Opep: Rússia endossa plano para elevar produção de petróleo em 1 mi de barris – Notícias


Em reunião realizada neste sábado, a Rússia declarou apoio ao plano da Arábia Saudita para aumentar a produção mundial de petróleo diante dos preços mais altos, após mais de um ano de retração na produção em coordenação com a Organização dos Países Exportadoras de Petróleo (Opep).

O ministro da Energia da Rússia, Alexander Novak, disse que seu país apoiou um plano da Opep para aumentar a produção de petróleo em 1 milhão de barris por dia a partir do próximo mês. No entanto, o aumento real deverá ser de cerca de 600 mil barris por dia, segundo pessoas a par do assunto, já que alguns países não conseguem elevar a produção.

O número fica abaixo do aumento de 1,5 milhão de barris por dia que a Rússia vinha almejando antes de uma série de reuniões conduzidas pela Opep em Viena nesta semana.

A Opep e 10 produtores de fora do grupo – incluindo a Rússia – diminuíram a produção de petróleo em cerca de 1,8 milhão de barris por dia desde o começo do ano passado, em um esforço para conter o excesso de oferta que pesou nos preços desde o final do ano. Mas, como resultado de cortes mais profundos de países como a Arábia Saudita, e interrupções de produção em outros países da organização, o cumprimento do acordo excedeu as cotas planejadas, chegando a cerca de 150% do número acordado.

A Opep concordou ontem em reduzir esse número para 100%, e a Rússia endossou o plano hoje. Novak disse que o aumento do preço do petróleo – o petróleo tipo Brent rompeu o limite de US$ 80 o barril no mês passado pela primeira vez em mais de três anos – reflete a eliminação de um estoque global e o reequilíbrio do mercado de petróleo.

O ministro do petróleo da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, disse que a liberação de barris adicionais no mercado seria gradual, mas que seu país começaria a vender mais petróleo no início de julho. Fonte: Dow Jones Newswires.

Charlie Lee Na CNBC | Bithumb Hack, Bitcoin Price e Rede de Relâmpagos


 Charlie Lee na CNBC "title =" Charlie Lee na CNBC

Charlie Lee na CNBC: Charlie Lee, fundador da Litecoin (LTC), conversou com CNBC sobre a recente invasão da Bithumb , O preço do Bitcoin, e a rede Lightning.

Charlie Lee na CNBC: Bithumb Hack

O Bithumb da troca de criptografia sul-coreana foi hackeado no início desta semana com um total de US $ 30 milhões em crypto roubado. Foi o suficiente para mudar a taxa de câmbio do sexto lugar para o volume diário de negociação e cair para o sétimo lugar. Junto com a perda de criptografia da troca, muitos preços de criptomoedas despencaram do pânico resultante, incluindo o Bitcoin (BTC).

Lee explicou que a queda de preço era esperada. “Acontece o tempo todo”, ele disse. A criptografia é roubada, as pessoas ficam assustadas e as pessoas vendem, fazendo com que os preços dos crypto caiam.

No entanto, Lee argumentou que o Bithumb sendo hackeado – na verdade, qualquer invasão de câmbio – não altera os fundamentos básicos do Bitcoin. Ele comparou isso a um assalto a banco:

“É como se um banco fosse quebrado e ouro fosse roubado, isso afetaria o preço do ouro? Não deveria. O mesmo com o Bitcoin. Se a troca não protege sua moeda bem o suficiente e é hackeada, ela realmente não muda os fundamentos da moeda que eles estão protegendo. ”

Seu raciocínio se resume ao fato de que uma troca de moeda tem mais a ver com a segurança do câmbio do que com a criptografia roubada.

Charlie Lee na CNBC: Bitcoin Price

Bitcoin pode estar caindo desde o início deste ano, mas Lee está convencido de que a moeda está ainda “indo muito bem.” Ele explica que a rede do Bitcoin está se tornando mais forte e que o preço do BTC é provavelmente “desarticulado do desenvolvimento real do Bitcoin.” que o mercado é imprevisível e que, neste momento, é um mercado em baixa, sem maneira de dizer quanto tempo isso vai durar.

“Eu estive nesse espaço por sete a oito anos e vi mercados de urso durarem. três a quatro anos agora. Então, este pode ser um mercado de três a quatro anos ou pode se recuperar amanhã. ”

O que se tem aqui é que é mais importante prestar atenção aos desenvolvimentos dos projetos de criptografia do que os preços atuais.

dizendo, "Eu tenho fé que os preços vão se recuperar e subir de volta em breve."

Charlie Lee na CNBC: Lightning Network

Charlie Lee disse que a coisa que ele estava mais animado atualmente o espaço criptográfico era a Rede Relâmpago.

“O que mais me anima é a Rede Lightning. Tecnicamente, o Bitcoin ficou cada vez mais forte nos últimos anos. O SegWit foi ativado, os desenvolvedores estão trabalhando duro para obter o Lightning Network, que é a segunda camada para pagamentos trabalhando com Bitcoin e Litecoin. ”

O que você achou de Charlie Lee na CNBC? Você concorda com ele?

>> Litecoin Trading Futures: Coming Sooner Than You Think [1945909]

Imagem destacada: Bitsonline

Se você gostou deste artigo Clique para compartilhar

Brasil ganha 101 Leões em Cannes e bate resultado da última edição do festival – Inteligência de Mercado


O Brasil conquistou 101 Leões no festival internacional de publicidade Cannes Lions neste ano, evento realizado de 18 a 22 de junho na Riviera Francesa. A marca superou os 99 prêmios da última edição e os 90 troféus de 2016.

O resultado positivo veio mesmo após o evento promover algumas mudanças e diminuir o número de Leões distribuídos.

“Encerramos três grandes prêmios Lions, além de retirar e recombinar muitas subcategorias. Fizemos isso sabendo que significaria um volume menor de inscrições, mas foi a decisão certa no longo prazo”, comentou Philip Thomas, presidente do Cannes Lions.

De acordo com a organização, foram cerca de 32 mil inscrições neste ano. São trabalhos de 90 países que concorreram aos prestigiados Leões em 26 categorias.

Entre os prêmios conquistados nesta edição o Brasil conseguiu dos Grand Prix (principais troféus).

Um deles foi conquistado pela agência Grey Brasil, na categoria Mobile, com o comercial “Corruption Detector”(Detector de Corrupção), campanha foi feita para o Reclame Aqui.

Trata-se de um aplicativo gratuito que usa o reconhecimento facial para detectar processos de corrupção e improbidade administrativa que políticos respondem na Justiça.

O app é capaz de fazer a análise mesmo com a captura de imagem das pessoas em comerciais de TV, santinhos, cartazes e vídeos na internet, por exemplo.

O outro Grand Prix foi entregue na área Print & Publishing  à agência Africa, que produziu o comercial “Tagwords”, para a Budweiser.

A ação instigava o público a buscar no Google quatro elementos que apareciam nas peças:  um ano, o nome de um grande festival de música global e a marca da cerveja.

Quem fizesse a busca veria como resultados fotos de momentos marcantes de astros do rock em cenas históricas e espontâneas com a cerveja em mãos.

Por exemplo, digitando no Google “1969 musicians sessions Budweiser” o internauta seria levado a imagens de Mick Jagger e Keith Richards segurando uma Budweiser.

BRASIL EM CANNES NOS ÚLTIMOS ANOS

2013 – 115
2014 – 107
2015  – 108
2016 – 90
2017 – 99

—————————————————————————————————————

Sugestões, críticas ou dúvidas? Envie para
folha.inteligenciademercado@gmail.com

Siga também no Linkedin e no Instagram



Wall Street vai trazer "dezenas de trilhões de dólares" para Crypto


Charles Hoskinson, co-fundador da altcoin Cardano (ADA), twittou em 20 de junho que a entrada de Wall Street no setor de criptografia trará “dezenas de trilhões de dólares : "

Cardano, que está atualmente em 8º lugar no Coinmarketcap tem um valor de mercado de cerca de US $ 3,5 bilhões. Charles Hoskinson também foi um dos membros fundadores da Ethereum (ETH), da Invictus Innovations e da empresa de tecnologia de criptografia IOHK

. Quando perguntado por um comentarista o que exatamente a comunidade de criptografia está construindo, Hoskinson respondeu “Um mundo inteiramente novo:”

O cruzamento da criptomoeda com Wall Street foi bem recebido por aqueles que também vêem um influxo potencial em capital. Em meados de maio, a carteira e bolsa de criptomoedas Coinbase lançaram um novo conjunto de produtos destinados a atrair investidores institucionais, aliviando a segurança e as preocupações com a regulamentação. Falando sobre o lançamento do produto, o vice-presidente da Coinbase referiu-se a “US $ 10 bilhões” em dinheiro de Wall Street que agora tinha o potencial para entrar no mercado.

