockchain, que ainda não foi dimensionada com sucesso para permitir uma base de usuários mais ampla. Transações da Ripple são executadas nativamente no protocolo Ripple, não em uma blockchain.

A Ripple está vendo a adoção bem-sucedida como um serviço de pagamento transnacional com instituições financeiras tradicionais, oferecendo produtos que permitem que grandes transações sejam realizadas além-fronteiras de uma moeda fiduciária para outra em segundos, usando o XRP como um ativo “ponte”.

Ele continuou dizendo que a ideologia maximalista de haver apenas uma moeda não é o caminho a percorrer.

“Há algumas pessoas nisso, no mercado de criptomoedas, no mercado de blockchain – para eles, é quase uma guerra santa de um contra o outro. Eu não vejo nada disso ”, ele disse.

Garlinghouse disse que haveria “muitos vencedores” na adoção de criptomoedas, e recentemente em uma entrevista separada da CNBC disse que esperava que a influência do Bitcoin no preço das outras moedas no mercado de criptomoedas logo enfraquecesse conforme as pessoas começassem a explorar outras opções.

“Acho que o que estamos vendo é o crescimento geral desse mercado e haverá muitos vencedores”, acrescentou ele.

Enquanto a Ripple, como empresa, é uma entidade separada da moeda XRP, 60% da oferta de XRP é de propriedade da empresa, grande parte dos próprios fundadores da Ripple. A Ripple está sendo processado em uma ação coletiva por um violou a lei de valores mobiliários dos EUA ao vender o símbolo para a empresa.

Previous:

Smartphones e Blockchain

Postado em junho 05, 2018

Next:

Breve introdução ao EOS

Postado em junho 05, 2018

Todos direitos reservados a traderize.com.

Moedas aceitas no site: