Empresários tentam aproximação com candidatos às vésperas da eleição – Notícias


Às vésperas do início da corrida eleitoral, grandes empresários têm intensificado a agenda de conversas sobre as opções para o Planalto e buscado se aproximar dos presidenciáveis mais bem cotados na disputa até o momento. Os encontros em torno de pré-candidatos vêm sendo organizados de forma discreta e têm contado com alguns dos principais nomes do empresariado, que externam preocupação com os rumos do País.

É o caso de jantar oferecido há duas semanas por Guilherme Leal, sócio da Natura, para que amigos pudessem ouvir Marina Silva, da Rede. Segundo apurou o jornal O Estado de S. Paulo, o empresário reuniu em sua casa, em São Paulo, um grupo pequeno, mas influente: Roberto Setúbal, copresidente do conselho de administração do Itaú Unibanco, Walter Schalka, presidente da Suzano, Álvaro de Souza, presidente do conselho do Santander, Horácio Lafer Piva, presidente do conselho da Klabin, Fábio Barbosa, ex-presidente da Febraban e do Santander, e André Lara Resende, um dos formuladores do Real e assessor econômico de Marina.

Leal chegou a compor a chapa de Marina como seu vice em 2010, mas não participa da campanha desta vez. Seguiu engajado com a política por meio de iniciativas como a Raps, organização que investe na formação de lideranças políticas. Anfitrião e convidados não quiseram falar sobre o encontro. Segundo fontes, porém, a ideia era ter uma conversa “franca” para entender as propostas de Marina e ajudá-los a moldar sua visão sobre o cenário eleitoral. O plano é fazer outras conversas. O próximo a ser ouvido deve ser Álvaro Dias, do Podemos.

Motivação semelhante levou outro grupo de empresários a Itatiba há cerca de um mês para conversar com Geraldo Alckmin, do PSDB. Um almoço foi oferecido pelo empresário e investidor Paulo Malzoni em sua fazenda, a Santapazienza, para que o tucano pudesse falar sobre suas expectativas para o ano eleitoral e propostas para o País. Entre os presentes, estavam José Roberto Ermírio de Moraes, herdeiro do Grupo Votorantim, e Rubens Ometto, dono da Cosan. Procurados, eles não concederam entrevista.

Encontros desse tipo devem se multiplicar daqui em diante, dizem empresários sob reserva. Por um lado, explicam, o empresariado deseja entender a agenda dos presidenciáveis. Por outro, quer garantir interlocução com um político que pode chegar ao Planalto no ano que vem.

Jair Bolsonaro, do PSL, tem se mostrado mais reticente a eventos na casa de empresários. Aliados ouvidos pelo jornal reclamam de sua relutância, mas admitem que alguns encontros já ocorreram – sempre com muita discrição. Ometto, da Cosan, foi um dos que já estiveram com o deputado. Os pedidos de encontro, dizem pessoas próximas, têm aumentado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A resposta da UE às tarifas de Trump – Notícias


Bruxelas, 22 Jun 2018 (AFP) – A União Europeia (UE) taxará a partir desta sexta-feira dezenas de produtos americanos, entre eles o tabaco, o uísque bourbon, as calças jeans e as motos, em resposta às tarifas alfandegárias impostas por Washington sobre o aço (25%) e o alumínio (10%).

Esta lista já havia sido enviada pela UE à organização Mundial de Comércio (OMC) no dia 18 de maio, prevendo a decisão de Washington.

A Comissão Europeia se encarregará de reatualizá-la em função das medidas precisas decididas pelos americanos.

A lista de artigos emblemáticos estabelecido pela Comissão afetam em alguns casos estados dos EUA, vários deles agrícolas, que votaram em Trump em 2016.

São produtos fabricados no território americano e não vendidos pelas marcas desse país – que podem ser fabricados em várias partes do mundo.

Esses produtos integram a lista de acordo com uma nomenclatura aduaneira muito precisa, que não dá nenhum nome de marca ou empresa, embora o presidente da Comissão, Jean-Claude Juncker, no começo de março mencionou a Harley-Davidson e a Levi’s.

A União Europeia exportou 5,3 bilhões de euros em aço e 1,1 bilhão em alumínio para os Estados Unidos em 2017.

As contra-medidas europeias sobre os produtos da lista buscam compensar em 2,8 bilhões de euros os prejuízos que as tarifas americanas causarão à sua indústria americana, uma cifra “calculada”, segundo a Comissão, que quer que este procedimento respeite plenamente as regras da OMC.

No futuro, outros produtos poderão ser taxados pela UE, no valor de 3,6 bilhões de euros, caso o bloco vença a disputa com os Estados Unidos na OMC.

– AçoVárias dezenas de produtos, como alguns aços laminados, as barras em aço inoxidável, os tubos sem soldadura, fios de aço, portas, janelas, ferramentas, talheres etc.

– Agricultura e alimentaçãoFeijões, milho, arroz (processado ou não), cranberries, suco de laranja, manteiga de amendoim, uísque bourbon, cigarros e cigarros e tabaco.

– TêxtilAs camisetas e malhas de algodão, lã ou tecido sintético, calças jeans ou de algodão, shorts, roupa de cama de algodão e determinados sapatos de couro.

– VeículosMotos com cilindrada superior a 500 cm3, veleiros, de passeio ou esportivos, com ou sem motor, botes de remos e canoas.

– OutrosBatons, maquiagem para os olhos, esmaltes para unhas e base de maquiagem e cartas de baralho.

zap-clp/agr/lb/age/jvb/cc/mvv

Cardano (ADA) Adicionado às Atualizações do eToro – Cardano Galore – Crypto Currency News


 Cardano (ADA) "title =" Cardano (ADA) -min

Cardano (ADA) – eToro, o corretor de negociação social líder mundial que agora oferece negociação criptomoeda, agora está oferecendo Cardano (ADA) em sua plataforma

eToro ainda não está disponível nos Estados Unidos. A plataforma de negociação social atualmente oferece as seguintes moedas digitais:

  • Bitcoin (BTC)
  • Ethereum (ETH)
  • Bitcoin Cash (BCH)
  • Ondulação (XRP)
  • Litecoin (LTC)
  • EOS

Quase um mês atrás, eToro anunciou no Consensus 2018 que lançaria seu próprio troca de criptomoedas e carteira móvel. A eToro oferece um componente de rede social semelhante à sua plataforma, como Twitter e Facebook, o que ajuda os investidores a negociar

O Cardano sendo adicionado à sua plataforma antes de seu lançamento nos EUA é um grande sinal. Ainda não está claro por que demorou tanto para a plataforma adicionar Cardano, mas agora, a maioria das dez principais moedas digitais está em sua plataforma.

>> 5 Crypto Long Holds

Atualizações do Cardano

Cardano acaba de divulgar seu relatório técnico semanal e destacou todas as coisas que a equipe Cardano está trabalhando atualmente. A equipe trabalhando na versão Daedalus 0.10.1 com a versão de hotfix do Cardano 1.2.1. A rede de testes da IELE começou a enfocar seu design e design de conteúdo da infraestrutura de nuvem. Além disso, eles continuam a construir o back-end para a carteira e a investigar o alto tráfego de IO na carteira.

A última grande novidade que surgiu sobre o projeto Cardano recentemente foi o seu roteiro . Atualmente, Cardano é a oitava maior criptomoeda por capitalização de mercado. No momento, a ADA está sendo negociada a US $ 0,166 por moeda, um aumento de 1,86% em 24 horas

Imagem em destaque: Twitter

se você gostou deste artigo Compartilhar

BNDES oferece apoio às empresas de proteína animal – Notícias


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está aberto a discutir medidas de alívio para as empresas do setor de proteína animal. Empresas do setor amargam queda nas exportações de 15% em relação ao ano passado, sofrem com o embargo provisório da China a vários produtores de frango foram fortemente afetados pela recente greve dos caminhoneiros.

De acordo com o presidente da instituição, Dyogo Oliveira, o BNDES ainda não foi procurado, mas está pronto para apoiar. Representantes do segmento têm levantado essa possibilidade de ajuda do governo nesse momento difícil.

“O banco está preparado para eventualmente fazer alguma ação de alívio do fluxo de caixa das empresas nesse momento. Estamos aguardando”, disse Oliveira.

Em paralelo, o governo brasileiro trabalha para que o embargo provisório da China a produtores de frangos brasileiros não se torne definitivo. Segundo o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, a decisão chinesa não tem relação com a disputa comercial do País com os Estados Unidos.

“A relação entre Brasil e China é sólida. É nosso principal parceiro comercial. Estamos conversando para adensar a nossa troca comercial em serviços”, disse o ministro.

Sem justificativa

De acordo com Marcos Jorge, a decisão chinesa pegou de surpresa o setor e o governo brasileiro. Além disso, não tem justificativa. O Brasil não tinha sequer a expectativa de que a decisão provisória saísse nesse momento.

“Estive na China sensibilizando o governo chinês. Não estamos praticando nenhum tipo de prática desleal. Estaremos acompanhando o processo legal”, completou o ministro, frisando que o Brasil continua mandando sinais positivos para o governo chinês.

“Eles (representantes do governo chinês) nos encaminharam uma carta parabenizando a decisão do governo brasileiro (que suspendeu barreiras para produtos chineses no setor de aço)”, ressaltou Marcos Jorge. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Espanha combate a corrupção com Blockchain AI e alterações às suas leis anticorrupção: Especialista


Segundo o Índice de Percepção da Corrupção da TI para 2017, a Espanha deslizou oito pontos para ser um dos países mais baixos da UE devido a uma série de escândalos de corrupção na última década – com contratos públicos sendo particularmente vulnerável . Embora a Espanha tenha combatido ativamente a corrupção alterando suas leis anticorrupção e desenvolvendo soluções de blockchain e inteligência artificial (AI)

a Espanha emendou suas leis anticorrupção de acordo com os padrões da OCDE

“Integridade, transparência e a luta contra a corrupção tem que fazer parte da cultura. Eles têm que ser ensinados como valores fundamentais ” declarou Angel Gurría, secretário-geral da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Depois de adotar novas medidas legislativas aprovadas pela OCDE para combater a corrupção e promover a transparência nas atividades e instituições políticas em 2015, as autoridades policiais espanholas têm lutado para manter com o esmagador número de casos. Entre julho de 2015 e setembro de 2016, 1378 funcionários foram processados ​​ por corrupção, com outros 29 condenados pela alta corte da Espanha em 24 de maio, envolvendo o escândalo de corrupção Gürtel, que é um dos maiores escândalos de corrupção na história moderna do país. . O tribunal, em sua opinião de 1687 páginas, disse que os políticos do Partido Popular (PP) participaram de "um sistema autêntico e eficiente de corrupção institucional através de mecanismos para manipular licitações públicas em nível nacional, regional e local", a maioria enquanto Mariano Rajoy. ele ocupou cargos importantes no governo e no partido. Os condenados foram condenados coletivamente a um total de 351 anos de prisão por lavagem de dinheiro, suborno, evasão fiscal, fraude e outros delitos relacionados.

Após a decisão da Alta Corte em 1º de junho, o primeiro ministro espanhol Mariano Rajoy, do PP deixou o cargo depois de um voto de desconfiança no parlamento, provocado pelo escândalo de corrupção de Gürtel. A votação sem precedentes para remover Rajoy do poder foi de 180 para 169, com uma abstenção. Foram necessários 176 votos para aprovação .

Mas o escândalo de corrupção de Gürtel não é o único caso de corrupção de alto nível que foi deliberado pelo tribunal superior espanhol. Desde 21 de março, cinco juízes da Suprema Corte vêm debatendo a ratificação da sentença de seis meses e três meses de prisão contra Iñaki Urdangarin, cunhado do rei Felipe VI, da Espanha, por corrupção, fraude, peculato e peculato. encargos relacionados à evasão fiscal. Em 12 de junho, o supremo tribunal decidiu que Urdangarin deveria cumprir cinco anos e dez meses, cinco meses a menos do que a sentença imposta no ano passado, mandando um membro da família real do país para a prisão pela primeira vez na história moderna

. ] Convenção Anticorrupção e Criminalidade da OCDE

A primeira legislação antissuborno transnacional para a criminalização do suborno foi estabelecida nos EUA com a Lei de Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA) de 1977.

A FCPA foi emendada pelo Lei Internacional Anti-Suborno e Concorrência Justa de 1998 para alcançar a simetria com a Convenção da OCDE sobre o Combate ao Suborno de Funcionários Estrangeiros em Transações Comerciais Internacionais. Isso expandiu o alcance mundial da FCPA para dentro da rede de 43 países da OCDE – incluindo a Espanha. Partes da Convenção Antissuborno concordaram em implementar medidas que reforcem os esforços para prevenir, detectar e investigar o suborno estrangeiro, impor penalidades civis e criminais aos infratores e proibir a dedutibilidade fiscal de subornos.

A Espanha não permite deduções para subornos pagos a funcionários públicos estrangeiros. Os subornos pagos em moedas criptografadas são tratados como pagamento eletrônico – da mesma forma que as opções binárias ou forex – sob a Lei Tributária Espanhola e não são declarados nos requerimentos de declaração do Formulário 720 'Declaração de Ativo Estrangeiro', porque as categorias de ativos que deveriam ser incluído neste formulário não nomeia especificamente criptomoedas. Os contribuintes que detêm suas moedas criptografadas em uma carteira off-line não precisam declará-los neste formulário, uma vez que não estão [194590015] localizados fora da Espanha. O Instituto Americano de Contadores Públicos Certificados (AICPA) recentemente propôs que o Internal Revenue Service (IRS) adotasse um requisito de relatório semelhante para divulgar carteiras que possuam criptomoedas para fins tributários nos EUA.

Conseqüentemente, a não divulgação de informações estrangeiras ou Criptogravações realizadas na carteira para propósitos de impostos espanhóis poderiam facilitar a evasão fiscal da FCPA, bem como violações de lavagem de dinheiro, que são as principais preocupações de política pública abordadas na investigação da TAX3

. usado no combate à corrupção

A OCDE estima que a corrupção nos contratos seja de US $ 2 trilhões de fundos públicos / contribuintes do mundo. Segundo um documento da OCDE, a tecnologia blockchain – ao trazer transparência ao processo de financiamento de aquisições públicas – pode ser usada como medida preventiva contra a corrupção que pode distorcer a imparcialidade da concessão de contratos públicos, reduzir a qualidade dos serviços públicos básicos, limitar as oportunidades de desenvolver um setor privado competitivo e minar a confiança nas instituições públicas.

A UE, em fevereiro lançou o Observatório e Fórum Blockchain da UE e já investiu mais de 80 milhões de euros em vários projetos relacionados. Como membro da European Blockchain Partnership, a Espanha está empenhada em construir aplicações blockchain e AI em toda a UE que possam ser usadas na luta contra a corrupção em todo o Mercado Único Digital para benefício dos setores público e privado.

Os aplicativos de blockchain mais promissores estão relacionados ao registro e rastreamento de transações de ativos de criptografia transferidos. Com o apoio do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, uma empresa de blockchain espanhola está desenvolvendo uma solução blockchain baseada em Ethereum que permitirá às partes legal / contratualmente transferir a propriedade de ativos de criptografia reduzindo as possibilidades de manipulação e fraude, adicionando verificabilidade e auditabilidade a transações digitais, e rastreando informações e ativos digitalizados sem a necessidade de intermediários. O sistema incorporará uma infra-estrutura de chave pública, como selos de horário eletrônico e serviços de entrega eletrônica certificados, para tais contratos.