O valor de “trilhões” também já foi divulgado antes, como Dan Morehead, CEO O fundo de criptografia de US $ 1 bilhão Pantera Capital disse em abril que um mercado de criptografia de US $ 40 trilhões é possível, em parte devido ao crescente interesse de Wall Street em limpar transações de criptografia.

AGU recorre de proibição de parceria entre Telebras e Viasat – Notícias


A Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que negou pedido da União e manteve suspensa a parceria da Telebras com a empresa norte-americana Viasat para exploração do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

A decisão foi tomada pela presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, e publicada no início do mês. O contrato foi suspenso em março por uma liminar dada pela Justiça do Amazonas, a pedido da Via Direta Telecomunicações e Internet, e pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), a pedido do Sindicato Nacional de Empresas de Telecomunicações por Satélite (Sindisat).

No Supremo, a AGU ainda pede que, se Cármen não reformar sua decisão, envie o processo para ser analisado pelo plenário do Supremo Tribunal Federal. O presidente da Telebras, Jarbas Valente, afirmou em maio que a empresa não vai desistir de derrubar as decisões judiciais que questionam essa parceria entre a estatal de telecomunicações e a empresa norte-americana.

Ao STF, a AGU diz que, ao contrário do que disse Cármen em sua decisão, a suspensão do contrato causa prejuízos ao interesse público e grave lesão às ordens pública e econômica. “De fato, resta claro nestes autos que sem a participação da Viasat não se afigura possível a utilização plena do SGDC, e, consequentemente, a promoção de políticas públicas pela via da tecnologia Banda Ka”, afirma a advogada-geral da União, Grace Mendonça.

A AGU frisa que a parceria não trata apenas da utilização do SGDS, mas também sobre o fornecimento de equipamentos pela Viasat para a viabilização do funcionamento de 100% da capacidade do satélite.

“Assim, a cada dia que a União não utiliza a tecnologia do satélite, pagando pela sua manutenção em órbita e sem atividade plena, toda a coletividade tem de assumir um altíssimo prejuízo, não sendo possível assumir, portanto, que já não há, ‘neste momento, situação justificadora para o excepcional deferimento'”, rebate a advogada-geral da União.

A Telebras afirma que, sem uso, o satélite gera perda diária de R$ 800 mil. O satélite brasileiro foi lançado em órbita no dia 4 de maio, com investimentos de R$ 2,8 bilhões. Ele tem duas bandas: uma é de uso exclusivo militar, já em utilização; outra de uso civil, para internet satelital. Ele está em funcionamento desde janeiro, mas é preciso construir antenas e infraestrutura em terra para que seja possível fornecer sinal a milhares de localidades no País, como escolas, entes públicos e também clientes comerciais.

A contratação da Viasat foi feita após um chamamento público feito pela Telebras, que não teve interessados. Em seguida, a companhia utilizou a modalidade de “contrato associativo”, previsto na nova Lei das Estatais, que permitiu ceder uma parte da capacidade do satélite para a Viasat.

Bitcoin Atingiu Menor Preço de 2018


(Foto: Shutterstock)

A queda do bitcoin parece não ter terminado ainda. Na noite de sexta (22), o preço caiu abaixo dos US$ 6.000 e foi negociado perto dos US$ 5.900 nas principais exchanges do mundo, alcançando assim a menor cotação de 2018.

Na Bitfinex, exchange com maior volume de negociação de BTC, o preço chegou a US$ 5.910, menor cotação desde novembro de 2017.

Gráfico BTC/USD da Bitfinex

Alta do dólar segura preço do Brasil

No Brasil, de acordo com o Índice de Preço (IPB), a cotação do bitcoin continua acima dos R$ 23.000, grande parte devido à forte alta que o dólar teve neste ano. A menor cotação do bitcoin no Brasil em 2018 foi atingida no dia 7 de feveriro, quando alcançou R$ 20.204.

Na época, a cotação nas principais exchanges do mundo também estava em torno dos US$ 6.000, porém, o dólar estava apenas R$ 3,20, 15% a menos do que a sua cotação atual, de R$ 3,80.

O desvalorização do BTC já acumula -15% apenas em junho e valorização de 1,5% no segundo trimestre. Desde o início do ano, o bitcoin já caiu 48%. O valor de mercado da criptomoeda atualmente é de US$ 105 bilhões.

