Toyota investe US$ 1 bilhão na companhia de transportes Grab – Notícias


Tóquio, 13 Jun 2018 (AFP) – O fabricante japonês Toyota anunciou, nesta quarta-feira (13), um investimento de US$ 1 bilhão na companhia Grab, líder na Ásia no aluguel de carros com motorista.

Com sede em Singapura, a Grab comprou no início do ano as atividades neste setor que a americana Uber ainda tinha em vários países do Sudeste Asiático.

O investimento do fabricante japonês atende à vontade de seu presidente, Akio Toyoda, de se adaptar à “mudança profunda” do setor.

“Decidi transformar a Toyota de um fabricante de automóveis em uma companhia de mobilidade”, disse Akio Toyoda no mês passado.

Binance Anuncia Investimento de US$ 1 Bilhão Para Startups de Blockchain


(Foto: Pixabay)

A exchange Binance vai lançar um fundo de capital de risco de US$ 1 bilhão para promover a expansão de projetos de blockchain. De acordo com China Money Network, o anúncio foi feito pela diretora da subsidiária Binance Labs, Ella Zhang, em uma conferência online na última quinta-feira (31).

O “Fundo de Impacto Social”, como é chamado, virá das próprias reservas da Binance, segundo Zhang, que disse que a ação é uma forma de contribuir para o ecossistema da indústria. A implementação acontecerá em 10 fases, sendo cada uma delas de US$ 100 milhões.

A empresa se mobiliza para selecionar 20 fundos para começar o investimento – sendo que para se tornarem elegíveis, cada fundo deverá ter US$ 100 milhões em ativos sob gestão, de acordo com a CCN.

Cada um dos escolhidos vai comandar uma fase, que será por meio do próprio token da empresa, o BNB, que atualmente tem um valor de mercado de US$ 1,6 bilhão e servirá como a ‘moeda nativa’ dos blockchains planejados pelas empresas selecionadas.

“Acreditamos que é um experimento social disruptivo. A Binance Labs espera trabalhar com projetos mais ambiciosos para explorar muito mais aplicativos e soluções fundamentados em blockchains, a fim de avançar juntos no crescimento do setor”, disse Zhang, segundo o site Coindesk.

O primeiro projeto a receber financiamento direto do novo empreendimento é um aplicativo baseado em blockchain criado por Weixing Chen, fundador do aplicativo de transporte Kuaidi Dache, que mais tarde se fundiu a Didi Chuxing.

Nos últimos meses a Binance esteve muito aplicada em novos desenvolvimentos em tecnologia descentralizada e este não é o primeiro investimento da divisão Labs. A empresa já fez negócios semelhantes a este Fundo de Impacto Social quando, no início do ano, aplicou US$ 30 milhões na MobileCoin.

De acordo com dados do Coinmarketcap, a Binance é classificada como a exchange mais ativa do mundo, com mais de US$ 5 bilhões de negociações nas últimas 24 horas nesta data.

A corretora está em processo de mudança para Malta. Ela foi bem recebida pelos reguladores do governo maltês depois que foi forçada a sair do Japão, que também a reprimiu.

Leia também: Brasil: Muitas Exchanges de Criptomoedas e Pouco Volume de Bitcoin

BitcoinTrade

Comprar e vender Bitcoin e Ethereum ficou muito mais fácil. A BitcoinTrade é a plataforma mais segura e rápida do Brasil. Além disso, é a única com a certificação de segurança PCI Compliance. Acesse agora ou baixe nosso aplicativo para iOs ou Android: https://www.bitcointrade.com.br/



Binance Lança Fundo de US $ 1 Bilhão para Apoiar Startups



A Binance, uma gigante das trocas de criptomoedas, deve lançar um fundo de US $ 1 bilhão para startups de tecnologia de criptomoedas e blockchain. Ella Zhang, chefe do Binance Labs, anunciou a criação do fundo durante uma sessão on-line em 31 de maio de 2018. O Fundo de Impacto Social Binance A maior plataforma de troca de criptomoedas do mundo investirá US $ 1 bilhão em dez fases distintas de US $ 100 milhões cada para o que foi apelidado de o "Fundo de Impacto Social". O programa será supostamente
Leia Mais
O post Binance lança US $ 1 bilhão de fundos para apoiar Startups apareceu pela primeira vez em Bitcoinist.com.

A gigante corretora cripto, Binance, procura 20 grandes investidores para fundo de $1 bilhão


A Binance, atualmente a maior casa de câmbio cripto por volume de negócios, planeja criar um fundo baseado em criptomoeda $ bilhão, confirmou um executivo hoje, 1º de junho.

Usando apenas os tokens BNB da Binance como um forma de investimento, o fundo será administrado através do Binance Labs.

A Binance, que em abril se mudou para Malta, já apoiou quatro projetos de blockchain por meio da incubadora, entre os quais uma rodada de financiamento de $30 milhões para a altcoin MobileCoin no mesmo mês.

“O investimento é de um só nível e acontece a longo prazo”, disse Ella Zhang, chefe da Binance Labs, em uma conferência online citada pelo canal de notícias local PANews.

“Nós fazemos uma gestão adequada de ativos. Nós gostamos de nos fechar em projetos de longo prazo. Investidores e empresários estão juntos nesse projeto. Quem não acredita não entra.”

O fundo procura incorporar apenas pesos significativos como parceiros, membros com pelo menos $100 milhões em gestão de ativos. A Binance está buscando um total de vinte desses parceiros.

A notícia é seguida por um pequeno movimento do desenvolvedor japonês Gumi, que anunciou que lançou seu próprio fundo de investimento blockchain no valor de $30 milhões para atrair projetos internacionais.

Conhecido como Gumi Cryptos, o fundo já atraiu quatro “protegidos”.

“Nós gostamos de estágio inicial. Nós investimos em capital ou tokens. Nós gostamos de serviços financeiros. Nós gostamos de tecnologias de jogo, e acreditamos que há uma forte conexão entre jogos e cripto ”, disse o co-fundador Miko Matsumura ao VentureBeat.



M. Dias Branco compra Piraquê por R$ 1,55 bilhão


Vitarella - M.Dias Branco

SÃO PAULO – A M.Dias Branco anunciou a aquisição da Indústria de Produtos Alimentícios Piraquê, avaliada  em R$ 1,55 bilhão, na noite de segunda-feira (29) por meio de fato relevante divulgado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários). 

A Piraquê, fabricante de massas, biscoitos, salgadinhos e refrescos, registrou receita líquida total de R$ 717 milhões no período de outubro de 2016 a setembro de 2017.  

Segundo a M.Dias Branco, a operação reflete a estratégia comercial da empresa de acelerar seu crescimento nas regiões sul e sudeste do Brasil, bem como de incluir no seu portfólio produtos de alto valor agregado. 

A conclusão do negócio ainda está sujeita à implementação de algumas condições, como a aprovação pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Durante o período de análise da transação, as companhias continuarão operando de forma independente.