Mas e se um ativo de criptografia estiver sendo legalmente transferido para outro em uma transação transfronteiriça corrupta? 19659004] Exemplo: Uma empresa pública suborna uma autoridade estrangeira com um telefone da ZTE que atua como um minerador de criptomoedas, bem como uma carteira de criptomoedas. Isso permite que a autoridade estrangeira separe a Ethereum (ETH) em uma base necessária, venda a ETH minerada em uma troca de criptografia e apresente à empresa uma conta de eletricidade muito grande para o reembolso de atividades de mineração, em troca da realização de negócios. no país estrangeiro. Este chamado "novo suborno" elimina a necessidade de banqueiros, contadores, advogados, consultores e outros intermediários – tornando assim muito difícil o rastreamento e a identificação do "novo suborno", especialmente considerando que as leis tributárias espanholas não exigem moedas criptografadas em carteira a serem reportadas para fins fiscais. O “novo suborno” (algo de valor), no entanto, cria a base aparente para uma violação da FCPA. E se for deduzido para fins fiscais, poderia sujeitar a empresa pagadora de suborno a inúmeras multas e penalidades.

Para a efetiva detecção de corrupção e evasão fiscal, pesquisadores da Universidade de Valladolid desenvolveram uma aplicação de IA. Porque o primeiro passo no combate ao suborno estrangeiro e crimes relacionados, é a detecção dele. Seu modelo de computador é baseado em redes neurais e calcula a probabilidade de corrupção nas províncias espanholas, bem como as condições que o favorecem. Esse sistema de alerta antecipado analisa dados de várias fontes: províncias espanholas em que casos reais de corrupção foram denunciados pela mídia ou entraram em juízo entre 2000 e 2012; aumentos de preços de imóveis; impostos; crescimento econômico; o crescente número de instituições de depósito e empresas não financeiras; e o mesmo partido político permanecendo no poder por longos períodos – para predizer a corrupção pública baseada em fatores econômicos e políticos. O objetivo é detectá-lo o mais rápido possível, para que medidas corretivas e preventivas possam ser tomadas prontamente

.

Selva Ozelli, Esq., CPA é uma advogada fiscal internacional e CPA que freqüentemente escreve sobre questões tributárias, legais e contábeis para notas fiscais, Bloomberg BNA, outras publicações e a OCDE.

Caminhoneiros e ANTT têm nova reunião sobre preço do frete na segunda-feira às 9h – Notícias


A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e representantes dos caminhoneiros marcaram para as 9h da segunda-feira (11) uma nova reunião, de caráter técnico, para discutir o tabelamento do preço mínimo para o frete rodoviário. O assunto criou um grande impasse no governo, que, sob pressão, já editou duas versões da tabela dos preços. A segunda foi revogada horas depois de ter sido divulgada, na noite de quinta-feira (7).

A primeira atendeu os caminhoneiros, mas revoltou o agronegócio e a indústria, que falam em aumentos de até 150% nos preços e ameaçam travar a comercialização e até ir à Justiça para barrar o tabelamento. A segunda procurou aliviar o custo aos produtores, mas contrariou os caminhoneiros, por ter levado a um corte médio de 20% nos preços.

Mesmo irritados com a revisão, os caminhoneiros se propuseram a buscar uma composição de preços que seja boa para eles e para os usuários de seus serviços. Representantes da categoria estão reunidos neste Sábado (9) para fazer as contas e levar uma proposta à ANTT na segunda. O encontro é fechado e as entidades não divulgam nem o local da reunião. Eles dizem que querem evitar ruídos que possam prejudicar as negociações.

A ANTT já avisou que uma eventual terceira versão da tabela, que pode ficar pronta no início da próxima semana, será submetida a uma audiência pública que durará de 30 a 45 dias. Na mesa, há inclusive a proposta de se estipular preços diferenciados para os períodos de safra e de entressafra.

Enquanto continua o impasse, segue em vigor a primeira versão da tabela, editada no último dia 30 de maio, nos termos da Medida Provisória 832/2018, que instituiu a Política de Preços Mínimos de Transporte Rodoviário de Cargas, uma das principais reivindicações dos caminhoneiros dentro do acordo firmado com o governo para pôr fim à paralisação da categoria, que durou 11 dias, no fim de maio.