O que pode ter impulsionado a queda

A venda em massa se agravou após um documento ter sido publicado na página oficial do Mt.Gox, uma extinta exchange de criptomoedas que foi hackeada em mais de US$ 470 milhões em 2014.

Resumindo, o documento detalha alguns pontos importantes, como o responsável pela custódia dos BTCs da Mt. Gox não podendo mais vende-los no mercado. Além disso, e possivelmente o principal motivo da queda, é o fato de que os credores receberão BTC (e não JPY – moeda fiduciária japonesa) na metade de 2019, o que significa que uma grande quantidade de bitcoin entrará no mercado e talvez sejam despejados, dado que são bitcoins adquiridos pelos usuários em 2014 ou antes.

Outro fator que pode ter contribuído foi o órgão regulador financeiro do Japão, a Financial Services Agency (FSA), que enviou pedidos de melhoria de negócios para seis grandes bolsas de criptomoedas, informou a Cointelegraph Japan em 22 de junho.

De acordo com os comunicados de imprensa listados em seu site, a FSA exigiu uma revisão da gestão de risco – centrada nos requisitos anti-lavagem de dinheiro (AML) e know-your-customer (KYC) – da bitFlyer, Quoine, BTC Box, Bit Bank, Tech Bureau. e Bit Point.

bitFlyer, maior exchange de criptomoedas do Japão, bloqueou o cadastro de novos usuários após o governo requisitar mudanças no sistema contra lavagem de dinheiro e identificação de clientes.

Mercado todo em queda

As principais criptomoedas do mercado operam em queda na última semana. Os principais destaque são a EOS, Qtum, NEM, Cardano e IOTA, todas com desvalorizações superiores a 15% nos últimos sete dias.

Fonte: https://portaldobitcoin.com/cotacoes/

O valor total do mercado de criptomoedas encontra-se em US$ 254 bilhões, menor valor desde abril de 2018.

Leia também: Pela Primeira Vez, Suprema Corte dos EUA Fala sobre Bitcoin

 

BitcoinTrade

A BitcoinTrade é a melhor solução para compra e venda de criptomoedas.
Negocie Bitcoin, Ethereum e Litecoin com total segurança e liquidez.
Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android:
https://www.bitcointrade.com.br/

Operador francês fez aposta de US$6,6 bi sozinho no mercado financeiro – Notícias


Por Julien Ponthus e Blandine Henault

LONDRES/PARIS (Reuters) – Um operador independente na França acumulou futuros de ações equivalentes a 6,6 bilhões de dólares em um único dia, o que criou dúvidas entre os investidores sobre como ele pode montar uma posição tão grande apesar de ter apenas 20 mil euros em sua conta na corretora.

Salvaguardas da indústria financeira foram reforçadas nos 10 anos após o operador Jerome Kerviel ter causado ao banco francês Société Générale um prejuízo de 4,9 bilhões de euros e controles internos das empresas financeiras foram criados para impedir que operadores individuais assumam posições tão grandes.

Mas Harouna Traore conseguiu comprar 43.941 contratos futuros do S&P 500 avaliados em 5,3 bilhões de dólares e 34.388 contratos futuros do Eurostoxx 50 no valor de 1,2 bilhão de euros em 29 de junho do ano passado. Os negócios foram feitos por meio da corretora londrina Valbury Capital, segundo registros de operações vistos pela Reuters.

Quando contatado, Traore, 41, fez referência a um documento judicial também visto pela Reuters no qual ele confirmou as operações e em que afirma que os negócios que fez foram resultado de um erro. Segundo Traore, ele inicialmente pensava que estava usando uma plataforma de treinamento, onde os limites de negócios não se aplicam, em vez de um ambiente real.

Ele agora está processando a Valbury Capital em um tribunal na França, alegando que a corretora ficou com os 11 milhões de dólares de lucro gerados por suas operações.

Procurada, a Valbury Capital recorreu ao advogado Robert Falkner, sócio do escritório de advocacia Reed Smith, que está representando a corretora. Falkner afirmou que havia um limite contratual de operações na conta de Traore, mas não deu mais detalhes.

Um email de 16 de junho do ano passado da Valbury Capital para Traore, visto pela Reuters, afirma que a conta do investidor francês de 20 mil euros tinha um limite de operações de apenas 10 contratos futuros por dia.

