Wall Street fecha em queda após Fed sinalizar mais duas altas de juros neste ano – Notícias


(Reuters) – Os índices acionários dos Estados Unidos encerraram uma sessão volátil em queda nesta quarta-feira após o Federal Reserve elevar as taxas de juros conforme o esperado e projetar um ritmo ligeiramente mais rápido de alta de juros para este ano.

O índice Dow Jones caiu 0,47%, a 25.201 pontos, enquanto o S&P 500 perdeu 0,4%, a 2.776 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuou 0,11%, a 7.696 pontos.

Agora, são esperadas duas novas altas de juros até o fim do ano, ante expectativa anterior de apenas mais uma.

O banco central dos Estados Unidos, que elevou sua taxa de juros em um quarto de ponto percentual para uma faixa de 1,75% a 2%, também derrubou sua antiga promessa de estimular a economia “por algum tempo”.

“A expectativa agora é para quatro aumentos de juros no total em 2018. O consenso estava mais para três, caminhando em direção a quatro, então eu acho que isso é um pouco de surpresa”, disse Katie Nixon, diretora de investimentos do Northern Trust Wealth Management.

“Parece que o Fed está muito mais confiante agora na inflação alcançar, talvez até superar um pouco, sua meta, então eles estão adiantando alguns dos aumentos.”

As novas projeções de membros do Fed sugerem que a inflação poderá ficar acima da meta de 2% do Fed, alcançando 2,1% neste ano e permanecendo neste patamar até 2020.

As ações estavam voláteis após o comunicado, mas fecharam quase perto das mínimas da sessão e vendas foram generalizadas, com a maior parte dos índices do S&P encerrando em queda.

(Reportagem adicional de Lewis Krauskopf e SruthiShankar)

Bullard, do Fed, pede “cautela” em relação a mais altas de juros – Notícias


O presidente da distrital do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) em St. Louis, James Bullard, reiterou nesta terça-feira sua visão de longa data de que seria um erro implementar mais altas de juros nos EUA.

“A cautela pode ser justificável ao decidir sobre elevar ainda mais a taxa de juros no curto prazo”, disse Bullard em discurso na capital japonesa, Tóquio.

Bullard não vota nas reuniões de política monetária do Fed neste ano. Há quase dois anos, ele vem defendendo taxas de juros baixas, diante das mudanças na economia americana. Em razão disso, Bullard se opõe à estratégia do Fed de elevar seus juros básicos gradualmente.

Há grandes expectativas de que o Fed volte a elevar seu juro básico – atualmente numa faixa de 1,5% a 1,75% – em junho. Em março, quando foi anunciado o último ajuste, dirigentes da instituição previram três elevações ao longo de 2018, mas alguns deles acreditam que a força do mercado de trabalho e o avanço da inflação poderão permitir até mais aumentos neste ano.

Segundo Bullard, as expectativas de inflação baixa dos mercados financeiros são um bom motivo para não elevar juros até que as expectativas demonstrem mais confiança de que o Fed irá trazer a inflação de volta para a meta de 2% de forma sustentável.

Bullard avalia também que a política monetária do Fed chegou a um ponto neutro no que diz respeito à atividade econômica. Além disso, ele teme que novas altas de juros levem os rendimentos de bônus de curto prazo a superar os de papéis de mais longo prazo, num movimento conhecido como inversão da curva de juros. Esse tipo de precificação normalmente é associada à uma crise econômica iminente.

“A curva de juros nominal pode se inverter neste ano ou em 2019, o que seria um sinal negativo para as perspectivas macroeconômicas dos EUA”, alertou Bullard. Fonte: Dow Jones Newswires.

Bolsa fecha em queda de 1,7% após 2 altas seguidas; Embraer sobe 4,41% – Economia


O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou esta sexta-feira (2) em queda de 1,7%, a 84.041,34 pontos, após duas altas seguidas. Na véspera, a Bolsa subiu 0,69%. Com isso, acumula desvalorização de 1,74% na semana. 

O resultado foi influenciado, principalmente, pelo desempenho negativo das ações da Petrobras (-2,68%), do Banco do Brasil (-1,36%), do Itaú Unibanco (-1,26%), do Bradesco (-3,1%), da mineradora Vale (-2,37%) e da Ambev (-0,99%). Essas empresas têm grande peso sobre o Ibovespa.

Já os papéis da Embraer subiram (+4,41%). A empresa informou nesta sexta-feira que não recebeu oferta da Boeing, mas que segue mantendo discussões com a norte-americana e com representantes do governo brasileiro sobre uma aliança, que poderá envolver a criação de uma nova empresa.

Dólar sobe 1,44%, a R$ 3,214

dólar comercial fechou esta sexta-feira (2) em alta de 1,44%, cotado a R$ 3,214 na venda. Na véspera, a moeda norte-americana caiu 0,36%. Com isso, o dólar fecha a semana com valorização acumulada de 2,37%.  

O relatório do mercado de trabalho dos Estados Unidos mostrou nesta sexta-feira criação de vagas acima do esperado e aumentou as chances de uma quarta alta dos juros pelo Federal Reserve (banco central norte-americano) neste ano. Juros maiores nos EUA podem atrair para lá recursos aplicados em outras economias, como a brasileira.

(Com Reuters)