Trump, Macron e Trudeau trocam farpas sobre comércio às vésperas do G-7 – Notícias


Às vésperas da reunião de líderes do G-7, grupo que reúne as sete economias mais avançadas do mundo, uma troca de farpas entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o presidente da França, Emmanuel Macron, e o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, foi vista no Twitter. As relações comerciais entre os países estiveram no foco das tensões.

“Alguém, por favor, diga ao primeiro-ministro Trudeau e ao presidente Macron que eles estão cobrando tarifas maciças contra os EUA e criando barreiras não-monetárias O superávit comercial da União Europeia é de US$ 151 bilhões e o Canadá continua excluindo os nossos agricultores e outros”, disse Trump. Posteriormente, ele comentou que o premiê canadense está “indignado ao trazer à tona a relação que os EUA e o Canadá tiveram ao longo de muitos anos”, mas ressaltou que Trudeau não dá destaque à cobrança diária de até 300% em laticínios “ferindo nossos agricultores e matando a nossa agricultura”.

O Twitter também foi a plataforma utilizada por Macron às vésperas do G-7. “As tensões estão aumentando em todos os lugares. Este G-7 será exigente. O risco: criar um mundo da lei do mais forte. Isso não é bom para nós nem para nenhum de nossos países amigos no mundo. É por isso que continuaremos a lutar”, disse o presidente francês. Ele comentou, ainda, que está comprometido a proteger os trabalhadores europeus e ressaltou que a responsabilidade da França é defender uma Europa mais unida com a intenção de proteger a classe média e mais pobre.

Mais cedo, Macron afirmou que os seis países do G-7 fora dos EUA “são um mercado maior juntos do que o mercado americano. Não haverá hegemonia mundial se soubermos nos organizar. E não queremos que haja um”. Os comentários foram feitos em coletiva de imprensa conjunta com Justin Trudeau.

Trump parte para Quebec nesta sexta-feira e sinalizou que pretende continuar com sua agenda comercial agressiva durante a cúpula do G-7. Na semana passada, os EUA anunciaram a imposição de tarifas sobre as importações de aço e alumínio do Canadá, do México e da UE. Além disso, o Departamento do Comércio americano analisa possíveis violações à segurança por parte de veículos importados pelos EUA.

Merkel afirma que Europa responderá de forma ‘decidida e unida’ às tarifas americanas – Notícias


Lisboa, 31 Mai 2018 (AFP) – A União Europeia vai responder de forma “decidida e unida” se os Estados Unidos impuserem tarifas sobre as exportações de aço e alumínio, advertiu nesta quinta-feira que a chanceler alemã, Angela Merkel.

Os membros da UE concordaram em “responder de forma inteligente, decidida e unida”, disse Merkel em uma coletiva de imprensa conjunta com seu colega português, Antonio Costa, em Lisboa.

As sanções estudadas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, “não cumprem as regras da Organização Mundial do Comércio”, disse ela.

A chanceler acrescentou, porém, que não deseja prever uma reação europeia, “porque nós ainda não sabemos a decisão” americana.

Trump ainda não confirmou a imposição de taxas aduaneiras adicionais de 25% sobre o aço e de 10% sobre o alumínio europeus. Ele concedeu à UE uma isenção temporária que expira na sexta-feira.

Segundo o Wall Street Journal, a administração americana deve ratificar a aplicação dessas tarifas nesta quinta-feira.

Em Berlim, o ministro alemão das Relações Exteriores Heiko Mass criticou o retorno das medidas protecionistas no comércio internacional ao receber o chinês Wang Yi.

lf-pmr/avz/mr

Fernando Ulrich admite interesse na compra do Novo Banco




Subscrever o canal. As últimas notícias Fernando Ulrich defende que o aumento do imposto sobre a banca, em 2015, foi mal pensado. O presidente do BPI …