“Houve um erro na conta dele”, disse Tarek Elmarhri,diretor do espaço de treinamento de negócios Krechendo em Paris, cuja plataforma de negociação é usada por Traore e outros investidores em operações diárias.

O erro permitiu que Traore “pudesse comprar um número sem limite de contratos” no sistema em que ele passou apenas oito semanas sendo treinado para usar, disse Elmarhri. Traore pediu para Elmarhri avaliar com ele as operações de 29 de junho quando ele voltou à Krechendo.

Nos parâmetros de risco da conta de Traore na ValburyCapital, segundo imagem da tela da conta vista pela Reuters, o crédito do usuário está indicado como “ilimitado”.

As enormes posições acumuladas por Traore são muitas vezes maiores que operadores experientes em bancos de investimentos podem comprar num dia de operações, disse Elmarhri.

Representantes da Financial Conduct Authority, da Inglaterra, e da francesa AMF não comentaram o assunto.

CHOQUE

Os registros de negócios vistos pela Reuters mostram que Traore primeiro negociou contratos futuros da Eurostoxx 50 na tarde de 29 de junho, uma posição que ele encerrou antes do fechamento do mercado europeu, o que o deixou com um prejuízo de 2,4 milhões de euros.

Ele então começou a negociar futuros do S&P500 e conseguiu fechar sua posição com um lucro de 13,6 milhões de dólares, embora ele pudesse ter sofrido uma perda de entre 100 milhões e 200 milhões de euros se os mercados acionários tivessem caído entre 3 e 4 por cento, disse Elmarhri, da Krechendo.

Traore teve prejuízo de 900 euros no ambiente de negociação da Krechendo na manhã de 29 de junho e acrescentou que decidiu ir para casa para praticar em uma versão de treinamento da plataforma.

Foi então que ele montou as enormes posições em contratos futuros. Ele afirmou à Reuters que somente percebeu que suas apostas eram “reais” quando ele viu que atingiu prejuízo da ordem de milhão de euros.

“Eu achei que era o fim da minha vida. Eu pensei como eu vou pagar tudo isso?”, disse Traore, acrescentando que foi nessa situação em que decidiu tentar fazer mais negócios para conseguir lucro. Quando conseguiu, Traore ficou em casa no dia seguinte.

“Eu estava em choque”, afirmou. Ele afirmou que recebeu comunicados normais da Valbury Capital no dia seguinte e não teve nenhum contato com a corretora antes de ligar para ela na semana seguinte para explicar o que aconteceu.

O operador afirmou que não foi alertado, antes de fazer suas apostas bilionárias, que sua conta não tinha limites e negou que sabia que estava negociando em uma plataforma real.

Elmarhri afirmou que como Traore acertou suas operações com lucro antes da conclusão dos negócios, suas posições gigantes em contratos futuros passaram desapercebidas até a semana seguinte.

“Isso pode acontecer de novo, as regras atuais não são efetivas”, disse Elmarhri, ressaltando que os limites de operações devem ser estritamente implementados pelos operadores.

Traore trabalhou entre 2013 e 2017 para a Thomson Reuters, a companhia controladora da Reuters, conforme mostra seu perfil no LinkedIn.

Wendy McElroy: Crypto como classe de guerra


 Criptografia como Classe Warfare "title =" Wendy McElroy: Cripto como Classe Warfare "/> </a></div>
</p></div>
<p>                 Notícias<br />
              </p>
</p></div>
<p> A Revolução Satoshi: Uma Revolução das Expectativas Crescentes <br /> Seção 4: Estado versus Sociedade <br /> Capítulo 9, Parte 1 <br /> Criptografia como Guerra de Classes </p>
<p style= “O antagonismo entre as classes será removido. Eu não vejo um nível morto e artificial entre as pessoas. Haverá uma variedade entre eles, como há entre as folhas de uma árvore. Certamente não haverá não-ter, sem desemprego e sem disparidade entre classes e massas, como vemos hoje. Eu não tenho nenhuma dúvida de que se a não-violência em sua medida completa se tornar a política do Estado, alcançaremos igualdade essencial sem luta. ”

