Produção industrial e varejo da China crescem menos que o esperado em maio – Notícias


A produção industrial, as vendas no varejo e os investimentos em ativos fixos tiveram em maio expansão mais moderada que a projetada por analistas ouvidos pela Dow Jones Newswires.

De acordo com dados do Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, na sigla em inglês), a produção industrial chinesa cresceu na margem 0,58% em maio e 6,8% na comparação com igual mês de 2017. A projeção de analistas era de crescimento anual de 7,0%.

A produção de aço somou 97,1 milhões de toneladas em maio, crescimento de 11% em relação a igual mês de 2017. No intervalo de janeiro a maio, foram produzidas 434,7 milhões de toneladas – expansão em base anual de 6,2%.

Já a de petróleo foi de 16 milhões de toneladas, queda de 1,6% ante o mesmo mês do ano passado. Do começo do ano até maio, a soma foi de 78,2 milhões de toneladas, recuo de 2% na comparação anual.

Atividade

O setor de varejo na China apresentou crescimento na margem de 0,29% em maio. Em base anual, a expansão das vendas foi de 8,5%, ante projeção de alta 9,6%.

Os investimentos em ativos fixos não-rurais subiram 6,1% em maio, na comparação anual, enquanto o mercado previam expansão de 7,0%.

Já as vendas de moradias cresceram 12,8% na comparação do intervalo de janeiro a maio com o mesmo período de 2017. Em igual comparação, as construções iniciadas tiveram expansão de 10,8%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Crescimento das exportações da China se estabiliza em maio, importações sobem mais que o esperado – Notícias


Por Lusha Zhang e Elias Glenn

PEQUIM (Reuters) – A China manteve um sólido crescimento das exportações de 12,6 por cento em maio, ligeiramente menor do que em abril mas ainda uma boa notícia para as autoridades do país no momento em que lidam com duras negociações comerciais com os Estados Unidos.

As importações também subiram mais do que o esperado em maio e no ritmo mais rápido desde janeiro, com os dados sendo divulgados no momento em que a China prometeu a seus parceiros comerciais, incluindo os EUA, que serão adotadas medidas para aumentar as importações.

A expectativa em pesquisa da Reuters junto a 32 analistas era de alta de 10 por cento nas exportações em maio, mas o resultado mostrou pouca perda de força ao ficar em linha com os 12,7 por cento de expansão vistos em abril.

Mas independentemente das chances de uma guerra comercial, analistas alertam que o crescimento das exportações da China deve estagnar.

“Mesmo que uma guerra comercial seja evitada, o crescimento comercial chinês ainda deve diminuir ao longo do próximo ano conforme a economia global perde força e obstáculos à demanda doméstica devido à expansão mais lenta do crédito se intensificam”, escreveu em nota Julian Evans-Pritchard, economista sênior da Capital Economics.

As importações cresceram 26 por cento em maio, informou a Administração Geral de Alfândega, superando a expectativa de analistas de 18,7 por cento, e após alta de 21,5 por cento em abril.

O superávit comercial da China diminuiu para 24,92 bilhões de dólares em maio de 28,38 bilhões em abril, e ficou bem abaixo da expectativa de analistas de 31,9 bilhões de dólares.

Inflação na Turquia fica acima do esperado em meio e alimenta expectativa de alta de juros – Notícias


Por Daren Butler

ISTAMBUL (Reuters) – Os preços ao consumidor da Turquia saltaram 1,62 por cento em maio, acima do esperado, ampliando as expectativas de que o banco central vai elevar a taxa de juros de novo na quinta-feira.

Em reunião de emergência no dia 23 de maio, o banco central elevou os juros em 3 pontos percentuais para sustentar a lira. A moeda havia despencado depois que o presidente Tayyip Erdogan, crítico dos altos custos de empréstimos, disse que exerceria influência sobre a política monetária após as eleições turcas em 24 de junho.

Após os dados de inflação, a lira foi abaixo de 4,6 ante o dólar de 4,6563 no fechamento na sexta-feira. Às 7h16 (horário de Brasília), era negociada a 4,6316 por dólar.

“O mercado está interpretando esse número como tão ruim que na verdade é bom porque vai deixar ao banco central muito pouco espaço em sua próxima reunião para não elevar os juros de novo”, disse o estrategista da BlueBay Asset Management Timothy Ash.

Em pesquisa da Reuters, analistas projetavam que o índice de preços ao consumidor subiria 1,45 por cento na comparação mensal. Os dados do Instituto Turco de Estatísticas mostraram que o índice saltou 12,15 por cento na base anual, contra 10,85 por cento em abril.

“No curto prazo a alta da inflação pode continuar devido aos efeitos de base, mas uma tendência de queda começará no segundo semestre do ano com medidas coordenadas de políticas fiscal e monetária”, disse no Twitter o vice-primeiro-ministro Mehmet Simsek.