-Mahatma Gandhi

Criptomoeda é a realização de um sonho anarquista que remonta séculos: uma moeda livre e um sistema bancário livre. A Crypto está em sua infância, o que significa que suas aplicações futuras são eletrizantemente imprevisíveis, exceto em um aspecto: qualquer aplicação bem-sucedida preencherá uma necessidade humana. Nenhuma necessidade humana é tão aguda quanto comida e abrigo, o que requer dinheiro e troca. Controlar o fluxo de dinheiro e troca, portanto, é controlar a própria vida. E o fluxo financeiro é muitas vezes capturado por uma palavra: a banca

Na sua busca pela banca livre, os reformadores sociais do passado fizeram uma distinção que é frequentemente perdida hoje. Ou seja, o setor bancário está no centro da guerra de classes. As ramificações desse insight repousam sobre a definição de “classe” sendo usada: capitalista versus trabalhador, nobres versus camponeses, o político versus produtivo. A criptografia afasta-se nitidamente do significado imposto pelos socialistas séculos atrás – capitalistas versus trabalhadores – e expressa uma forma de guerra financeira de classe no século XXI: a política versus a produtiva.

A extraordinária rede de criptografia é não é um sistema bancário, como tradicionalmente concebido, mas pode substituir a maioria das funções bancárias. E a evolução futura dentro das aplicações de criptografia pode acabar com qualquer necessidade remanescente dos bancos centrais. [1965906]
Anarquistas do século passado sabiam que a liberdade dependia do que O radical francês Pierre Joseph Proudhon chamou o Banco do Povo – um banco que atendia aos interesses financeiros dos trabalhadores, não da elite. A visão de Proudhon era um banco cooperativo que oferecia crédito a juros baixos e emitia notas baseadas em mão-de-obra em vez de dinheiro baseado em ouro.

As muitas tentativas de banco livre geralmente tinham um tema em comum; eles falharam. Três fatores desempenharam um papel significativo

Ideologia. Os primeiros anarquistas aceitaram o conceito socialista de uma "Teoria do Valor do Trabalho". Ou seja, o preço econômico justo de um bem ou serviço é determinado pela mão-de-obra necessária para produzi-lo. A teoria forma a base da condenação do socialismo ao “capitalista”, que rouba a riqueza obtida pelo “trabalhador” quando ele cobra e embolsa mais do que o custo de produção para um bem. Em resumo, os socialistas acreditam que o trabalho embutido, não o valor subjetivo ou a oferta e a demanda, determinam um preço justo. Experiências bancárias do passado tendiam a tropeçar e cair sobre esse modelo econômico profundamente falho. Só quando Murray Rothbard fundiu o anarquismo individualista com a economia austríaca e popularizou os dois, surgiu o anarquismo de livre mercado. Muitas instituições alternativas dependiam do sistema contra o qual se rebelaram. O Banco de Câmbio proposto por Proudhon, que deveria ser uma estrutura guarda-chuva para os Bancos do Povo menores, é um exemplo. A Bolsa deveria substituir o banco central da França e tornar obsoletos os financistas que atacavam os trabalhadores. Em seu periódico Liberty o icônico anarquista norte-americano do século 19 Benjamin Tucker explicou “O Banco de Câmbio deveria ser simplesmente o Banco da França transformado no Portanto, foi uma visão de reforma – reforma radical, com certeza – mas não uma visão de revolução.

As instituições alternativas que se saíram melhor tenderam a fazer parte de um sistema de apoio mais amplo para uma comunidade específica, como as agências sociais operadas pelas primeiras organizações trabalhistas dos Estados Unidos para seus membros. Essas organizações exemplificaram a consciência de classe; por exemplo, os Cavaleiros do Trabalho recusaram a adesão apenas a banqueiros advogados, apostadores e proprietários de bares, que eram vistos como a ruína dos trabalhadores.

Oposição Legal. Duas circunstâncias que convidaram a uma reação das autoridades foram interseção e visibilidade

Intersection : Em 1848, Proudhon se aproximou de Louis Blanc, ministro do Governo Provisório da França, para ajudar a transformar o Banco da França em um Banco de Câmbio. Proudhon não teve sucesso. Mas como seu banco foi parcialmente baseado na aprovação do governo, ele se atrapalhou. Hoje, as chamadas instituições financeiras alternativas solicitam licenças ou cumprem as regulamentações. Ao fazê-lo, ou eles deixam de funcionar ou deixam de ser alternativas; eles se tornam parte do problema

Visibilidade : Quando uma instituição financeira alternativa ameaça o status quo, e isso é visto, ela é desmantelada. A transparência não é seu amigo

Um exemplo é a enorme rede de sindicatos voluntários em 19 século na América do Norte, que forneceu milhões de trabalhadores com tudo, desde crédito a seguro de vida. Os sindicatos voluntários também eram focos de dissidência política. O presidente Franklin D. Roosevelt praticamente os eliminou estabelecendo uma União Grande monolítica que gozava de privilégios do governo através de legislação como a Lei Wagner (1935); o fato de que os sindicatos modernos eram apoiados pelas grandes empresas deveria ter sido uma bandeira vermelha. Um artigo intitulado "A Grande Mentira da União Moderna", explicou, "A união moderna que surgiu …" foi "o oposto do que ela afirmava ser. Não expressou os direitos dos trabalhadores. Ele os silenciou. ”O declínio dos sindicatos voluntários significava que suas redes de segurança financeira evaporavam . [1965906] Revolucionando a definição de classes

Criptomoedas não são“ novas sob o sol ”no fornecimento uma alternativa ao sistema bancário do governo. Não é novidade em fornecer um mercado livre. Mas a dinâmica da criptografia é incrivelmente única. Os algoritmos e blockchain são capazes de ultrapassar três das principais armadilhas das alternativas anteriores – ideologia, estrutura e oposição legal.

Satoshi Nakamoto projetou o bitcoin e o blockchain para contornar um sistema bancário central que atendia ao status quo, não o Individual. Dado que o sistema bancário central não é capitalista, mas existe nas sociedades comunistas, a análise da classe capitalista versus trabalhador não se aplica à criptografia. Outra forma de análise de classe se encaixa perfeitamente.

Antes de discutir a análise de classe, no entanto, é necessário definir a palavra “classe”. Uma classe é um grupo de pessoas ou coisas com características comuns. O agrupamento ocorre porque é útil para quem está definindo a categoria. Um pesquisador de hábitos financeiros pode quebrar seus súditos em usuários de cartão de crédito e não. Um médico que estuda o vício em drogas pode dividir seus pacientes em usuários de cocaína e viciados em metanfetamina. Uma classificação pode ser definida por quase todas as características compartilhadas: cor do cabelo, orientação sexual, preferência no desodorante…

Mas se os capitalistas versus trabalhadores não trabalham bem com criptografia, qual é a base da análise da classe de criptografia? É o estado versus sociedade

Em seu trabalho clássico, O Estado o sociólogo alemão Franz Oppenheimer encabeçou uma análise destes termos-chave.

Oppenheimer definiu o estado como “aquela soma de privilégios e posições dominantes que são trazidas à existência pelo poder extra-econômico [force]. ”Assim como a estrutura visível de políticos e burocratas, o estado inclui todos os agentes (como os militares e policiais), afiliadas (como bancos). ) e amigos (como corporações e a grande mídia). Rothbard expôs no conceito . “Eu defino o estado como aquela instituição que possui uma ou ambas (quase sempre ambas) das seguintes propriedades: (1) adquire sua renda pela coerção física conhecida como 'taxação'; e (2) afirma e geralmente obtém o monopólio coagido da provisão do serviço de defesa (polícia e tribunais) sobre uma determinada área territorial. ”

Oppenheimer definiu a sociedade como“ a totalidade de conceitos de todas as relações e instituições puramente naturais entre homem e homem. ”Rothbard explicou que uma sociedade livre era“ aquela onde não há possibilidade legal de agressão coercitiva contra a pessoa ou propriedade de um indivíduo ”. Sociedade era o total de interação humana que ocorria na ausência de força institucionalizada. 19659006] A força e a ameaça da força são necessárias ao estado porque não produz nada. Sua única fonte de "renda" é a riqueza que retém dos outros, inclusive por meio de impostos, confiscos, multas, taxas, tarifas, inflação, subornos … Para existir, o Estado deve roubar. Em contraste, a sociedade consiste em trocas voluntárias que produzem riqueza, seja em termos de dinheiro, cultura, família, espiritualidade e outros valores humanos. Uma troca ocorre somente quando todas as partes de uma transação concordam com seus termos, o que significa que todas as partes se beneficiam. ocorrer. Rothbard destacou a diferença entre estado e sociedade. “Se eu parar ou não comprar Wheaties no mercado, os produtores de Wheaties não me perseguem com uma arma ou a ameaça de prisão para me forçar a comprar; se eu não me juntar à American Philosophical Association, a associação não me forçará a me impedir de desistir de minha filiação. Somente o estado pode fazer isso; somente o estado pode confiscar minha propriedade ou me colocar na prisão se eu não pagar sua tributação. ”

Indivíduos que interagem por força e privilégio -“ poder extra-econômico ”- são a classe política. Indivíduos que interagem voluntariamente são a classe produtiva. A dinâmica é política versus produtiva. Os dois são antagônicos porque a classe política é um parasita da classe produtiva, e não pode existir de outra forma.

Antes da criptografia, até mesmo as pessoas que viram essa classe se dividir claramente eram forçadas a usar o Estado porque grande parte da vida moderna era monopolizada. por isso. O setor bancário e a emissão de moeda são bons exemplos. Esse domínio essencial da interação humana tornou-se um monopólio estatal. Pouco poderia ser feito sobre isso; uma conta bancária era quase uma exigência da vida diária e era extremamente difícil enviar dinheiro para o exterior sem envolver bancos ou outras instituições autorizadas. Não mais. A criptografia acaba com o monopólio do estado

Assim como na ideologia, a criptografia também é capaz de responder às questões de estrutura e oposição legal que atormentavam alternativas financeiras anteriores ao Estado.

[To be continued next week.]

bitcoin.com e incluir um link para os links originais para todos os capítulos anteriores


Wendy McElroy concordou em "live-publish" seu novo livro The Satoshi Revolution exclusivamente com Bitcoin.com. Todos os sábados, você encontrará outra parcela em uma série de postagens planejadas para conclusão após cerca de 18 meses. Ao todo, eles comporão seu novo livro "The Satoshi Revolution". Leia aqui primeiro

Mercados de cripto caem ainda mais durante a semana de FUD do setor asiático


Os mercados de cripto continuam a despencar hoje, 23 de junho, após uma série de notícias do setor de cripto na Coreia do Sul e no Japão.

Visualização de mercado da Coin360

A grande casa de câmbio sul-coreana Bithumb foi hacked em US $ 30 milhões e a agência reguladora financeira do Japão, a ASF, aparentemente renovou sua repressão às casas de câmbio de criptomoedas depois de enviar mais seis avisos de melhoria de negócios nesta semana.

O Bitcoin (BTC) está chegando perto de US $ 6.000, sendo negociado por cerca de US $ 6.105 no momento deste artigo, com queda de menos de 1% em um período de 24 horas.

Gráfico de preços Bitcoin. Fonte: Bitcoin Price Index da Cointelegraph

Ethereum (ETH) está um pouco abaixo, sendo negociada por cerca de US $ 472 e caindo quase 1% nas últimas 24 horas.

Gráfico de preços Ethereum. Fonte: Ethereum Price Index da Cointelegraph

Das dez principais moedas listadas no Coinmarketcap, o EOS está em baixa, um pouco mais de 8 por cento ao longo de um período de 24 horas e negociado em torno de US $ 8,24.

A queda de preço do EOS segue a controvérsia que surgiu após o lançamento da mainnet, quando os produtores de blocos de EOS assumiram o controle de sete contas associadas a golpes de phishing, provocando perguntas sobre o sistema descentralizado de moedas. O EOS também é uma das principais moedas negociadas na hackeada Bithumb, que desde então caiu do sexto para o décimo primeiro lugar das casas de câmbio por volume de negociação no Coinmarketcap.

Das vinte maiores moedas Coinmarketcap, o Dash é a que mais sobe, com um aumento de valor de 2% ao longo de um período de 24 horas e sendo negociado por cerca de US $ 245,59.

O valor total de mercado está agora em torno de US $ 255 bilhões, um número visto pela última vez em 6 de abril.

Capitalização total de mercado de todas as criptomoedas da Coinmarketcap

Além do FUD, o mercado recebeu a notícia positiva desta semana que a agora extinta casa de câmbio Mt. Gox encerrou as vendas de Bitcoin e entrou formalmente no processo de reabilitação civil, assim como a reafirmação da Bithumb de que reembolsará todas as vítimas do hack de US $ 30 milhões.

O entusiasta de cripto Whale Panda tuitou sobre a Mt. Gox noticiou ontem, alegando que a sua positividade manteve-o fora da mídia mainstream que ama FUD:

A notícia da Mt. Gox é positiva, do #Bitcoin também, então não serão apresentadas pela mídia tradicional. Eles só mostram as coisas negativas.



Todos direitos reservados a traderize.com.

Moedas aceitas no site: